O coração não procura por eficiência e intelecto, mas pela expressão das emoções positivas

O coração não procura por eficiência e intelecto, mas pela expressão das emoções positivas

(Por Cláudia Hölter)

A busca desenfreada por eficiência para vencer os desafios criados  pelo aumento das altas demandas  por qualidade dos serviços e produtos tem levado muitas pessoas a perder sua paixão e inspiração pelo seu trabalho, porque, muitas vezes, seu coração não está naquilo que faz.  Onde está seu coração?

Os afazeres do dia a dia, o estresse, a própria busca pela eficiência a qualquer preço, acaba endurecendo o nosso coração, passamos a ver o trabalho não mais como uma fonte de prazer e realização, mas sim como uma obrigação apenas. Quando isso acontece nada mais nos emociona, perdemos o valor da vida, a alegria de viver, a paixão, o amor.



Na verdade, não adianta apenas ser ativo, eficiente, bater metas e mais metas de produção, mas acima de tudo colocar em ação seus objetivos e produzi-los com inteireza de coração. Como é uma vida realmente produtiva? O que acontece quando alguém consegue construir sua vida com paixão por aquilo que faz, seja no trabalho, na família ou em sua comunidade?

O coração não procura por eficiência e intelecto, mas pela expressão das emoções positivas, pelo deslumbramento diante de uma vida que nasce, por um sorriso, um abraço afetuoso, pelo amor.  Quando uma pessoa está realmente inspirada pelo que faz, a consequência lógica é  um desempenho de qualidade e excelência, uma vida alegre e feliz. Como disse Steve Jobs, o notável fundador da Apple, “A única maneira de sentir-se realmente satisfeito é fazendo o que você acredita ser um magnífico trabalho. E a única maneira de fazer um magnífico trabalho é tendo paixão pelo que você faz”.

Conforme estudos da psicologia positiva, essa paixão pode ser desenvolvida através do foco em nossas forças e talentos, por exemplo, no exercício de nossas ocupações profissionais. Dessa forma, passamos a ter uma nova visão de mundo com relação ao que fazemos; ele se torna um meio para vivermos nossa missão de vida, se torna o nosso legado. Como, então, desenvolver suas forças e talentos? Você sabe quais são as áreas onde estão seu maior potencial de crescimento profissional e pessoal?

Você sabe quais são as áreas onde estão seu maior potencial de crescimento profissional e pessoal?

Você sabe quais são as áreas onde estão seu maior potencial de crescimento profissional e pessoal?

Segundo Marcus  Buckingham, autor do livro “Descubra seus pontos fortes”, a maioria das pessoas tem pouca noção de seus talentos e pontos fortes. O que são talentos?  Qual a diferença entre talentos e pontos fortes? Buckingham define talento como sendo os padrões inatos de pensamento, sentimento ou comportamento usados produtivamente. Por outro lado, explica que os pontos fortes são delineados pela combinação das aptidões, conhecimentos  e experiências ao longo da vida.

Embora esses  atributos sejam importantes para a formação dos pontos fortes, é o talento a principal matéria-prima para desenvolvê -los, visto que é inato. Já as técnicas e conhecimentos, por exemplo, podem ser adquiridos através  da prática e do aprendizado. Portanto, torna-se fundamental descobrir quais são os seus pontos fortes para que você não perca tempo tentando aprender aptidões que não se aprendem. Por fim, sugiro que abandone o foco em pontos fracos, explore seus pontos fortes e ouça mais o seu coração para aprimorar aquilo que faz de melhor. Até a próxima!