CORPO PERFEITO: EXISTE UM MODELO DE CORPO PERFEITO?

Não existe corpo perfeito: busque o seu próprio estilo, sem pressões, modelos e preconceitos.

A busca excessiva pelo corpo perfeito vira do avesso a cabeça, principalmente das mulheres. Mas a pergunta é? Qual é exatamente o corpo perfeito? Quem é a inspiração? Porque ela foi “selecionada” como o padrão a ser seguido?

Já é óbvio que a maioria das mulheres se inspiram em celebridades de destaque nas mídias, mas a verdade, é que esse destaque muda de tempos em tempos, sempre dependendo da fama do momento. Assim como as “dietas da moda”, acredito que existam as “mulheres do momento”, e isso, é muito ruim para as pessoas leigas, que buscam por algo que nem sempre podem conseguir, porque cada um tem um tipo de organismo, genética, estilo de vida, etc.

LINHA DO TEMPO DOS PADRÕES E BELEZA

Não muito longe, nos anos 70, a magreza extrema foi incorporada ao ideal de beleza da época. Considerada a primeira Top Model do mundo, Twiggy Lawson dita um novo estilo. Mulheres sem barriga, sem seios, sem bunda e com pernas finas. Esse era o padrão a ser seguido.

Anos depois, Madonna foi exemplo de corpo musculoso e definido, o que também acabou se tornando por um determinado período, o padrão estético perfeito. Logo em seguida, volta a ditadura da magreza, também representada pela modelo brasileira mais bem paga do mundo, Gisele Bünchen, só que com mais curvas femininas, ressaltando uma aparência mais saudável.

Já nos anos 2000, entra a geração das “panicats”, que são as dançarinas do Programa Pânico na TV. Corpos extremamente avantajados, barriga negativa com seios fartos, pernas grossas e bumbum grande. Recentemente também podemos destacar as blogueiras fitness, que ganharam um espaço enorme nas mídias sociais, conquistando milhões de seguidores com dicas, posts e fotos do seu dia a dia.

Diante de tudo isso, continua a pergunta: afinal, qual é o corpo perfeito? Com tantas mudanças, porque somos “obrigados” a seguir o padrão estipulado para sermos aceitos na sociedade?

É claro que a mídia tem hoje um papel fundamental na imposição de tais padrões e o desejo de fazer parte desse grupo tido como “ideal de beleza” faz com que as pessoas cometam exageros e façam coisas erradas para sua saúde. É preciso entender que esse conceito é, evidentemente relativo, como podemos ver na própria história. Porém, ainda assim, a grande maioria continua seguindo os padrões ditados pela sociedade.

O primeiro e mais importante é procurar por especialistas que possam denominar o que será bom ou ruim pra você, que alimentação seguir, que exercício fazer, etc. Não podemos nunca apenas seguir o que a outra pessoa faz, porque cada um é cada um. Depois disso, procure buscar o seu próprio estilo, sem pressões, modelos e preconceitos. O modelo de beleza ideal é sermos saudáveis, e, principalmente, estarmos felizes com nós mesmos.