homem braços abertos

A busca por vitórias e conquistas é uma das grandes motivações que temos.

(Por Fernando Colella)

Basta uma rápida olhada pela seção de autoajuda de qualquer grande livraria para perceber a enormidade de títulos sobre o sucesso. O mesmo vale para as bancas de revistas, blogs especializados e toda uma infinidade de publicações que parecem nos empurrar cada vez mais para uma das grandes obrigações de nosso tempo: ser bem sucedido, custe o que custar. Quantas vezes não somos profundamente pressionados pela obtenção do sucesso na vida profissional, pessoal, social, intelectual, familiar, financeira, e em tantas dimensões da vida quanto pudermos conceber? Muitas vezes a pressão externa – seja de familiares, amigos, chefes ou da sociedade – acaba sendo fator de angústia quando não conseguimos atingir as expectativas que nos são colocadas, mas o quadro se torna ainda mais sério quando nós nos tornamos o principal agente de cobranças pelos resultados pessoais que não chegam.

Evidentemente, ninguém deseja colecionar fracassos, e a busca por vitórias e conquistas é uma das grandes motivações que temos para que nossa vida não seja vivida em vão. A questão aqui é compreender o que essa demanda pelo sucesso significa exatamente para cada um de nós, e o que podemos fazer para que ela seja um fator de motivação contínua, e jamais de estresse ou frustração. Muitas vezes o que nos falta é uma clareza sobre o significado pessoal do sucesso. Há pessoas que associam o sucesso a uma carreira bem sucedida ou a conquista de posições de liderança, há os que o relacionam à fama, e há ainda aqueles que medem o sucesso pelos bens materiais conquistados. Mais do que teorizar sobre vitórias ou fracassos, meu convite aqui é para que reflita sobre a seguinte questão: “o que é o sucesso para você?”

O grande filósofo grego Aristóteles definiu o sucesso como “alcançar a felicidade”. E sobre felicidade, ele próprio afirmou que trata-se de “ter algo o que fazer, ter algo que amar e algo que esperar”. Trocando em miúdos, poderíamos dizer que o sucesso está relacionado às escolhas que alguém faz buscando realizar algo que ama. A beleza contida nesta visão do sucesso é que ele torna-se assim profundamente identificado aos nossos valores. Não basta ter êxito em algo, ainda que isso possa parecer virtuoso para outras pessoas, um grupo ou toda uma sociedade. O sucesso virá a partir de conquistas verdadeiramente importantes para quem as realizou.

Em outras palavras, um objetivo alcançado que esteja desalinhado aos valores de quem o traçou, por mais grandioso que seja, não pode ser considerado um caso de sucesso. Metas atingidas que sejam importantes para outros e desimportantantes para quem as obteve, tampouco. E menos ainda, propor-se objetivos medíocres porque podem ser alcançados com maior facilidade do que aquilo que realmente faria diferença em sua satisfação pessoal. Pense por um instante nos maiores casos de sucesso que puder se lembrar, e poderá notar que todas essas pessoas possuem em comum um forte senso de propósito. São indivíduos que conhecem seus valores pessoais e relacionam seu sucesso a algo que, para eles, fará de alguma forma a diferença no mundo em que vivem.

homem parede fechadura

Crer na possibilidade da conquista é um ato de coragem.

Pessoas assim nos inspiram e motivam, e servem de referência quando pensamos em desistir de algo importante por parecer difícil demais. Por vezes, o medo de fracassar é tão grande que acaba se transformando em inércia. De fato, não há garantias de sucesso, mas certamente há garantias de fracasso. Não começar, não tentar, ter a certeza da derrota antes de considerar possibilidade do sucesso, são boas formas de evitar a trabalhosa tarefa de ser bem sucedido. O medo não é necessariamente um problema, trata-se de um mecanismo natural de autopreservação que pode nos levar à prudência e moderação. O problema não é ter medo, mas ser covarde. Ter senso de propósito está sempre relacionado à coragem de fazer, de dar o primeiro passo, apesar do risco de insucesso. E coragem não é ausência de medo, mas seu enfrentamento.

Crer na possibilidade da conquista é um ato de coragem. Não há êxito possível e nem manutenção de sucesso obtido sem uma forte crença positiva envolvida. Crenças positivas fazem toda a diferença, nos estimulam e movem em direção às metas. Mahatma Gandhi disse certa vez que “as nossas crenças se transformam em pensamentos, nossos pensamentos se transformam em palavras, nossas palavras se tornam ações, nossas ações se tornam hábitos, nossos hábitos se tornam valores e os nossos valores revelam o nosso destino”. É impossível encontrar alguém bem sucedido em qualquer área da vida que não acreditasse verdadeiramente poder alcançar esse sucesso antes de chegar lá.

Longe de querer ensinar fórmulas de sucesso ou servir apenas de caráter motivacional, o objetivo deste artigo é convidá-lo à simples reflexão. Quem sabe, neste ponto, você esteja se perguntando: “que ato de coragem me falta para que eu possa me aproximar um pouco mais de meu modelo de sucesso?”. Ou ainda: “que crenças preciso trabalhar para superar a inércia, e dar o primeiro passo rumo aos objetivos que realmente têm importância para mim?”. E se, por algum instante, essas poucas palavras tiverem contribuído minimamente para gerar algum questionamento dessa natureza, é com satisfação que direi ter chegado ao meu ideal de sucesso para este texto.