Se a prática leva à perfeição, o que tem praticado?

Como seria a vida se você se transformasse num mestre ninja do querer-se bem?

Com isso quero dizer duas coisas: que a excelência é fruto da prática mais do que de qualquer talento inato, e que todo comportamento é aprendido.

Se os resultados que você anda colhendo na vida não são os desejados, saiba que esses resultados decorrem de um comportamento que você aprendeu um dia, lá atrás. Esse comportamento não está na sua genética e nem é algum obscuro “defeito de fábrica” – foi aprendido dia a dia, imperceptivelmente, nas coisas que você viu, ouviu e aconteceram com você.

 

Se a prática leva à perfeição, o que tem praticado?

Você não gosta de ser você, bota os outros em primeiro lugar, acha que ser feliz é um objetivo inalcançável? É isso que tem praticado? É isso que colherá.

Você gosta de ser você, se coloca como prioridade, acha que merece ser feliz? É isso que tem praticado? É isso que colherá.

Terá razão nos dois casos, porque nosso inconsciente registra como verdade o que é repetido.

Para mudar os resultados só tem um jeito: mudar o comportamento. E para mudá-lo também só tem um jeito: questionar as “verdades” em que você anda acreditando e que o levaram a praticar o não-me-quero-bem até o nível da excelência.