Identidade profissional ou ocupacional resiliente.

Identidade profissional ou ocupacional resiliente.

(Por Claudia Hölter)

Particularmente, tenho acompanhado alguns relatos de pessoas acerca das dificuldades em progredirem em um mercado profissional cada vez mais exigente. As barreiras que enfrentam ao longo de suas carreiras, na tentativa de alcançar posições mais altas  nas organizações, mesclam-se, as vezes, com suas dificuldades em construir esforços necessários para o seu ingresso ou permanência em um cargo de liderança. A esta questão de empecilhos explícitos e implícitos, que norteiam a vida profissional de grande parte dos brasileiros, acrescenta-se um outro elemento: a crise de identidade profissional. O que você tem feito para construir uma identidade profissional ou ocupacional resiliente?

Rodolfo Bohoslavsky, especialista e teórico em orientação profissional, explica que a identidade profissional é “um aspecto da identidade do sujeito, parte de um sistema mais amplo que a compreende, e é determinada na relação com toda a personalidade”. Sugere, ainda, que a identidade profissional pode ser compreendida  como “a autopercepção” ao longo da carreira, em termos de papéis ocupacionais (Bohoslavsky, 1987, p.55).

Nós, coaches, temos nos questionado a respeito da crise de identidade profissional que alguns colaboradores têm relatado em decorrência das demandas bem reduzidas em algumas profissões, que, por sua vez  já se tornaram obsoletas ou desnecessárias; enquanto outras surgem para suprirem as altas exigências do mercado atual. Qual a sua autopercepção ocupacional dentro desse cenário?

–  Pode-se dizer que, no primeiro momento, o sentimento de “inutilidade” pode provocar uma grande insatisfação nas pessoas, quando percebem que seu trabalho não mais contribui para o crescimento organizacional.

–  Para outros, no entanto, a falta de reciclagem na área de formação e preparo para concorrer no atual mercado de trabalho, pode causar sensação de frustração, baixa autoestima e pessimismo em relação as suas chances de realização profissional.

Entende-se que  as profissões se reciclam ao longo do tempo para se adaptarem as atuais  inovações científicas e tecnológicas, mas o fato é que  ainda há muitos profissionais  que precisam  desenvolver essa característica, qual seja: adaptabilidade.  Não é mais possível ignorar os desafios de adaptação que vêm ocorrendo mundialmente, uma vez que certamente têm influenciando o processo de crescimento profissional dos indivíduos e a capacidade dos gestores em mobilizar suas equipes  para o trabalho de adaptação. Você gostaria de ter uma identidade profissional resiliente, fluida, capaz de se adequar diariamente em diferentes contextos de trabalho ?

As profissões se reciclam ao longo do tempo para se adaptarem as atuais  inovações.

As profissões se reciclam ao longo do tempo para se adaptarem as atuais inovações.

“O mais recente entendimento, baseado na neurociência, na psicologia e em múltiplos estudos sobre profissionais de alta performance, é que a resiliência pode ser construída e desenvolvida como qualquer outra capacidade mental ou física” (Nancy Glynn).

Finalizo, sugerindo-lhe um processo de positive coaching como intervenção para desenvolver a sua resiliência.

Até a próxima e boa sorte!