Posted in:

O que é uma Pessoa Altruísta: Guia Completo do Altruísmo

Você se considera uma pessoa altruísta?

Em suas relações interpessoais, você leva em consideração o bem-estar dos outros, mesmo que tenha que deixar algum interesse seu em segundo plano?

Se a sua resposta foi negativa, não fique preocupado.

Afinal, muitas vezes, envoltos em demandas e problemas do cotidiano, esquecemos de nos preocupar com quem está à nossa volta e nos concentramos apenas em nós mesmos.

Mas isso é algo que você deve tentar mudar.

Gestos e atitudes de altruísmo podem trazer muitos benefícios à sociedade.

Quando você age pensando no bem do outro, todos saem ganhando.

Ficou interessado?

Neste artigo, você vai entender melhor o que é ser altruísta, como surgiu esse conceito e de que maneiras é possível desenvolver essa característica.

O que é uma pessoa altruísta?

o que e uma pessoa altruista

Pensar para além de si mesmo é a principal característica de pessoas altruístas.

Elas levam em conta tanto os próprios desejos quanto os de outras pessoas na hora de agir, mesmo que coloquem em risco seu próprio bem-estar.

E essas atitudes não levam em consideração uma contrapartida.

Assim, um indivíduo altruísta é aquele capaz de pensar em si mesmo e na satisfação de quem está à sua volta.

Trata-se de uma pessoa que incentiva os outros a alcançarem suas metas e sonhos e que encontra felicidade nisso.

Um indivíduo com esse atributo geralmente sente emoções gratificantes quando observa conquistas de outras pessoas.

Isso ocorre devido a características diretamente ligadas ao altruísmo: empatia, afetividade e sentimento de proteção em relação aos outros.

Em outras palavras, esse palavra identifica quem consegue se colocar no lugar do outro antes de tomar atitudes.

Por isso, não é raro que pessoas altruístas, muitas vezes, acabam deixando até mesmo em segundo plano as próprias vontades em prol de ajudar.

No entanto, para essas pessoas, encontrar o equilíbrio é essencial.

Afinal, elas também não podem se anular em detrimento dos outros.

Encontrar uma forma de conciliar os próprios desejos com o bem-estar alheio é fundamental para alcançar a satisfação e a felicidade.

Sinônimos de altruísmo

sinonimos de altruismo - altruista

Há vários sinônimos de altruísmo.

Primeiro, observe o significado da própria palavra.

De acordo com o dicionário Michaelis, altruísmo significa “amor espontâneo pelo próximo, abnegação, filantropia, proximismo”.

O amor espontâneo pelo próximo e a abnegação tratam justamente do que mencionamos mais cedo.

É a capacidade de sentir simpatia em relação aos outros e, por conta disso, abrir mão dos próprios desejos.

Agora, você pode estar pensando que os sinônimos de altruísmo incluem palavras como bondade, generosidade, solidariedade, empatia ou até mesmo caridade.

Esses termos são comumente utilizados para descrever pessoas altruístas.

Mas será que elas têm o mesmo significado?

Em entrevista à revista Época, Oren Harman, professor da Universidade Bar Ilan, da cidade de Tel Aviv, esclarece o assunto.

Segundo ele, altruísmo, solidariedade e generosidade são conceitos relacionados, mas que possuem distinções entre si.

Veja, a seguir, as definições de Harman.

Para ele, o altruísmo “é muito mais uma ação pessoal, motivada por razões pessoais de diferentes tipos e voltada a alvos particulares”.

Já a solidariedade e a generosidade são um pouco diferentes.

De acordo com o professor, solidariedade é um sentimento coletivo de unidade, que não demanda sacrifício pessoal.

Ele também afirmou que a generosidade, por sua vez, é uma forma de altruísmo, mas não necessariamente precisa ser.

Viu como há diferenças sutis?

Mesmo que essas palavras sejam consideradas sinônimos, o altruísmo tem uma característica peculiar: envolve sacrifício pessoal, mesmo que mínimo.

Qual é o antônimo de altruísta?

antonimo de altruista

Diferentes palavras são utilizadas para definir o oposto de altruísmo.

Individualismo, egocentrismo e ganância são algumas delas.

No entanto, o principal antônimo de altruísmo é o egoísmo.

Esses dois conceitos representam ideias completamente opostas.

O altruísmo é a capacidade de considerar o bem-estar dos outros e o seu próprio.

Já o egoísmo é a falta dessa capacidade.

Pessoas egoístas tendem a pensar apenas em si mesmas, desconsiderando os interesses do próximo.

Quando alguém age de forma egoísta, portanto, está pensando apenas no próprio benefício, sem abrir mão de nada.

Origem do conceito de altruísmo

origem do conceito de altruismo - altruista

O termo altruísmo foi criado por Auguste Comte no século 19.

Comte foi um filósofo francês que hoje é considerado o fundador da Sociologia e um importante autor da corrente filosófica do Positivismo.

O filósofo definiu o altruísmo como o ato de viver para os outros e demonstrar atos de afeto devido a um grupo de disposições humanas individuais e coletivas.

A palavra foi criada por ele para descrever o contrário de egoísmo  — uma inclinação ao individualismo.

Na visão de Comte, o altruísmo era, portanto, o domínio dos instintos egoístas do ser humano: a capacidade de se preocupar com os outros para além de si mesmo.

Ao formular o termo, o filósofo também criou três categorias para o altruísmo: apego, veneração e bondade.

O apego, segundo a definição de Comte, é o laço afetivo entre os indivíduos.

A veneração é a admiração que as pessoas mais fracas têm em relação às mais fortes ou aos mais velhos.

A bondade, por sua vez, é o sentimento dos mais fortes ou mais velhos em relação aos mais fracos ou mais novos.

Altruísmo e Psicologia

O conceito de altruísmo é abordado na Psicologia Positiva, que busca entender as origens da felicidade e as emoções positivas.

Martin Seligman, diretor do Centro de Psicologia Positiva da Universidade da Pensilvânia e um dos precursores da área, relaciona o altruísmo com a bondade.

Nessa visão, os outros são tão importantes quanto o próprio indivíduo, e a bondade vai além do prazer pessoal: é colocar-se a serviço de quem está à nossa volta.

No livro Character, strengths and virtues (Editora Oxford, 2004), Martin Seligman e Christopher Peterson dizem que o altruísmo geralmente contrasta com o egoísmo.

“Um altruísta age intencionalmente para o bem do outro como um fim em si, ao invés de um meio para o reconhecimento público ou o bem-estar interno”, explicam.

No entanto, esse não é um consenso entre as linhas da psicologia.

O conceito também é trabalhado na Psicologia Social, ciência que estuda a maneira como as pessoas pensam, influenciam e se relacionam entre si.

Mas ao contrário da área estudada por Seligman, a Psicologia Social observa o altruísmo de forma crítica, ao afirmar que ele geralmente é motivado pelo desejo de gratificações.

É o que explica o psicólogo David Myers, no livro Psicologia Social (Editora McGraw-Hill, 2014).

“A teoria das trocas sociais pressupõe que ajudar, assim como outros comportamentos sociais, é motivado por um desejo de maximizar gratificações, que podem ser externas ou internas”, aponta.

Segundo Meyers, o comportamento prestativo é influenciado por normas, que estimulam os indivíduos a agirem de determinadas formas.

No entanto, ele faz uma ressalva: além da ajuda motivada por gratificações, poderia haver um altruísmo verdadeiro, que seria baseado na empatia.

O altruísmo em nossa sociedade

altruista em nossa sociedade

Você sente que as pessoas ao seu redor são altruístas?

Vivemos em uma sociedade marcada pelo individualismo, pelo consumo e pelo capitalismo.

Veja, por exemplo, como são as relações de trabalho.

Em um mercado cada vez mais competitivo, não é raro encontrar pessoas que pensam apenas no próprio sucesso.

Mesmo que, para isso, levem em conta somente a si mesmas e os seus desejos para o futuro.

Ou, então, observe as crises políticas ao redor do mundo: políticos que utilizam verba pública em benefício próprio, sem pensar no coletivo.

Esses exemplos seriam razões para crer que não existe mais altruísmo, não é mesmo?

Mas, por outro lado, pense nas ONGs que se dedicam a causas sociais, com objetivo exclusivo de ajudar os outros, sem receber dinheiro em troca.

Observe a solidariedade das pessoas frente a tragédias, desastres naturais ou eventos de alta comoção popular.

Nesses momentos, o sentimento de comunidade é mais forte, e as pessoas se sentem encorajadas a ajudar quem precisa.

As ações solidárias, como já vimos, estão relacionadas ao altruísmo.

E elas não precisam ser grandes ações.

Pequenos gestos de ajuda entre as pessoas no cotidiano podem contribuir para uma sociedade mais altruísta.

Preocupar-se com os problemas sociais, que impactam comunidades, também uma forma de exercer o altruísmo coletivamente.

Como você pode ver, dependendo do ponto de vista, podemos chegar a diferentes respostas para a pergunta inicial deste tópico.

Mas isto é certo: o altruísmo sempre será necessário na sociedade.

No livro Altruism: the power of compassion to change yourself and the world (Editora Hachette, 2015), o monge budista Matthieu Ricard diz que, no mundo contemporâneo, o altruísmo é mais do que nunca uma necessidade urgente.

“É uma manifestação natural da bondade humana, para a qual todos temos potencial, apesar de múltiplas e geralmente egoístas motivações que nos percorrem e, às vezes, dominam nossas mentes”, afirma.

Como se tornar uma pessoa mais altruísta?

como se tornar uma pessoa mais altruista

Agora que você conhece a origem do termo e o seu significado, que tal saber como se tornar uma pessoa mais altruísta?

Confira abaixo oito ações que você pode colocar em prática para agir com altruísmo:

Desenvolver empatia com as pessoas

Se colocar no lugar do outro é uma ação que pessoas altruístas fazem constantemente.

É dessa forma que elas levam em consideração os sentimentos e emoções das pessoas ao tomarem decisões e ao agirem.

Isso está diretamente relacionado com a empatia.

É o ato de pensar como se você estivesse no lugar do outro, refletindo sobre como se sentiria em relação a alguma situação vivenciada por ele.

Sem empatia, é praticamente impossível compreender os outros e ajudá-los.

A empatia é que nos faz deixar de sermos egoístas em relação a quem está à nossa volta.

Ajudar as pessoas genuinamente sem querer nada em troca

Para exercer o verdadeiro altruísmo, é preciso que você ajude as pessoas sem esperar uma recompensa.

Fazer algo pelo outro sem esperar que ele retribua favores posteriormente.

O altruísmo precisa ser genuíno, e é assim que pessoas com essa característica agem.

Elas não realizam suas ações pensando no que vão receber em troca.

Apenas desejam ajudar e ver outras pessoas felizes e satisfeitas.

Se importar com os problemas do mundo

Desastres ambientais, miséria, fome, guerras e crises políticas.

Tudo isso está presente no mundo.

Se importar com essas questões é uma das maneiras de fomentar o altruísmo.

O mais importante é que, a partir disso, você desenvolverá o pensamento crítico que leva em conta a convivência em sociedade, não apenas os seus próprios desejos e necessidades.

Isso é fundamental para que o espírito de solidariedade e colaboração prospere entre as pessoas.

A partir de reflexões sobre problemas do mundo, você encontra formas de agir e de fazer a sua parte para contribuir.

Também é assim que você poderá identificar causas com as quais deseja se engajar.

Desenvolver a solidariedade pelo próximo

Embora seja um pouco diferente, a solidariedade está diretamente relacionada ao altruísmo.

Por isso, ser mais solidário no dia a dia é uma estratégia para ser mais altruísta.

Isso vai desde ajudar em causas sociais, participando de projetos voluntários, a pequenas ações no dia a dia, como ajudar alguém que esteja ao seu lado, por exemplo.

Ajudar o próximo e ser solidário é que algo que pode contribuir para sua própria felicidade.

Se todas as pessoas buscassem ser solidárias, grandes mudanças na sociedade poderiam ser feitas.

Evitar julgar e ter preconceitos

O altruísmo, por meio da empatia, é a capacidade de se colocar no lugar do outro.

Para isso, é fundamental que você descarte julgamentos e preconceitos.

Não é possível compreender outra pessoa se você já tiver em mente barreiras contra ela.

Isso só acontece quando você entende que aquela pessoa tem uma história de vida diferente da sua e que pode não ter tido as mesmas oportunidades que você.

Por isso, é natural que cada indivíduo tenha a sua própria bagagem e lide de diferentes maneiras em uma determinada situação.

Fazer atos de generosidade

Ser generoso significa pensar no bem-estar do próximo.

Isso nem sempre quer dizer que você vai ter que abrir mão de algo em prol do outro.

Às vezes, investir apenas o seu tempo para ajudar uma pessoa que esteja precisando de alguma coisa já é um ato generoso.

É dar para o outro algo que, geralmente, não vai fazer falta para você.

Lembre-se de que um ato generoso depende, muitas vezes, apenas da sua iniciativa de ajudar.

Dar valor a suas amizades verdadeiras

Você já reparou que os amigos verdadeiros são aqueles que desejam ver o sucesso um do outro?

Essa é uma característica do altruísmo.

Em uma amizade verdadeira, sentimentos de proteção, generosidade e solidariedade sempre estão presentes.

Um amigo sempre quer ver o bem do outro, não é mesmo?

Por isso, ele não mede esforços na hora de auxiliar um amigo que está precisando de alguma coisa.

Essa vontade genuína de ajudar e ser generoso é o que faz da amizade uma relação construída a partir do altruísmo.

Ter gratidão

A gratidão é um sentimento que ajuda em todos os aspectos da vida, inclusive se você quiser ser mais altruísta.

Seja grato por poder ajudar os outros, mesmo que você não receba nada por isso.

Tenha gratidão todos os dias, pois isso aumentará a sua felicidade e direcionará a sua mente para pensamentos positivos.

Você terá uma perspectiva mais animadora sobre a sua própria vida.

A gratidão é uma forma de emanar energias positivas para o universo.

Com isso, sem dúvidas, você sentirá mais vontade de ajudar os outros, pois o seu próprio bem-estar estará garantido.

O coaching e o altruísmo

o coaching e o altruismo - altruista

Se você quer desenvolver o altruísmo, além de colocar em prática as dicas acima, vale a pena conhecer o coaching.

Realizar um acompanhamento em sessões com um coach qualificado é investir no seu processo de desenvolvimento pessoal.

Como vimos anteriormente, o altruísmo, para Auguste Comte, é o domínio sobre os instintos egoístas.

Mas nem sempre isso é fácil, pois é preciso ter muita inteligência emocional para lidar com os seus sentimentos em relação aos outros.

Nisso, o coaching, sem dúvidas, pode ajudar.

O coach aborda diferentes ferramentas para que você tenha mais domínio sobre as suas emoções, além de autoconhecimento.

A proposta é que você reconheça seus pontos fortes e fracos e, assim, saiba como trabalhá-los para chegar aos seus objetivos.

O processo de coaching também pode ajudar trazendo exercícios de empatia, incentivando-o a se colocar no lugar de outras pessoas.

Lembre-se: tudo o que contribui para o autoconhecimento reflete no seu desenvolvimento.

Se você desenvolver o altruísmo, portanto, controlar os seus sentimentos e exercer a empatia são os primeiros passos.

Conclusão

altruista - conclusao

E agora, já tem um caminho traçado para ser uma pessoa altruísta?

Primeiro, é importante olhar para si mesmo e resolver o emaranhado de emoções que atrapalham no dia a dia.

Só assim, com autoconhecimento, é que você poderá enxergar o outro – e suas necessidades.

Com um pouco de esforço diário e pequenas ações solidárias a quem está ao seu redor, você poderá exercer o altruísmo.

Nessa jornada, tenha em mente que desenvolver essa característica pessoal pode trazer muitos benefícios para a sua vida.

Embora seja desafiador controlar as emoções negativas e o egoísmo, essa iniciativa vai ajudá-lo a se conectar mais às outras pessoas e a se desprender de suas limitações para fazer o bem em qualquer situação.

Para acelerar essa transição, não se esqueça de você pode contar com o auxílio de um coach.

Esse processo pode gerar o autoconhecimento e o planejamento de vida que você está precisando neste momento.

Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas suas redes e deixe um comentário abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *