Os benefícios e malefícios da competição interna

competição interna
A política de competição interna tornou-se cada vez mais comum no acirrado mercado de trabalho

O sucesso da carreira profissional exige etapas sucessivas de vitórias. Ingressar na universidade, conseguir o emprego dos sonhos e alcançar a posição de líder de uma corporação são méritos conquistados ao longo de uma série de disputas. Com a forte tendência de redução de funcionários, a política de competição interna tornou-se cada vez mais comum no acirrado mercado de trabalho.



A prática inclui premiação ao “empregado do mês”, promoção de concursos entre os departamentos ou trabalhadores de um mesmo setor, bem como métodos de avaliação de desempenho, na qual apenas um número pequeno de colaboradores pode receber nota máxima e a devida recompensa.

Prós e contras da competição

Muitos gestores acreditam que a disputa entre funcionários é benéfica para o sucesso da empresa e evolução dos liderados, uma vez que a bonificação por atividades individuais pode estimular reações saudáveis:

– Aumento da produtividade;

– Desenvolvimento do processo criativo;

– Fortalecimento da autoconfiança e maior prazer por novos desafios.

competição colaborativa
A competição pode ser positiva se os participantes tiverem espírito colaborativo

No entanto pesquisas recentes têm mostrado uma realidade diferente. Em alguns casos, cria-se um sistema extremamente competitivo no qual colaboradores passam a ser identificados pelos rótulos de “vencedores” ou “perdedores”, gerando um ambiente hostil, além de outras desvantagens como:

– Inibição da aprendizagem: com a preocupação em vigiar o “concorrente”, acaba-se distraindo a atenção e desperdiçando a energia que deveria ser empregada na busca por novos conhecimentos e no aperfeiçoamento de habilidades;

– Perda da autoestima: o acúmulo de “derrotas” sucessivas acaba causando ansiedade e falta de autoconfiança. Acreditar no próprio potencial é fundamental à motivação de equipe;

– Ausência de cooperação: a noção de ajuda mútua entre colegas é comprometida devido à batalha acirrada pelo êxito das tarefas, que gera inveja e atitudes imorais, entre outros males;

 Por que trabalhar em equipe?

A competição pode ser positiva se os participantes tiverem espírito colaborativo. Em vez de ver o colega como inimigo, cada membro deve assumir responsabilidades em função de um objetivo comum: crescimento profissional e sucesso da organização.

Uma boa maneira de estimular a colaboração e solidariedade no ambiente corporativo é criando sistemas de premiação coletiva, em que todos os funcionários podem ser recompensados pelo cumprimento das metas.

Além de melhorar a produção, essa iniciativa também resgatará a autoestima do grupo. Assim, com trabalho em equipe e motivação, os esforços deixam de ser isolados para juntos atuarem a favor do êxito da empresa e da carreira individual.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também :)

Skills de hoje e do futuro

O que é autoeficácia e como ela pode ajudar você

As habilidades mais importantes em 2021

Cursos de extensão EAD: Saiba as vantagens de aderir ao sistema

MBA Coaching: Saiba tudo sobre esse tipo de graduação

O papel do feeling no mundo corporativo

Materiais Educativos

Como se tornar um Coach de sucesso

Escrito por Villela da Matta, presidente da SBCOACHING, este e-book traz 29 perguntas para alavancar o marketing, as vendas e as estratégias do seu negócio para seu sucesso…

Segredos da Paternidade Positiva

O envolvimento do pai contribui de forma significativa para o crescimento intelectual e mental da criança e a estimula na educação, desenvolvimento de habilidades, interesse etc…

Brian Tracy

Brian Tracy é uma das maiores autoridades em coaching e negócios do mundo: em mais de 30 anos de atuação, passaram por suas palestras e seminários mais de 5 milhões de pessoas. Já atuou como coach e consultor em mais de mil empresas. Autor de dezenas de best-sellers, foi homenageado em 2011 com o Lifetime Achievement Award, concedido pela National Academy of Best Selling Authors. É fundador e CEO da Brian Tracy International, tem uma carreira de sucesso, principalmente nos setores de vendas e marketing, investimentos, desenvolvimento imobiliário, importação, distribuição e consultoria de gestão.

Flora Victória

Flora Victoria é fundadora da Sociedade Brasileira de Coaching, presidente da SBCOACHING Training e Mestre em Psicologia Positiva Aplicada pela University of Pennsylvania. Diretora educacional das empresas do SBCOACHING Group e founding fellow do Institute of Coaching (IOC) – órgão afiliado à Harvard Medical School dedicado ao avanço do coaching, Flora é considerada a maior especialista em psicologia positiva aplicada ao coaching do país. Seu trabalho precursor resultou na criação do primeiro treinamento de positive coaching do Brasil. Pioneira na condução de projetos de pesquisa e comprovação científica do coaching no país, tem contribuído significativamente para consolidar a credibilidade desse processo e estimular seu desenvolvimento no Brasil e no mundo.

Como trainer e master coach, Flora já participou da formação de mais de 45 mil coaches no Brasil. Responsável pelas parcerias internacionais firmadas pela SBCOACHING com instituições globais, Flora tem trazido para o Brasil o que há de melhor e de mais atual no coaching internacional. Flora representa a Sociedade Brasileira de Coaching como membro da Graduate School Alliance for Executive Coaching (GSAEC), instituição especializada no ensino acadêmico do coaching, e da Association for Coaching (AC), credenciadora internacional presente em mais de 50 países.

Escritora de obras que são referência no coaching mundial, Flora é coautora dos livros Personal & Professional Coaching®, Executive & Business Coaching®, Positive Psychology Coaching® e Career Coaching®, entre outros. Em parceria com Brian Tracy e Villela da Matta, escreveu Estratégias Avançadas de Vendas e Engajamento Total. Como parte de sua contribuição para o coaching global, Flora foi convidada a integrar uma equipe internacional cujo objetivo foi discutir e compreender a diversidade do coaching no mundo. Esse trabalho resultou no livro Diversity in Coaching: Working with Gender, Culture, Race and Age, lançado pela Association for Coaching (AC). Como especialista em coaching, negócios, liderança e psicologia positiva, escreve artigos para a Revista SBCOACHING, para a Revista Científica Brasileira de Coaching e para diversos portais.

Com graduações acadêmicas e especializações nas áreas de Governança Corporativa pela Harvard Business School, MBA pela FGV, Marketing pela ESPM e Tecnologia pela USCS, a expert em ciências comportamentais, Flora, aplica seu sólido conhecimento teórico e prático para contribuir com diferentes públicos na conquista de resultados e aumento de realizações.

Com uma experiência organizacional consolidada ao longo de 30 anos, antes de fundar a SBCOACHING Flora foi executiva da Claro e atuou em grandes empresas como Volkswagen, Ford e Bell South, nas áreas de planejamento estratégico, gestão de mudanças, governança corporativa, tecnologia e finanças. À frente da SBCOACHING Training™, dedica-se continuamente a expandir o portfólio de serviços e a elevar cada vez mais a qualidade e a eficácia do coaching.