A proposta não é ser bom em todos os aspectos da resiliência e sim desenvolver alguns deles, acelerando o crescimento profissional e o equilíbrio na vida.

A proposta não é ser bom em todos os aspectos da resiliência e sim desenvolver alguns deles, acelerando o crescimento profissional e o equilíbrio na vida.

(por Marinaldo Matos)

A proposta não é ser bom em todos os aspectos da resiliência e sim desenvolver alguns deles, acelerando o crescimento profissional e o equilíbrio na vida. E o coaching tem essa envergadura, aprendizagem acelerada para o aumento da performance. Uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) destaca nove passos que avaliam o nível de resiliência dos profissionais:

1. Autoeficácia – É acreditar a capacidade de desenvolver atividades necessárias para a produção de resultados almejados. Somada à autoconfiança, apresenta resultados substanciais para a solução de problemas. É a proatividade. Desenvolver atividades, pensando minuciosamente cada passo a ser desenvolvido, cria habilidades de percepção do comando da situação.

 2. Competência Social – É uma forma de perceber que você não está só no mundo. O indivíduo passa a estar aberto ao apoio, ou ainda, buscar esse apoio em alguém mais capacitado tecnicamente ou emocionalmente. Outra forma é exercitar melhor o ouvir. Experimente ouvir uma pessoa por cinco minutos, sem emitir juízo de valor, sem bloquear o entendimento com seus filtros mentais. É difícil, mas possível. Doar parte do seu tempo e competência vai fazer um bem enorme às pessoas que necessitam, mas o bem maior ficará com sua consciência. Experimente, curta o novo. Milhões de pessoas estão fazendo isso pelo mundo.

3. Empatia – É posicionar-se no lugar do outro para entender melhor a sua visão.

4. Flexibilidade – É ter várias formas de agir ou se manifestar diante das circunstâncias que se apresentam, ao longo do dia, ao longo da vida. Não é questão de agir de acordo com o humor da hora, mas deixar fluir a criatividade. É ser otimista na medida certa e em todas as direções, seja qual for o caminho que tome para resolver a questão. Uma mente aberta à diversidade fica menos vulnerável à pobreza de atitudes. Lembre-se que, por mais fina que seja a fatia, sempre haverá dois lados.

5. Tenacidade – É manter-se firme no propósito, independente da pressão do meio. Para auxiliar nesta caminhada, pense em algo que você persistiu e foi vitorioso, trouxe orgulho a você. Outra forma de ampliar a tenacidade é distanciar-se daqueles que põem você para baixo. Lutero afirmou “você não pode evitar que pássaros voem sobre sua cabeça, mas pode evitar que façam ninho”.

6. Solução de Problemas – Parece óbvio, mas resolver problemas, mesmo que rotineiros, não é o forte das pessoas.  Tendemos a procrastinar alguns itens ao longo das horas. Por vezes até resolvemos as questões, mas é de uma forma automática, não desafiadora. E assim caímos na rotina, no estresse mental. Para adquirir o tônus da solução dos problemas é preciso realçar as estratégias e aguçar a auto visão do “modus operandi”. Com um razoável domínio sobre a forma como você resolve os pequenos problemas, parta para resolver problemas maiores, só pelo desafio.

7. Produtividade – É posicionar-se de forma proativa, com iniciativas certeiras. Os reativos, diante da obscuridade, imprecisões e incertezas do momento, preferem receber o impacto do problema para, em seguida, culpar o chefe, a pressão e a carga de trabalho. Reordene seus pensamentos e amplie o foco nos resultados maiores sem descuidar das pequenas conquistas. A pessoa toma para si a responsabilidade dos seus atos e a consciência de que é dono dos seus resultados.

8. Temperança – Um leão furioso em briga com outro macho é algo pavoroso, mesmo numa jaula. O mesmo animal namorando ou pacientemente sendo alvo das brincadeiras dos filhotes, é  prazeroso, digno de contemplação. Assim é vista a temperança, o controle das emoções diante de situações difíceis. Ela blinda você de explosões violentas de raiva e impulsos indesejáveis. Só existe uma forma de evitar isso, antecipar-se ao momento e sabendo o que dispara este gatilho.  Com a técnica dos seis segundos o que se busca não é ignorar a raiva ou a irritação, mas ter controle do comportamento indesejado. Tendo opção, podemos escolher como reagir diante dos estímulos externos. Estourar antes e se desculpar depois é uma armadilha que deve ser evitada a todo custo. O coach experiente observa logo qual é a característica do coachee, e, sem fazer juízo de valor, promove o autoconhecimento e a aceitação dessa característica. É assim que a mudança começa, e por vezes é imediata.

9. Otimismo – Na escala da FGV, esta competência é o resultado da união da proatividade, a autoeficácia e a competência social. O otimismo pode ser adquirido no exercício de pensar o melhor das pessoas e da vida. A melhor atitude é sempre a mais esperada. Reportagens, programas policialescos e de cunho bizarro devem ser evitados, por mais que sejam uma proposta de realidade. A realidade é composta de muitos matizes, não precisa ser apresentada apenas  com o vermelho do sangue.

 

Em princípio, todos são competentes, mas a resiliência salta aos olhos do cliente quando ele a reconhece no coach que vai atendê-lo. A confiança robustece a parceria das sessões.

Em princípio, todos são competentes, mas a resiliência salta aos olhos do cliente quando ele a reconhece no coach que vai atendê-lo. A confiança robustece a parceria das sessões.

Em princípio, todos são competentes, mas a resiliência salta aos olhos do cliente quando ele a reconhece no coach que vai atendê-lo. A confiança robustece a parceria das sessões. A performance da empresa também precisa ser avaliada. Muitos funcionários de alto escalão se espelham na imagem institucional da companhia. A rapidez e a eficácia com que responde aos acontecimentos de crises e imprevistos, de como avalia riscos. São em momentos difíceis que visualizamos melhor as diferenças entre uma empresa que só pendura quadros com belas palavras e outra, que  compartilha a vida da organização entre os funcionários e consolida o espírito de time, levantando a moral e a união, que pratica a missão, a visão e os valores.  E você é resiliente?