nível satisfação emprego

O maior problema de alguns profissionais hoje em dia é o fato de não trabalharem com aquilo que realmente gostam.

Para quem é o seu trabalho? Seu serviço é uma contribuição? Quem você ajuda? Quem já avaliou o nível de satisfação no emprego com certeza já fez uma dessas perguntas a si mesmo. O maior problema de alguns profissionais hoje em dia é o fato de não trabalharem com aquilo que realmente gostam. Esse tipo de frustração torna o ambiente corporativo insustentável e aumenta muito o estresse com o serviço.

A satisfação com o trabalho implica diretamente no rendimento do profissional. Por isso, quem ama o que faz, tende a ser mais produtivo e sente-se ainda mais entusiasmado com as tarefas a cada realização. Já aqueles que trabalham apenas por necessidade, sentem apenas alívio ao terminar um afazer.


Diferença entre alívio e realização

Existem dois tipos de profissionais no mercado: os que dizem “Ufa!” no fim de cada trabalho e os que dizem “Oba!” na mesma circunstância. Quando um indivíduo trabalha apenas pelo resultado, sem se importar com a execução da atividade, ele só consegue sentir alívio ao concluir o serviço. Afinal, seu único objetivo é ver-se livre do trabalho.

Em contrapartida, os profissionais que se dedicam àquilo que fazem, executando as atividades com prazer e qualidade, encaram os desafios como uma oportunidade de crescimento e alcançam quase sempre os resultados mais positivos. Sendo assim, é compreensível que a turma do “Oba!” tenha mais facilidade para construir uma carreira profissional de sucesso.

O que fazer para tornar-se um profissional realizado?

Saber diferenciar a qual grupo o seu trabalho pertence é fundamental não só para a sua trajetória profissional, mas também, para a sua carreira pessoal, que sofre as consequências diretas do estresse e pela falta de motivação.

desenvolver autoconhecimento

Vontade de alcançar novos objetivos e de melhorar os resultados a cada nova conquista.

Todavia é preciso analisar com cuidado a situação, pois, nem sempre o problema está na profissão. Você pode ter o cargo que sempre quis e mesmo assim sentir-se insatisfeito com o trabalho, por não estar devidamente preparado para assumir as responsabilidades que a função exige. Por esse motivo, desenvolver seu autoconhecimento é fundamental.

Quando você passa a conhecer melhor seus pontos fracos e fortes, fica mais simples lidar com as diferentes situações que surgem no ambiente de trabalho. Ou seja, fica mais simples transformar “ufas” em “obas” e o que antes era apenas um alívio passa a ser uma realização, aumentando a vontade de alcançar novos objetivos e de melhorar os resultados a cada nova conquista.