Trabalho e Maternidade

0
50
mãe trabalho filho
Conciliar vida profissional e maternidade não é tão fácil, mas existem muitos meios para isso hoje em dia.

Saiba como lidar

Trabalho e Maternidade - Vida Profissional e Maternidade - mãe trabalho filho
Conciliar vida profissional e maternidade não é tão fácil, mas existem muitos meios para isso hoje em dia.

A presença feminina no mercado de trabalho tem crescido bastante. De acordo com a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS 2011) do Ministério do Trabalho e Emprego, o nível de emprego com carteira assinada para as mulheres cresceu 5,93% em comparação a 2010. Houve também um aumento nos salários: 4,94% para elas e 4,74% para eles. O maior avanço nas carreiras profissionais femininas tem sido nas atividades de administração pública, restaurantes, atendimento hospitalar e até mesmo na área de construção civil.

Dois fatores que colaboraram para essa ascensão são o aumento do nível de instrução feminino e a queda da fecundidade. Conciliar vida profissional e maternidade não é tão fácil, mas existem muitos meios para isso hoje em dia. A mulher que deseja realizar-se nos dois âmbitos precisa estar atenta aos seus direitos e ter profissionalismo para separar o papel de mãe e o de trabalhadora quando for necessário.

O que deve ser feito?


  • A empresa e a funcionária precisam respeitar e seguir a legislação trabalhista. O mais indicado é criar um acordo flexível que agrade a ambos.
  • No período de pré-natal, a gestante tem direito à dispensa do trabalho com justificativa médica.
  • Até o quinto mês após o parto, a empresa não pode demitir a funcionária, exceto por justa causa.
  • Nos casos em que o bebê nasce de forma prematura, a lei permite que a mãe reduza dois períodos de 30 minutos de seu trabalho para amamentar o filho. A legislação também dá à profissional o direito ao salário-maternidade, e o valor é recompensado à empresa por meio dos recolhimentos do INSS.
  • Com o nascimento da criança, a corporação e a funcionária precisam organizar um horário para que ninguém seja prejudicado.
  • A legislação prevê a licença-maternidade, que corresponde a 120 dias, contados após o parto ou 28 dias antes, de acordo com a necessidade de mulher. Esse período deve ser respeitado pela empresa.
  • Com o retorno ao trabalho, as novas mães devem procurar organizar-se para continuar trabalhando e atendendo às exigências da carreira profissional a fim de não comprometer o desenvolvimento da companhia.
Trabalho e Maternidade - Vida Profissional e Maternidade - executiva trabalho filha
Flexibilidade é a palavra de ordem para as mães da atualidade. 

Por essa inserção cada vez maior das mulheres no mercado, muitas adiam a realização da maternidade, mas especialistas da área dizem que não é preciso haver essa privação. É possível que elas continuem com o seu trabalho e sua independência financeira sem deixar de realizar-se na vida pessoal. Flexibilidade é a palavra de ordem para as mães da atualidade. Conversar com os superiores sobre os horários, organizar-se e definir prioridades e metas são requisitos básicos que devem ser seguidos pelas profissionais que desejam ter filhos.

Compartilhar
AnteriorAtitudes que devem ser evitadas no ambiente de trabalho
PróximoVivendo por um propósito
Villela da Matta é fundador e presidente da Sociedade Brasileira de Coaching e presidente da SBCOACHING Corporate. Um dos maiores especialistas em business coaching do país, Villela da Matta atuou em organizações como Mercedez-Benz , Deutshe Telekom e participou da formação de mais de 20 mil coaches em mais de uma década de trabalho dedicado ao desenvolvimento do potencial humano, tornando-se conhecido pelo estilo único de transformação de alto impacto. É o primeiro master coach do Brasil, publicando os títulos “Estratégias Avançadas de Vendas” e “Engajamento Total” em parceria com Flora Victoria e Brian Tracy.

DEIXE UM COMENTÁRIO