permanecer quieto por um tempo, desconectado dos estímulos externos, tornou-se angustiante para as pessoas.

Permanecer quieto por um tempo, desconectado dos estímulos externos, tornou-se angustiante para as pessoas.

(Por Marco Beck)

Antes de responder, considere que “ficar sozinho com você” significa passar algum tempo só, quieto, apenas na companhia dos seus pensamentos.

Pois a pergunta interessou pesquisadores do comportamento e as universidades da Virginia e de Harvard (EUA) decidiram fazer um estudo com 200 homens e mulheres para descobrir o que cada um faria nessa situação. Os voluntários tinham entre 18 e 77 anos e ficaram sentados num quarto, sozinhos, por 15 minutos, sem celular, livro, TV, rádio ou qualquer distração.

Mais de 57% acharam difícil ficar apenas pensando e metade achou a experiência desagradável. “A maioria das pessoas não gosta de só pensar e prefere ter algo diferente para fazer”, disse um dos responsáveis pela pesquisa, publicada recentemente na revista Science.

O Coaching é essencial num mundo onde refletir é mais desconfortável do que levar um choque.

O Coaching é essencial num mundo onde refletir é mais desconfortável do que levar um choque.

Mas o estudo foi além: os cientistas queriam descobrir o que as pessoas estariam dispostas a fazer para evitar a sensação de ficar sozinhas com seus pensamentos. Houve quem preferisse escutar giz arranhando o quadro-negro do que o silêncio absoluto, enquanto outros aplicaram-se choques elétricos para escapar da solidão – um voluntário aplicou 190 choques em si mesmo durante os 15 minutos em que ficou sozinho.

A conclusão foi de que permanecer quieto por um tempo, desconectado dos estímulos externos, tornou-se angustiante para as pessoas. E o que se pode concluir é que o papel de abordagens, como o Coaching, é essencial num mundo onde refletir é mais desconfortável do que levar um choque.

Ao se aproximar do nosso mundo interno e permitir que pensamentos fortalecedores substituam hábitos negativos, gerando novos comportamentos e resultados felizes, o Coaching abre novas perspectivas na nossa vida – e o estudo das duas universidades americanas prova que estamos carentes disso.