Os riscos estão associados aos mais diversos ramos profissionais e nas mais simples ações do nosso dia a dia.

Os riscos estão associados aos mais diversos ramos profissionais e nas mais simples ações do nosso dia a dia.

(por Claudia Hölter)

 Há um velho ditado que diz: “a corda sempre arrebenta do lado mais fraco”. A expressão que remete à percepção de culpa, além de literalmente fazer menção à situação de risco, como por exemplo, a ameaça de acontecer um acidente em uma corda acrobática circense.

Os riscos estão associados aos mais diversos ramos profissionais e nas mais simples ações do nosso dia a dia. Como consequência podem surgir tanto a incerteza (em poder realizar ou não o que se propôs a arriscar), como a culpa, caso aconteça o inesperado.

Essa ambiguidade, entre o sentido do possível e do improvável, depende de uma percepção subjetiva do risco, como cada indivíduo o percebe, como cria soluções práticas para preservar tanto a sua integridade física, como intelectual e emocional.

Para ajudar você a entender melhor essas questões, ilustramos a seguir uma história verídica, ocorrida nos Estados Unidos e a solução encontrada para o jogo da culpa:

… uma dupla de acrobatas, em cordas aéreas de um circo-teatro de Nova Iorque, conseguia levar a plateia ao êxtase no momento de suas manobras mais perigosas. E os aplausos que ressoavam, logo em seguida, traduziam um alívio de vitória sobre o risco enfrentado pela dupla. Em uma dessas manobras radicais, há mais de 7 metros do chão, uma das acrobatas não alcança a ponta da corda e cai.

De quem foi a culpa ?

Em conversa com o psicólogo organizacional e executive coach Ben Dattner, autor do livro O jogo da culpa, ele me explicou que fora recomendado para atender a dupla após o acidente, ajudando-os a solucionar a questão do sentimento de culpa e das identificações projetivas que passaram a depositar uma sobre a outra como recurso de defesa.

Em O jogo da culpa (2011), Dattner sugere uma pequena e significativa mudança: a troca de funções.  A acrobata responsável pela criação das coreografias passaria a executar o negócio circense em si, enquanto a sua colega assumiria as coreografias.

Quais os benefícios que esta mudança trouxe para a melhoria do relacionamento pessoal e profissional entre elas?

1º) Conscientizaram-se sobre o valor de seus talentos e habilidades na construção da parceria de negócio;

2º) Estabeleceram um senso de empatia, passando assim a dar crédito as contribuições que cada uma possuía;

3º) Passaram a ter uma dinâmica de trabalho positiva que as ajudaram a iniciar o processo de reconstrução do relacionamento pessoal e profissional.

É importante estar preparado para reconhecer os riscos inerentes de cada atividade e saber controlá-los, a fim de garantir a segurança, a integridade individual e coletiva.

É importante estar preparado para reconhecer os riscos inerentes de cada atividade e saber controlá-los, a fim de garantir a segurança, a integridade individual e coletiva.

Para finalizar, entendemos que os riscos, bem como as incertezas, estão presentes em todos os momentos da vida. Logo, é importante estar preparado para reconhecer os riscos inerentes de cada atividade e saber controlá-los, a fim de garantir a segurança, a integridade individual e coletiva, bem como o êxito no trabalho. Agindo assim, caminharemos sem culpa e melhoraremos nossas atitudes diante dos desafios que a vida nos traz.