Existem duas atitudes internas, ao longo da vida, que podem trazer muitas decepções, frustrações e angústias: tentar controlar o incontrolável e não tentar controlar o controlável.

Existem duas atitudes internas ao longo da vida: tentar controlar o incontrolável e não tentar controlar o controlável.

(por Mariana Viktor)
Existem duas atitudes internas, ao longo da vida, que podem trazer muitas decepções, frustrações e angústias: tentar controlar o incontrolável e não tentar controlar o controlável.

A atitude mais inteligente, então, é fazer apenas o que se pode fazer e não deixar de fazer o que pode ser realizado. Enquanto isso, “solte” o que não depende de você porque você só pode fazer o que pode fazer.

E aí você se pergunta “o que faço”? A resposta está aqui.

Tirar o foco do problema e parar de se preocupar é a atitude mais inteligente e sensata.

– Como assim? Se eu parar de me preocupar, perderei o controle sobre os acontecimentos!

Depende do ponto de vista.

A preocupação costuma girar em torno do que não podemos controlar, já notou? E, neste caso, ela não é apenas ineficaz, mas causa ansiedade e tensão – é um ladrão de energia que nos dá a sensação ilusória de poder controlar o incontrolável. Se você precisa vender seu carro, por exemplo, pode fazer tudo o que estiver ao seu alcance para promover a venda – comunicar aos amigos, anunciar no jornal, publicar nas redes sociais e até montar um blog atraente para facilitar a divulgação, mas você não pode obrigar as pessoas a comprar seu carro. Essa é a parte incontrolável.

E o que acontece quando o foco vai para a solução?

Imediatamente você coloca o computador mais fabuloso do mundo a seu serviço: “A decisão consciente de agir, um evento que associamos com livre-arbítrio, só é tomada depois que o estímulo à ação já foi iniciado no cérebro”. Este trecho interessante é do livro Bem-vindo ao seu Cérebro (Editora Cultrix), dos neurocientistas Sandra Aamodt e Sam Wang.

Ao focar na solução você para de perder energia reclamando e passa a agir.

Ao focar na solução você para de perder energia reclamando e passa a agir.

Além de contar com a ajuda do seu computador pessoal, ao focar na solução você para de perder energia reclamando e passa a agir – repare como a reclamação é apenas um substituto muito ineficaz para a ação. E, melhor: vai diminuir sensivelmente o grau de preocupação com o incontrolável, justamente porque você sabe que está fazendo a sua parte.

O resto é com o Invisível. Com o Incontrolável.

Quando você faz a sua parte com eficiência, o Universo conspira a favor. Aliás, ele sempre conspira a favor, como disse Henry Ford: “Se você pensa que pode ou se você pensa que não pode, de qualquer forma você tem toda a razão”.

Então, diante do problema que tem tirado o seu sono, o que você pode fazer e não está fazendo?