competição interna

A política de competição interna tornou-se cada vez mais comum no acirrado mercado de trabalho

O sucesso da carreira profissional exige etapas sucessivas de vitórias. Ingressar na universidade, conseguir o emprego dos sonhos e alcançar a posição de líder de uma corporação são méritos conquistados ao longo de uma série de disputas. Com a forte tendência de redução de funcionários, a política de competição interna tornou-se cada vez mais comum no acirrado mercado de trabalho.



A prática inclui premiação ao “empregado do mês”, promoção de concursos entre os departamentos ou trabalhadores de um mesmo setor, bem como métodos de avaliação de desempenho, na qual apenas um número pequeno de colaboradores pode receber nota máxima e a devida recompensa.

Prós e contras da competição

Muitos gestores acreditam que a disputa entre funcionários é benéfica para o sucesso da empresa e evolução dos liderados, uma vez que a bonificação por atividades individuais pode estimular reações saudáveis:

– Aumento da produtividade;

– Desenvolvimento do processo criativo;

– Fortalecimento da autoconfiança e maior prazer por novos desafios.

competição colaborativa

A competição pode ser positiva se os participantes tiverem espírito colaborativo

No entanto pesquisas recentes têm mostrado uma realidade diferente. Em alguns casos, cria-se um sistema extremamente competitivo no qual colaboradores passam a ser identificados pelos rótulos de “vencedores” ou “perdedores”, gerando um ambiente hostil, além de outras desvantagens como:

– Inibição da aprendizagem: com a preocupação em vigiar o “concorrente”, acaba-se distraindo a atenção e desperdiçando a energia que deveria ser empregada na busca por novos conhecimentos e no aperfeiçoamento de habilidades;

– Perda da autoestima: o acúmulo de “derrotas” sucessivas acaba causando ansiedade e falta de autoconfiança. Acreditar no próprio potencial é fundamental à motivação de equipe;

– Ausência de cooperação: a noção de ajuda mútua entre colegas é comprometida devido à batalha acirrada pelo êxito das tarefas, que gera inveja e atitudes imorais, entre outros males;

 Por que trabalhar em equipe?

A competição pode ser positiva se os participantes tiverem espírito colaborativo. Em vez de ver o colega como inimigo, cada membro deve assumir responsabilidades em função de um objetivo comum: crescimento profissional e sucesso da organização.

Uma boa maneira de estimular a colaboração e solidariedade no ambiente corporativo é criando sistemas de premiação coletiva, em que todos os funcionários podem ser recompensados pelo cumprimento das metas.

Além de melhorar a produção, essa iniciativa também resgatará a autoestima do grupo. Assim, com trabalho em equipe e motivação, os esforços deixam de ser isolados para juntos atuarem a favor do êxito da empresa e da carreira individual.