perda de estímulo no trabalho

Os motivos para a perda de estímulo são os mais diversos e podem estar relacionados a conflitos pessoais ou, mais comumente, originados do cotidiano estressante

Acordar para ir ao trabalho parece uma tortura. Já na labuta diária, as horas parecem congelar. Em casa, ao contrário, a noite passa muito rápido. A identificação com essa rotina pode revelar sinais de desmotivação profissional. Prevenir e tratar as causas desse problema são ações fundamentais para quem deseja desenvolver carreiras e negócios.

Com cada vez mais responsabilidades e exigências, é comum perceber que as energias estão se esgotando mesmo depois de um período de férias. Os motivos para a perda de estímulo são os mais diversos e podem estar relacionados a conflitos pessoais ou, mais comumente, originados do cotidiano estressante dentro da própria empresa.

Engana-se quem imagina que a insatisfação financeira é o principal entrave dos colaboradores. Para a maioria dos profissionais, especialmente os da geração Y (nascidos entre as décadas de 1980 e 1990), o reconhecimento individual e de seu grupo, além de oportunidades de desenvolvimento, são fatores fundamentais para a manutenção do interesse por seu posto de trabalho.

Além da falta de reconhecimento e de planos de carreira, o convívio com gerentes autoritários, ausência de planejamento organizacional e baixos salários, aparecem entre as principais queixas de profissionais desmotivados. É comum que os problemas provocam uma reação em cadeia, um círculo vicioso alimentado pela insatisfação pessoal. Compartilhada no ambiente de trabalho, a aversão provoca desde a queda do rendimento da equipe a pedidos frequentes de demissão.

Mas antes de solicitar o desligamento, o profissional deve identificar as causas de seus conflitos desmotivadores em busca das soluções para se reposicionar na carreira. Neste caso, deverá entender que a motivação precisa ser renovada individualmente e estimulada entre os companheiros de trabalho. Determinar objetivos claros, desenvolver ações colaborativas e aceitar desafios podem contribuir para a mudança.

desmotivação no trabalho

Colaboradores, líderes e organização. Todos os integrantes da empresa devem atuar em sinergia para a manutenção de um clima organizacional saudável.

 

Dispostos a reverter a perda de capital humano, os líderes também devem assumir um compromisso com a gestão da carreira. Estabelecer um canal aberto de comunicação com seus profissionais é parte fundamental do processo para retenção de talentos. Ouvir sem julgamentos e prover soluções personalizadas para as queixas expostas são algumas ações indispensáveis para quem deseja consolidar uma dinâmica de motivação.

Colaboradores, líderes e organização – todos os integrantes da empresa – devem atuar em sinergia para a manutenção de um clima organizacional saudável. Substituir chefes por líderes, planejar e definir funções, estimular o relacionamento harmônico e manter um plano de carreira atualizado, são ações estratégicas para a longevidade das corporações. Tratados como parceiros do negócio, os funcionários certamente manterão um compromisso diário com o sucesso do negócio.

 

Gostou do artigo? Curta e compartilhe com seus companheiros de labuta!

 

Crédito Imagens:

http://www.msarh.com.br/

http://www.portaldostrabalhadores.com.br/