Tem um Dom Juan no bolso do seu amor - As pessoas passam mais tempo com os celulares do que na companhia de seus parceiros.

As pessoas passam mais tempo com os celulares do que na companhia de seus parceiros.

(Por Marco Beck)

– Amor…

– Ei, Amor!

– EI, AMOR!!!

– Hã?…

O pequeno diálogo acima deve ser hoje o mais frequente do planeta. As três primeiras falas são ele (ou ela) chamando ela (ou ele); a terceira fala é ela (ou ele) despertando do transe hipnótico chamado smartphone.

Exagero?

Não. Uma pesquisa realizada pela Mobile Life 2013 Report e divulgada em junho de 2013, constatou que as pessoas passam mais tempo com os celulares do que na companhia de seus parceiros. A média é de 119 minutos diários dedicados ao smart e 97 minutos para a pessoa amada – 30% a mais de tempo para o Dom Juan de bolso (ou a Dona Juana).

Mas o que atrai tanto a atenção do meu amor no smartphone? Segundo o relatório, os três principais sedutores são, pela ordem, as redes sociais, música e games.

Tem um Dom Juan no bolso do seu amor - Como competir com o Dom Juan de bolso?

Como competir com o Dom Juan de bolso?

Não é novidade que celular e redes sociais viciam. O que vale perguntar, do ponto de vista do Coaching, é: o que as redes sociais e os smartphones têm que o meu amor não tem?

E o pior é que, seja qual for a sua resposta – debochada, séria, preocupada, nem aí – ela fará sentido. Como competir com o Dom Juan de bolso?

Deixo vocês pensando nisso e encerro porque acabo de receber uma mensagem no celular…

Fui!