Em que estágio do desafio você está?

Em 2016, você terá novos (e enormes) desafios

Estamos chegando ao final de 2015, um ano ímpar na história do Brasil com suas contradições político-econômicas, mas prestes a deixar uma lição de como podemos mudar o rumo dessa prosa, a começar por nós mesmos.

Em tempos difíceis como estes que estamos vivendo, precisamos nos posicionar como indivíduos dotados de criatividade e trabalhar com os elementos que estão interagindo em nossos desafios, para que possamos passar pela crise e alcançar nossos objetivos. Sendo que esse tempo que levamos desde a identificação do objetivo até o fato consumado, ou melhor, a realização concreta do nosso  objetivo, há um processo que é vencer desafios.

O que você tem feito para vencer os desafios do seu processo de melhoria? Quais os elementos que estão interagindo com os seus desafios?

Identificamos alguns elementos de ação, que você pode escolher para interagir melhor com os seus desafios ao longo dos diferentes estágios do seu processo:

  • Estágio I – Levante-se: fisicamente falando, você pode estar em uma posição errada. Só o fato de levantar-se da sua cadeira, já é uma mudança de posição. É preciso mudar. Mude ao menos a sua postura e saia da zona de conforto.
  • Estágio II – Persista: o que você deseja só poderá ser alcançado se você persistir e não desistir na primeira dificuldade. Então empregue uma energia a mais em tudo que fizer, quantas vezes for necessário, até que consiga chegar ao fim de cada etapa, que o levará ao estágio final do seu processo.
  • Estágio III – Coragem: as circunstâncias ao seu redor podem ser difíceis, mas seja forte e corajoso, porque a coragem requer de você a resistência e o domínio do medo, mas não a ausência total do medo. Diga para você mesmo agora – Eu não vou desistir, cheguei até aqui e não vou parar, estou tremendo mais que vara verde, mas vou sair dessa para melhor!!

         Todos nós temos um projeto pessoal, um objetivo de melhoria, o qual atua como nosso ponto de partida. Para alguns, esse objetivo ainda não saiu do papel, talvez ainda permaneça sufocado pelo medo. Mas, à medida que tomamos consciência dos elementos de ação, começamos a fazer aquilo que realmente acreditamos. Segundo Brian Tracy, a lei da crença é reversível:

“como suas ações são uma expressão de suas crenças, e é possível controlá-las, você pode indiretamente moldar e controlar suas crenças. Envolvendo-se nas ações que são consistentes com as crenças que quer desenvolver, você pode, com o tempo, desenvolver essas crenças, da mesma forma como desenvolve músculos levantando pesos. Por exemplo, se de fato acredita que seu destino é ter sucesso máximo em sua área, e você caminha, fala, age e se comporta todos os dias exatamente da maneira como uma pessoa de grande sucesso agiria, você acabará desenvolvendo a mentalidade de um vendedor de alta performance”. (TRACY, B. Estratégias avançadas de vendas. p.62)

E é, justamente, a realização do potencial humano que o processo de coaching se propõe a desenvolver. Com a ajuda de técnicas e ferramentas validadas pelas neurociências, o profissional coach o ajudará a sair da inércia e começar a agir. Esse é o potencial a ser realizado durante um processo de coaching.

Por fim, deixo-lhe um exercício que pode ser feito ainda antes do fim de 2015. Determine um objetivo de melhoria que almeja alcançar em 2016. Boa sorte, Deus abençõe sua vida e Feliz Ano Novo!