Coaching para Emagrecimento - Especifique Objetivos

Por Liliane Oppermann

Quando uma pessoa precisa emagrecer, muitas vezes ela não sabe o que está por trás desta necessidade ou vontade.

Pude perceber que o objetivo simplificado em números, como por exemplo perder 10kg, deixa o processo frouxo, ao passo que se o objetivo for pautado no que ela vem a ganhar com a perda dos 10kg, aí sim agrega- se valores que dão consistência ao processo.

A primeira regra é deixar claro o que se deseja especificamente dentro de um contexto. Na definição do contexto é importante colocar o número de quilos a perder ou o peso que se quer chegar, assim como o tempo para isso acontecer.

Também é necessário estar formulado de forma positiva e alcançável. Por exemplo: quero perder 10kg chegando aos 60kg para minha estatura de 1,65m em um prazo de 3 meses.

Já uma pessoa que pesa 50kg para a mesma estatura, querendo perder os mesmos 10kg, é possível estarmos diante de um quadro de transtorno alimentar, o que faz da situação não funcional para o coaching.

A segunda regra é a evidência: listar evidências de que a pessoa conseguiu atingir o peso, como o número do manequim que estará usando ou o estilo que se permitirá com o novo formato corporal.

A próxima regra são os fatores motivadores. Quais os benefícios que a perda de peso pode lhe proporcionar.

Aqui é comum serem listados os ganhos estéticos em primeiro plano, e em segundo a melhora da saúde. Lembrando que uma melhor autoestima acaba impactando em diversos aspectos da vida, como no relacionamento, família, carreira e até espiritualidade.

Coaching para Emagrecimento - Especifique Objetivos

Não menos importante, a quarta regra é levantar fatores sabotadores. O que ela perde ao atingir um peso menor. Questões como perder a liberdade de comer o que quiser e o quanto quiser são avaliadas, afinal se o peso muda, os hábitos também mudam. E quando se questiona se a perda de peso afeta negativamente outras pessoas, aqui podem surgir grandes surpresas. Muitas mulheres se mantem gordas para não desencadear ciúmes no marido e ao emagrecerem perdem esta tranquilidade.

Assim como muitos homens gostam de se sentir enquadrados na família obesa, como um código de pertencimento, ou seja, se o pai, os tios, irmãos são obesos e tem hábitos propícios à obesidade, o emagrecimento para ele significa se distanciar desta família ou ainda excluí-los.

A quinta regra de grande relevância são os valores. Quais os valores a pessoa irá satisfazer quando perder tantos quilos e por que isso é importante. Mais uma vez volto a enfatizar que o resultado não é o número em si, mas tudo o que a autoestima e a leveza conquistada possibilitarão.

A regra número 6 é a dos recursos. O que a pessoa vai precisar para perder peso. Recursos financeiros para se consultar com um médico ou nutricionista, fazer exames clínicos caso não tenha convênio, comprar medicamentos se forem necessários, pagar uma academia ou um personal trainer, ou ainda, comprar um bom tênis para correr na rua, e também recursos financeiros para fazer um coaching focado no emagrecimento.

Já recursos como conhecimentos e métodos, os profissionais consultados trarão outros recursos como habilidade de aprender estes conhecimentos e colocá-los em prática.

A sétima regra: estratégias. As formas para conseguir perder peso. Se a pessoa precisa perder 20kg, questione-a se ela conhece alguém que já perdeu 20 ou mais quilos e como ela conseguiu. Atualmente estamos vivendo a era das blogueiras do emagrecimento.

Um fator positivo nisso é a inspiração que elas trazem. É bom selecionar um blog consistente para se inspirar. Elas costumam contar sua trajetória, sentimentos e isso faz com que a pessoa não se sinta a única obesa do mundo.

Muitas mostram exercícios e receitas. É valido, mas para ser seguro é indicado estar em acompanhamento profissional.

Oitava regra: ações. Qual será o seu plano de ação. Perder peso exige um bom plano e aqui é importante a ajuda profissional, pois vai desde o plano alimentar ao de exercícios.

E na sequência, a nona regra que visa definir o primeiro passo. Consultar o médico ou iniciar um coaching? Matricular-se na academia ou comprar uma esteira? Não importa o que vem primeiro, mas sim, dar o primeiro passo será de grande valia.

Responsabilidade é a regra de número 10. Depende de quem para que seu objetivo seja realizado?

E se os recursos escassos começarem a limitar, uma boa pergunta é: o que você pode fazer para que este objetivo dependa de você para ser iniciado hoje e mantido por você?

E para finalizar as regras, qual o grau de comprometimento em realizar isso. Otimizar o grau de comprometimento é um bom desafio ao coach, afinal os resultados são diretamente proporcionais a ele.