Diante de um problema... Olhe em volta

No processo de Coaching é frequente nos depararmos com clientes que dizem ter chegado em uma encruzilhada. Enredada em algum problema pessoal ou profissional aparentemente sem saída, a pessoa só consegue olhar para a própria dor – e nessa condição a tendência é levar tudo para o lado pessoal, desconsiderando o contexto de que falava o filósofo espanhol José Ortega y Gasset Gasset: “O homem é o homem e suas circunstâncias”. Isso quer dizer que não podemos nos levar em conta isoladamente; sempre existirão as circunstâncias que nos envolvem, o contexto.

Abrir os olhos do coachee para que veja o contexto e não apenas o próprio umbigo dolorido é um dos momentos-chave do Coaching: a percepção do todo é que fornece a chave para transformar a dor ou o problema em superação e solução.

Atendi um cliente que estava tão convencido de ter feito “uma grande m…” há alguns anos, que a partir de então passou a carregar uma culpa “para o resto da minha vida”, uma culpa que “nada pode eliminar ou diminuir”. Quando esse homem percebeu que qualquer outra pessoa teria feito muito pior do que ele naquela ocasião, porque dentro das circunstâncias ele fez o melhor possível – e o que ele fez evitou danos ainda maiores – tudo mudou.

O cliente parou de ver unicamente a própria dor, o próprio erro e passou a dar o devido peso às circunstâncias daquele momento. E entendeu claramente que, dentro do contexto, ele se saíra muito bem.

Será que não tem alguém aí dentro de você que anda se sentindo no fundo do poço e com isso deixa de ver as circunstâncias, deixa de levar em conta o contexto?

Olhe com carinho para aquilo que você considera seus grandes erros na vida e, atentamente, levando em conta tudo em volta daquele instante, avalie se há razão para esse mar de culpa onde você anda se afogando.