Uma metáfora sobre atitude: Ação é lancha e Comportamento é transatlântico

Mudar o comportamento é como mudar o rumo de um Transatlântico.

Pense numa lancha. Você está pilotando, marzão à frente, e de repente decide mudar de rumo, dobrar à esquerda. Você gira o leme e zás, a lancha muda a trajetória na hora.

Agora pense num transatlântico. Você está pilotando, marzão à frente, e de repente decide mudar de rumo, dobrar à esquerda. Você gira o leme e nada de zás, o transatlântico não muda a trajetória na hora – vai levar um bom tempo para que isso aconteça.

O nome da lancha é Ação. O nome do transatlântico é Comportamento.

As ações, boas ou ruins, são imediatas como mudar o trajeto de uma lancha. Você vai à festa, corta o cabelo, se matricula na academia, começa a escrever aquele livro, evita o próximo cigarro.

Os comportamentos, por outro lado, mudam lentamente como o rumo do navio. Você é otimista ou pessimista, tem confiança no seu taco ou não tem, gosta de ser você ou se abomina, coloca o respeito por si próprio em primeiro lugar ou depende da aprovação dos outros.

Se observar atentamente, você perceberá que todo resultado, em qualquer área da vida, é fruto de algum comportamento – ou seja, do rumo do nosso transatlântico. Se os resultados que você anda colhendo, portanto, não são os que você deseja, é preciso mudar o comportamento. Essa é a chave de qualquer mudança existencial duradoura.

E para mudar o rumo do navio, há duas coisas a fazer. A primeira é dar-se conta desse mecanismo, da diferença entre ação e comportamento, entre a lancha e o navio. A segunda coisa é acumular ações em seu favor até que elas se tornem um hábito fortalecedor. Movas sua lancha para a esquerda de novo e de novo, outra e outra vez, todos os dias, em pequenas atitudes que quebrem o padrão antigo e introduzam um novo padrão. Com o tempo, esses pequenos movimentos acumulados, moverão o grande navio do comportamento também para a esquerda.

Mas comece agora!