Por Villela da Matta:

A crise econômica pode ser o motor propulsor para o sucesso do seu negócio

Queixar-se da crise é uma constante. É evidente que o atual cenário brasileiro não está facilitando nem um pouco a vida dos empresários, mas… Cá entre nós, será que podemos atribuir todos os nossos males e mazelas à nossa peculiar e pouco estimulante realidade nacional?  O fato é que, embora a crise afete todo mundo, afeta uns mais do que outros. Os mais afetados, é claro, são os negócios que já vinham apresentando fragilidades antes de a crise se instalar no país. Isto é, já estavam manifestando sinais de “crise antes da crise”, embora, em muitos casos, seus proprietários não estivessem percebendo isso – ou, pelo menos, não perceberam quão sério a coisa toda poderia se tornar.

E quais seriam, exatamente, os sinais de “crise antes da crise”? Se você pensou em dificuldades financeiras, pense de novo. Se o problema chegou às finanças, não estamos mais falando de “sinais”, mas de deficiências que já se instalaram a ponto de fazer a empresa sangrar. Os sinais que você deve procurar, aquilo que realmente leva uma empresa à morte, atende pelo nome de baixa performance. É esta a rachadura no concreto que, se passar despercebida ou for largada à própria sorte, com o tempo e com a ação das intempéries (no lugar de intempéries você pode ler, por exemplo, “crise brasileira”) levará o prédio inteiro a ruir.

Crise - Por Villela da Matta: Como identificar os sinais de que sua empresa pode estar rumando para a crise – e o que fazer

A baixa performance organizacional é insidiosa. É fundamental reconhecê-la logo de início a fim de combater seus efeitos deletérios. Contudo, não é fácil identificar seus primeiros sintomas – aliás, há uma boa possibilidade de que eles passem batidos. Como sair dessa sinuca de bico? É para isso que existem os bons e velhos KPIs – key performance indicators,  ou indicadores-chave de desempenho. Os KPIs são os “detectores de fumaça” da sua empresa, indicadores seguros de que um incêndio pode estar a caminho. São eles que começarão a movimentar as forças que, cedo ou tarde, – mais cedo do que tarde, se agravadas por outros fatores – vão dar as caras no balanço financeiro da empresa sob a forma daqueles indesejáveis e irritantes resultados negativos.

A boa notícia, porém, é que os KPIs emergem de contextos internos que você pode controlar. Como empresário, eu sei que não é fácil estabelecer e monitorar KPIs, identificar as ações mais eficazes para cada situação, gerar engajamento e senso de urgência entre os colaboradores e, também, proporcionar-lhes meios de desenvolver as competências exigidas para lidar com o contexto que por ora se apresenta. Porém, como empresário e business coach, eu sei que isso é possível. E sei porque já vi acontecer em muitas empresas com as quais colaborei como business coach.  Ao passar por um processo como esse, você pode vir a perceber que o seu negócio possui fragilidades que talvez você ainda não tivesse notado. Mas, confie em mim quando digo isso: para superar cada fragilidade que até então passava indetectada, você pode encontrar forças que nem imaginava possuir.

Esse artigo é parte de uma coletânea escrita por Villela da Matta e publicada no boletim “Liderança em tempos de crise”. Para ler o boletim na íntegra e ter acesso a um conteúdo exclusivo com abordagens inéditas sobre a crise, é só clicar no botão abaixo. Tenha uma boa leitura!

BAIXAR GRATIS