Avaliação pode ajudar estudantes a decidir qual carreira seguir. 

Por Fernanda Viola.

O momento de decidir qual curso que irá prestar é um dos mais difíceis na vida de muitos jovens. Essa é a hora que eles devem optar por qual caminho querem seguir com suas vidas profissionais, mas muitos ficam em dúvida em meio à tantas oportunidades e acabam recorrendo ao processo de orientação vocacional.

Segundo Renato Pradillas, membro da SBCoaching, essas avaliações são importantes apoios para os estudantes nesses momentos de dúvida. “A orientação dá um norte para que eles tenham mais ferramentas e possibilidades na hora de tomar uma decisão tão importante como a de seguir por essa ou aquela carreira”, explica.

Normalmente, a orientação vocacional consiste em uma série de aproximadamente 50 perguntas de múltipla escolha e uma entrevista a fim de identificar todas as aptidões do indivíduo que está sendo avaliado. A partir das respostas, é gerado um relatório de perfil, no qual são indicadas algumas profissões que mais se encaixariam com o candidato.

No entanto, é importante lembrar que, muitas vezes, o teste pode resultar em opções totalmente distintas. Pradillas conta que aos 17 anos usou desse tipo de avaliação para apoiar a sua escolha. “Engenharia, turismo, agronomia e professor foram as profissões sugeridas no meu relatório”, conta. Orientação vocacional

Quando isso ocorre, o coaching explica que o estudante precisa basear-se em alguns critérios para fazer a escolha. “É preciso levar em consideração a sua aptidão, a rentabilidade que você terá e a atividade que você mais se identifica e gosta”, exemplifica. Além disso, buscar informações e vivenciar a rotina de cada profissão pode ajudar na decisão final. Pradillas cursou engenharia, trabalhou na área por muitos anos e, hoje, trabalha como coaching, carreira que ele considera uma espécie de professor, uma vez que ensina técnicas para que seus clientes possam se desenvolver em suas vidas profissionais.

 

Fonte: Abílio Diniz