Coaching - Uma Arma na Batalha Contra a Obesidade

Estudo a obesidade desde de 1997 e trabalho com emagrecimento há 10 anos. Percebo que estamos vivendo um momento onde poucas novidades para emagrecimentos

estão surgindo, embora haja grandes estudos em andamento.

Alguma medicações foram proibidas, outras que deveriam ser empregadas para outros fins acabam sendo usadas para o emagrecimento, por ser este um efeito colateral.

E concomitante a tudo isso, nunca se falou tanto em dietas, aparelhos para gordura, novas modalidades esportivas, entre outros. Uma coisa é certo: o mundo está engordando. A tecnologia fornece a inércia. Antes andávamos mais à pé, íamos ao correio, à supermercados e levantávamos do sofá para ligar a TV ou atender ao telefone.

Hoje para tudo existe um botão, para assistir a um filme, para ligar para o Disk comida, Disk compras ou Disk roupas. Tudo se faz sentado diante de um computador. Você vende coisas, fala com quem quiser em qualquer lugar do mundo e até cursos se faz pela internet.

A ideia parece nos favorecer no sentido de abreviar as coisas e ganhar tempo. Mas é impressionante a capacidade do ser humano em acumular tarefas sobrando ainda menos tempo para atividades físicas e alimentação saudável.

Não bastando todo o sedentarismo da era moderna, as refeições são cada vez mais fast, mais industrializados com mais calorias, mais açucares, mais gorduras, mais sódio e um monte de palavras diferentes discriminadas nos rótulos.

As cobranças da sociedade para com o ser humano e as auto cobranças geram stress, transtornos do sono, doenças que nunca ouvimos falar como Fibromialgia, síndrome do pânico, e outros.

Confesso que eu enquanto profissional de saúde procurada na maioria das vezes por motivos relacionadas ao peso, vejo que o peso é somente a ponta do iceberg. E me sentia bastante limitada a introduzir novos hábitos de vida e alimentação saudável, diante de tantas prioridades que a pessoa é obrigada a dar na sociedade atual.


Coaching - Uma Arma na Batalha Contra a Obesidade

O coaching me fez enxergar caminhos e suas ferramentas me capacitaram a introduzir uma alimentação melhor e um tempo para exercícios a meus pacientes tão atribulados.

Quem me procura não é só mais paciente, mas também meu coachee.

E o que é ainda mais gratificante é ver que além dos melhores resultados adquiridos com relação à saúde e peso, muitos me contam que depois da aplicação  de uma determinada técnica, melhoraram na vida familiar, profissional e até espiritual.

Estou feliz em compartilhar minha satisfação profissional e pessoal e quero no decorrer do ano apresentar situações e técnicas que utilizei como nutróloga e coach para mostrar a riqueza de possibilidades que ele traz em quaisquer que sejam as áreas de atuação.

Estudo a obesidade desde de 1997 e trabalho com emagrecimento há 10 anos.

Percebo que estamos vivendo um momento onde poucas novidades para emagrecimentos estão surgindo, embora haja grandes estudos em andamento.

Alguma medicações foram proibidas, outras que deveriam ser empregadas para outros fins acabam sendo usadas para o emagrecimento, por ser este um efeito colateral.

E concomitante a tudo isso, nunca se falou tanto em dietas, aparelhos para gordura, novas modalidades esportivas, entre outros. Uma coisa é certo: o mundo está engordando. A tecnologia fornece a inércia. Antes andávamos mais à pé, íamos ao correio, à supermercados e levantávamos do sofá para ligar a TV ou atender ao telefone.

Hoje para tudo existe um botão, para assistir a um filme, para ligar para o Disk comida, Disk compras ou Disk roupas. Tudo se faz sentado diante de um computador. Você vende coisas, fala com quem quiser em qualquer lugar do mundo e até cursos se faz pela internet.

A ideia parece nos favorecer no sentido de abreviar as coisas e ganhar tempo. Mas é impressionante a capacidade do ser humano em acumular tarefas sobrando ainda menos tempo para atividades físicas e alimentação saudável.

Não bastando todo o sedentarismo da era moderna, as refeições são cada vez mais fast, mais industrializados com mais calorias, mais açucares, mais gorduras, mais sódio e um monte de palavras diferentes discriminadas nos rótulos.

As cobranças da sociedade para com o ser humano e as auto cobranças geram stress, transtornos do sono, doenças que nunca ouvimos falar como Fibromialgia, síndrome do pânico, e outros.

Confesso que eu enquanto profissional de saúde procurada na maioria das vezes por motivos relacionadas ao peso, vejo que o peso é somente a ponta do iceberg. E me sentia bastante limitada a introduzir novos hábitos de vida e alimentação saudável, diante de tantas prioridades que a pessoa é obrigada a dar na sociedade atual.

O coaching me fez enxergar caminhos e suas ferramentas me capacitaram a introduzir uma alimentação melhor e um tempo para exercícios a meus pacientes tão atribulados.

Quem me procura não é só mais paciente, mas também meu coachee.

E o que é ainda mais gratificante é ver que além dos melhores resultados adquiridos com relação à saúde e peso, muitos me contam que depois da aplicação  de uma determinada técnica, melhoraram na vida familiar, profissional e até espiritual.

Estou feliz em compartilhar minha satisfação profissional e pessoal e quero no decorrer do ano apresentar situações e técnicas que utilizei como nutróloga e coach para mostrar a riqueza de possibilidades que ele traz em quaisquer que sejam as áreas de atuação.