palavra resiliencia

O nível de resiliência de um indivíduo determinará quem terá sucesso e quem se perderá pelo caminho

 

(Por Daniela Assunção)

“Mais do que educação, mais do que experiência, mais do que treinamentos, o nível de resiliência de um indivíduo determinará quem terá sucesso e quem se perderá pelo caminho. Isso é verdade para pacientes com câncer, é verdade para atletas olímpicos, e é verdade para executivos e empreendedores na sala de reunião”, afirma Dean Becker num artigo de 2002 da Harvard Business Review.

Resiliência, portanto, é a habilidade de controlar sua resposta a situações física ou mentalmente estressantes. Esse conceito vem inicialmente da física, que afirma ser esta a capacidade de um material voltar ao seu estado normal depois de ter sofrido tensão. Isso vale para nós, como seres humanos, no que tange a situações sobre as quais não temos controle e nos forçam a ir além dos nossos limites. O lado positivo é sermos “obrigados” a nos reconhecer e encontrar forças onde talvez não imaginássemos ter.



Depois de uma situação limite ou totalmente desconhecida, como sair de um emprego com o qual você já não está satisfeito há muito tempo, mas o mantém por segurança ou tomar conhecimento de uma doença degenerativa, qual seria a sua primeira reação? E, passado o primeiro impacto com essa nova realidade, como você se imagina dando sequência à vida? De onde tiraria suas forças?

Pode parecer difícil imaginar situações assim, mas pense em algo mais frequente, como visitar um país sem saber muito bem o idioma e acabar tendo que por em prática outras habilidades para que possa se comunicar, ou ser chamado para uma excelente oportunidade de trabalho num lugar de cultura totalmente diferente da sua. Situações assim nos mostram que, apesar de não termos consciência de todas as nossas capacidades, elas existem ou podem ser desenvolvidas.

O aspecto mais interessante da resiliência é que não precisamos ficar a mercê de situações geradas por fatores externos para aumentarmos nossa potencialidade de ação. Podemos nos antecipar e passar a CRIAR essas oportunidades de crescimento. Então, um ponto importante quando trabalhamos com autoconhecimento e realização de objetivos é identificar esses pontos de tensão, pois eles muito provavelmente representam oportunidades de desenvolvimento e superação. Seria impossível um maratonista, por exemplo, completar seus 10 ou 100km se ele não fosse pouco a pouco treinando e melhorando seu condicionamento físico.

zona de conforto

A resiliência está relacionada também a nossa zona de conforto

Isso vale, portanto, para habilidades físicas, emocionais, relacionadas a relacionamentos ou mesmo a empresas ou um país inteiro que precise se restabelecer após uma crise. A resiliência está relacionada também a nossa zona de conforto. Manter-se nessa condição conhecida sem permitir-se experiências que possam gerar algum desconforto no início, mas também muitos prováveis ganhos é um convite ao insucesso e à estagnação.

Existem diversas formas de se trabalhar e ampliar a resiliência em nossas vidas. Um primeiro passo pode ser identificar o que o tem impedido de atingir seus objetivos, será que falta maleabilidade em alguma área? Você tem percebido alguma limitação ao lidar com algum tipo de situação específica? E qual é exatamente essa dificuldade?

Sair da zona de conforto intencionalmente pode dar-se através de experiências que promovam essas novas possibilidades em sua vida, mas também parte do princípio de permitir-se pensar diferente, ter novas crenças a respeito do que quer que seja.

Ter foco no futuro, trazendo do passado apenas seus aprendizados, manter-se motivado, desenvolver o autocontrole assumindo a responsabilidade por sua vida e aprender a lidar com as suas emoções são outras maneiras de se fazer isso.

Portanto, seja flexível! E quando não puder sê-lo, identifique quais são seus limites e o que pode fazer para amplia-los. Isso pode certamente contribuir para o seu progresso pessoal e profissional.

Forte abraço e até a próxima semana!