Especial de Natal: Tempo para amar!

Natal: época de afetos, encontros e surpresas

Eu quis trazer esta mensagem especial para o período de festas (Natal e Ano Novo) deste ano, algo que fosse próprio para 2015 e que permanecesse válido pelos tempos à frente. Confesso que o desafio não foi simples, mas acredito que tenha chegado a uma solução interessante. A opinião final caberá a cada um dos amigos leitores.

Independente da religião que alguém tenha (ou até mesmo para quem não tem uma declarada religião), é fundamental sempre agradecer aos Céus pelo presente de ter nascido com uma mistura de capacidades que permita vivenciar a criação, o sentimento, a emoção, a espiritualidade e o amor à vida. Além disso, deve-se manter acesa a chama do exercício de todas essas competências e potencializar o relacionamento positivo com aqueles que amamos.

É nesse período de festas que as pessoas transitam de um lado ao outro para encontros e reencontros. O Natal tem a mística da reunião familiar e uma simbologia associada aos sinos.  Se a data celebra o nascimento do menino Jesus, o soar dos sinos existe como celebração complementar da união cósmica do som com a iluminação Divina em favor da Humanidade, em que cada signo da constelação cósmica emite uma vibração particular.

É certo se pensar que o verdadeiro sentimento de união com as pessoas que amamos não pode ficar limitada ao Natal, pois a simbologia da data deve se manter presente em cada pessoa e alimentá-la com esse sentimento, por todo o ano. Depois, por uma tradição que se instituiu, se o Natal é o momento principal da família, a virada do Ano Novo acabou conferindo o mesmo sentimento de aproximação e celebração com relação aos amigos.

Diferentemente do Natal, a virada de ano celebra o fim de um ciclo e o início de outro, trazendo rituais, promessas, esperanças e desejos de que esqueçamos as contingências negativas do passado. No Ocidente, respeita-se o calendário romano criado por Júlio César (46 A.C.), em que o mês entrante chama-se Janeiro, em homenagem a Jano (Deus que tinha uma face voltada para frente e outra para trás, o que fazemos ao deixar o passado e ter fé no futuro).

O que acontece, com extrema frequência, é que nesses dois períodos festivos a pessoa se move de um lado a outro. Seja saindo de sua cidade para visitar parentes em outra, ou mesmo dentro de sua própria cidade, o objetivo é ir ao encontro daqueles que se ama e com quem se deseja compartilhar os momentos de alegria que Natal e Ano Novo permitem viver. Mas, pergunto: você já refletiu sobre o seu sentimento interior enquanto dirige o carro (ou está em um veículo) durante essa “viagem”?

Pois eu quero explorar esse momento peculiar de reflexão, o que nada surpreende em um Coach. Ouçam a música I’m driving home for Christmas, de Chris Rea (é só consultar no youtube), com versão livre que trago para este momento, e aproveitem a linda melodia, o espírito de encontro, a esperança de momentos inesquecíveis, a imaginação de como estarão as pessoas à espera e a celebração da vida com quem se ama. A alegria de chegar bem. Segue o vídeo abaixo com a seguinte mensagem:

Eu estou dirigindo para casa neste Natal. Oh, eu não posso esperar mais para ver aqueles rostos. Eu estou dirigindo para casa neste Natal, sim. Bem, eu estou me movendo e tem sido assim por um bom tempo… Mas eu chegarei lá…

Especial de Natal: Tempo para amar!

No Ocidente, o Natal tem a mística da reunião familiar

Eu canto essa canção para passar o tempo, dirigindo meu carro, dirigindo para casa neste Natal. Ainda vai levar algum tempo, mas eu vou chegar lá. Estou em um congestionamento, com luzes vermelhas de carros em movimento, mas logo vem a autoestrada e então poderei colocar os pés no meu santo lar.

Neste instante, eu canto aqui para você, embora não possa me ouvir enquanto sigo o caminho, mas desse jeito eu sinto você perto de mim.  Eu estou dirigindo para casa neste Natal, dirigindo para casa neste Natal, com mil memórias. Olho o motorista ao meu lado e os rostos são todos iguais, todos são iguais.

Que esse seu caminho para casa seja cheio de boa energia, com encontros e reencontros repletos de felicidade. Mas não deixe também de voltar seu espírito ao tempo mais ingênuo e puro, quando conversava com Papai Noel. O bom velhinho amigo está agora, ao vivo, atendendo pedidos das pessoas que o visitam lá na Finlândia. Transmita seu pensamento positivo para ele encontrar sua cartinha e lhe dar a melhor inspiração para um Ano Novo maravilhoso.

Aproveito para lembrar que, no caminho para casa, dirigir com cuidado e atenção também é uma forma de demonstrar amor até chegar ao esperado reencontro. E também não custa nada tentar pedir para ser muito feliz com os seus novos e futuros encontros em tempos de amar!