O que você diz é o que você não diz

0
78
As pessoas entendem mais o que não dizemos do que aquilo que sai da nossa boca.
As pessoas entendem mais o que não dizemos do que aquilo que sai da nossa boca.
As pessoas entendem mais o que não dizemos do que aquilo que sai da nossa boca.

(por Marco Beck)

Você sabia que 93% do que você diz é o que você não diz?

Quando nos comunicamos com alguém, só 7% da comunicação vêm das palavras – 38% dependem do tom da voz, da velocidade, do volume e do ritmo da fala, e nada menos que 55% decorrem da expressão facial, do olhar, dos gestos e da postura do corpo. Ou seja, as pessoas entendem mais o que não dizemos do que aquilo que sai da nossa boca.

A conclusão está no livro “Silent Messages” (Mensagens Silenciosas), do psicólogo Albert Mehrabian, professor da Universidade da Califórnia (EUA) e estudioso da linguagem corporal. E, na minha opinião, o cara está coberto de razão.
Quantas vezes minha boca diz uma coisa, mas meu coração diz outra? Quantas vezes digo sim quando a emoção está dizendo que não, ou vice-versa? Quantas vezes, na hora do discurso confiante, o olhar abaixa, a voz treme, o suor escorre na testa?

O outro percebe, claro!

A gente sabe quando o amigo não está bem, ainda que ele diga o contrário. As crianças sentem o clima pesado, mesmo que os pais não discutam na frente delas. Aquele fulano que adora sugar a energia dos outros feito um drácula emocional, sabe direitinho em quem ele pode encostar e quem coloca limite – não precisa conversar.

Por isso, é muito importantíssimo que as nossas palavras correspondam ao nosso sentimento, que elas expressem a nossa verdade. Que nosso querer, nosso pensar, nosso sentir e nosso dizer estejam alinhados, olhando para o mesmo lado. É o que se chama coerência pessoal.

Mas essa coerência não vem de nenhum esforço, de nenhuma luta interior, de nenhum “eu preciso…” ou “eu devo…” ou “eu tenho que…”. Ela acontece ao natural, sem conflito, quando reconhecemos (e respeitamos) o nosso sentir.

O que eu sinto sobre tal assunto? Qual meu sentimento sobre essa situação ou pessoa?

Sentimento, aqui, não quer dizer emoção, choradeira, taquicardia, olhos arregalados. Quer dizer vontade. Qual a minha vontade nessa questão?

Você vai se surpreender ao ver o seu conflito interno diminuir, pois você identificou seu sentimento e agora pode expressá-lo numa boa.
Você vai se surpreender ao ver o seu conflito interno diminuir, pois você identificou seu sentimento e agora pode expressá-lo numa boa.

Quando sua cabeça estiver rodando como um pião, pesando prós e contras, vivendo uma guerra de argumentos, pare e pergunte-se: qual minha vontade nessa questão?

Você vai se surpreender ao ver o seu conflito interno diminuir, pois você identificou seu sentimento e agora pode expressá-lo numa boa, sem dar ‘piti’, nem agredir ninguém, mas com convicção.

Aí suas palavras faladas estarão de acordo com a mensagem silenciosa do seu corpo.

Faz sentido?

DEIXE UM COMENTÁRIO