Tudo bem que a semana do Dia dos Namorados é uma data comercial, mas querendo ou não tais ocasiões mexem com a gente, nos fazem refletir, sintonizam sentimentos. Então vou propor uma breve e profunda reflexão neste momento que faz referência à nossa vida afetiva: qual verbo você tem conjugado quando se relaciona com o seu amor – ou até quando está sozinho em busca de alguém? O verbo iluminar ou o verbo cortar?

Uma das mais belas lendas gregas conta a história de Eros – o deus do amor – e Psiquê, uma mulher por quem ele se apaixonou. Ele imortal, ela mortal, era um amor impossível, mas os dois rasgaram o regulamento e se casaram… com uma condição: Psiquê nunca poderia ver o rosto do esposo. Eles só se encontrariam à noite, no escuro, e ao romper do dia Eros iria embora para retornar depois que o Sol se escondesse. Só que as irmãs de Psiquê passaram a fofocar na orelha da moça, afirmando que Eros não era Eros e sim algum ogro horrível – senão, por que esconderia o rosto?

Faca ou Lâmpada: o que você usa primeiro no seu relacionamento?

Desconfiada depois de tanto mimimi (o que é outra lição para muitos casais: não dar ouvidos a fofocas), Psiquê se armou de uma lâmpada e de uma faca – a primeira para ver o rosto do seu amado enquanto ele dormia e a segunda para matá-lo, se fosse um monstro. Ao iluminar o rosto de Eros, Psiquê surpreendeu-se com a beleza do deus e, sem querer, derramou um pouco de óleo quente na pele do marido, que acordou num sobressalto e saiu voando pela janela, dolorido pela queimadura e pela desconfiança de sua amada. Depois ela moveu céus e terra para reencontrá-lo e eles foram felizes para sempre, mas o que interessa perguntar aqui é se você, ao relacionar-se com alguém, carrega uma lâmpada que ilumina ou uma faca que corta.

Em meu trabalho como coach de relacionamento, a toda hora me deparo com os dois verbos. Tem quem se relaciona carregando uma lâmpada para iluminar os mal-entendidos e os cantinhos escuros e ver a verdadeira face do seu amor; tem quem se relaciona de faca na mão, sempre pronto para ferir ao menor desagrado, cortando possibilidades e caminhos que poderiam ser percorridos pelos dois. Para estes, vale pensar que todos têm defeitos e que exigir perfeição é a coisa mais imperfeita que se pode fazer num relacionamento. Para os primeiros, vale lembrar que até carregar uma lâmpada bem-intencionada exige cuidado para não queimar a pele do amor da gente por algum descuido bobo, como uma desconfiança ou injustiça que não condiz com a realidade.

Faca ou Lâmpada: o que você usa primeiro no seu relacionamento?

Que o amor dentro da palavra n(amor)o ilumine o melhor caminho, sempre.