Você pode escolher como reagir - Forçar pensamentos positivos para mudar suas reações pode fazer com que o pensamento torne-se ainda mais resistente.

Forçar pensamentos positivos para mudar suas reações pode fazer com que o pensamento torne-se ainda mais resistente.

(por Mariana Viktor)

Já notou que estamos acostumados a ter reações semelhantes diante de fatos parecidos?

Em muitas circunstâncias isso pode trazer resultados positivos, como quando temos calma pra lidar com pessoas explosivas, ou mantemos a confiança e a proatividade durante fases difíceis. Ter reações favoráveis automatizadas ajuda a simplificar a vida e até a alcançar seus objetivos.

O problema é quando reações que nos prejudicam também estão no piloto automático. Geralmente são comportamentos aprendidos – talvez na infância – para obter o que queríamos ou como meio de autoproteção. Muitas vezes, sem perceber, mantemos esses comportamentos que serviram num determinado momento do passado, mas que hoje podem causar muitos problemas.



Não conversar com estranhos, por exemplo, é recomendável quando somos crianças, mas crescer desconfiando, indiscriminadamente, nos fará perder bons amigos e boas oportunidades. Também pode ser que tenhamos aprendido lá atrás que insistir é o meio mais eficaz de conseguir o que queremos, como adultos, porém, essa atitude pode fechar portas.

Muitos dizem que ”sou assim mesmo e não consigo mudar”. De acordo com o filósofo, escritor e neurocientista americano Sam Harris, ganhador do prêmio PEN/Martha Albrand em 2005, as influências inconscientes seguramente alteram nossos objetivos e comportamentos, o que explica a dificuldade de deixar pra trás um comportamento que não serve mais¹.

Forçar pensamentos positivos para mudar suas reações pode fazer com que o pensamento (e também a reação automática) torne-se ainda mais resistente, conforme este estudo [http://www.spring.org.uk/2009/05/why-thought-suppression-is-counter-productive.php].

Então não há saída?

Claro que há. Novos comportamentos são aprendidos não quando somos criticados ou nós mesmos ficamos chateados com os resultados (foco na vitimização ou cobrança), mas quando tomamos consciência de que uma nova atitude é necessária para evitar mais sofrimento ou alcançar algum objetivo importante (foco na ação positiva). Essa reflexão sobre os efeitos negativos de reações automáticas desfavoráveis e os efeitos positivos de uma nova reação gera uma necessidade emocional que efetivamente conduz à ação. Quando uma nova forma de reagir passa a ser crucial, a mudança fica mais fácil.

O processo de coaching mostra que sempre existem inúmeras possibilidades de novos comportamentos.

O processo de coaching mostra que sempre existem inúmeras possibilidades de novos comportamentos.

O processo de coaching mostra que sempre existem inúmeras possibilidades de novos comportamentos, porque nos ensina a refletir de forma criativa, saindo do círculo vicioso que leva a vitimização, a falta de perspectiva e as resistências.

Veja alguns exemplos de comportamentos negativos que podem estar automatizados e certamente podem ser substituídos por outros, mais positivos:

1. Desanimar e desistir

Eis duas reações que limitam completamente a nossa vida. Se algo que depende apenas de nós não deu certo, foi apenas por falta de tentar da forma adequada. “Não existe fracasso, apenas resultados”, diz Anthony Robbins, famoso escritor e palestrante motivacional.

 

2. Procrastinar

Ocorre quando o que temos a perder parece ser maior do que o que temos a ganhar.

 

 3. Reclamar

Algumas reclamações podem trazer bons resultados, mas o hábito de reclamar de tudo demonstra que aprendemos a prestar atenção apenas no que julgamos serem falhas. O perigo é a “insatisfação eterna”.

 

 

¹(H. Aarts, R. Custers, & H. Marien, 2008. Preparing and motivating behavior outside of awareness. Science 319[5780]: 1639; R. Custers & H. Aarts, 2010. The unconscious will: How the pursuit of goals operates outside of conscious awareness.Science 329 [5987]: 47–50).