Temos muita dificuldade de colocar e manter o foco no que, de fato, interessa.

Temos muita dificuldade de colocar e manter o foco no que, de fato, interessa.

(Por Sandra Rosenfeld)

Algo que parece tão simples no primeiro momento mostra-se, no entanto, bastante complexo no nosso dia a dia. A maioria de nós sabe onde deveria colocar o foco, porque então é tão difícil fazermos isso?

Temos muita dificuldade de colocar e manter o foco no que, de fato, interessa. E, afinal, o que interessa? A resposta é simples: o que vai nos permitir atingir nossos objetivos da forma mais breve possível.

Queremos ter paz e equilíbrio emocional, no entanto, uma das coisas que podem nos desestabilizar bastante, nos deixando irritados, angustiados e ansiosos é não priorizar o que é prioridade. Isto serve para tarefas e relacionamentos.

Deixar para segundo plano nosso par ou nossos filhos, por exemplo, pode trazer transtornos, brigas, decepções e culpas. E não há nada que atormente mais do que culpa.

Deixar para segundo plano tarefas profissionais também pode causar inúmeros aborrecimentos chegando até a perda de clientes, negócios ou aquele cargo esperado.

Quanto menos colocamos foco no que interessa, mais curto fica nosso tempo, mais difícil administrar nossa vida.

Busque o que possa leva-lo a administrar de forma produtiva a si mesmo .

Busque o que possa leva-lo a administrar de forma produtiva a si mesmo .

Hoje é muito fácil dispersar. Temos tantos chamados externos para “supostas” importantes interações. Nossos celular e computador não param de avisar que chegou mensagens de todos os lados, Face, Twitter, e-mails, Linkedin, etc etc etc.

Quantas vezes num dia desviamos o foco para outra coisa irrelevante, atrasando assim nosso dia e nossa vida?  Quantas vezes, sem nos darmos conta, interrompemos nossas ideias, nosso raciocínio, para dar uma “relaxada” que nos faz retroceder no tempo, já que é comum perdermos o fio da meada?

Está tudo ao nosso alcance apenas a um clique. Mas tudo o que? Aí está a questão. Já se sabe que o simples ato de falar no celular pode viciar e já é notório que muitas pessoas não conseguem mais se manter longe das redes sociais, seja onde e com quem estiver. Estão viciadas, mas não se dão conta.

É preciso usar nossa sabedoria para que toda essa tecnologia atual sirva para nossa independência e crescimento e não o contrário.

A internet, com os seus recursos, quando bem utilizada, é uma maravilhosa ferramenta. Mas é necessário que comecemos a nos dar limite quando, com o que, onde e quanto tempo gastar nela.

Se para grande parte não é fácil se concentrar, administrar o tempo e saber distinguir entre o que é prioridade, o que é importante e o que pode ser feito depois, imagina quando ainda incluímos como urgentes em nosso tempo cada vez mais precioso e, portanto, mais caro, atividades que podem e devem ser relegadas a último plano?

Se você consegue se ver nesse contexto, procure ajuda imediata para tomar as rédeas de sua vida hoje e, portanto, do seu futuro. Busque o que possa leva-lo a administrar de forma produtiva a si mesmo e, consequentemente, a sua vida profissional, financeira e pessoal. É aí que mora a sua liberdade, o equilíbrio e a paz, que com certeza, todos almejamos.

Por onde começar? Há várias opções. O coaching e a meditação, comprovadamente, são duas delas.