Ele Me Deixou - Dicas para Seguir a Vida - SBCoaching - Mesmo se amanhã ele voltar arrependido, confessando que pisou na bola, as coisas não serão mais como antes.

Mesmo se amanhã ele voltar arrependido, confessando que pisou na bola, as coisas não serão mais como antes.

(Por Marco Beck)

Lidar com o choque da separação repentina é um dos momentos mais difíceis para a mulher. Para o homem também, se ele é pego de surpresa, mas para a mulher existem outras complicações: os filhos que geralmente ficam com a mãe, a questão da idade é culturalmente mais pesada para ela, até o olhar dos outros, de pena ou de censura, pesa mais – “coitada, e agora como será?…” ou “ele foi procurar fora o que não encontra em casa…”

A sensação você já conhece ou imagina: é como ver-se de repente num beco escuro, numa estação vazia, como cair numa armadilha ou levar uma rasteira da vida.

Mesmo se amanhã ele voltar arrependido, confessando que pisou na bola, as coisas não serão mais como antes: a confiança se foi, a parceria se desfez, instalou-se o medo de que tudo se repita.

Que droga, né?

Depende do ponto de vista.

Se seu ponto de vista é o de que você perdeu, foi derrotada, de que os outros têm razão no que cochicham… bem, então é como se não existisse escolha senão entregar os pontos e ter pena de si mesma.

Se seu ponto de vista é o de que você não se deixará derrotar, mesmo sofrendo, de que a separação serviu para amadurecê-la e de que, volte o fulano ou não, você usará a experiência como um estímulo pra ficar do seu lado, então você tem escolhas e é protagonista da própria vida ao invés de mera coadjuvante.

Uma dos pressupostos fundamentais da Programação Neurolinguística (PNL) – cujas técnicas servem de alicerces do Coaching – diz que ter uma escolha é melhor do que não ter nenhuma e ter mais escolhas é ser mais livre. Em outras palavras, quanto mais possibilidades de escolha você incluir no seu ponto de vista sobre a vida, mais forte e dona do próprio nariz você se sentirá, mesmo no beco escuro de uma separação.

– Sim, mas como aumento minhas possibilidades de escolha num momento de dor?

Talvez (já considerou essa possibilidade?) a vida não tenha lhe dado uma rasteira.

Talvez (já considerou essa possibilidade?) a vida não tenha lhe dado uma rasteira.

Um jeito eficaz de aumentar suas escolhas é fazer perguntas ao contrário. Por exemplo, ao invés de perguntar “o que eu perdi quando ele foi embora” ou “o que eu ganho se ele voltar”, experimente estas perguntas:

  • O que eu ganhei quando ele foi embora?
  • O que eu perco se ele voltar?

Responda de coração aberto, sendo muito sincera com você mesma, e você perceberá NA HORA que o beco não é tão escuro assim e que talvez (já considerou essa possibilidade?) a vida não tenha lhe dado uma rasteira.