CONHEÇA ESTRATÉGIAS PARA FORMAR UM TIME COMPLETO E VENCEDOR

Por Flora Victoria

CONHEÇA ESTRATÉGIAS PARA FORMAR UM TIME COMPLETO E VENCEDOR

Líderes que obtêm resultados incríveis trazem à tona o que o ser humano tem de melhor. Ao estudarem o desempenho de equipes, pesquisadores concluíram que a excelência é atingida por times extraordinários. Ou seja, times de alta performance capazes de produzir uma poderosa energia positiva e de superar continuamente as expectativas. Um time completo e vencedor vai além do modo tradicional de fazer as coisas e cria um nível inusitadamente elevado de resultados positivos.

Portanto, conduzir times à excelência não é um luxo, nem muito menos a “cereja do bolo”. É a diferença entre o sucesso e o fracasso de uma organização. A prática confirma que os times de alto desempenho são um dos elementos mais importantes para o sucesso organizacional. Tendo em vista que formar um time com o mais alto nível de performance é algo capaz de dar vantagem competitiva à empresa, conheça agora uma estratégia para desenvolver com eficácia o seu próprio “time dos sonhos”: Estágio 1 – Formação

No Estágio de Formação, os membros do time demonstram entusiasmo e vontade de participar. Por isso, ao liderar um time em formação, você deve:

  • Encorajar o comprometimento da equipe.
  • Esclarecer os papéis, propósito, tarefas e processos.
  • Estabelecer os mecanismos de feedback.
  • Definir as metas alcançáveis de curto prazo.

Estágio 2 – Tempestade

Agora, porém, diferentes personalidades começam a emergir e, com elas, os conflitos. Este é o Estágio da Tempestade, ou Storming. No Storming, a equipe:

  • Desafia a autoridade e a competência do líder.
  • Coloca os desejos individuais acima dos objetivos do time.
  • Reage de modo defensivo ao receber feedback.
  • Testa limites, busca a autoafirmação e conhece quais são os riscos.

A equipe que conseguir superar o estágio do Storming sairá dele mais madura e fortalecida. Porém, se não tiver uma liderança segura, os conflitos podem escalar e provocar a desintegração do time. Neste estágio o líder deve:

  • Dar orientação firme, honesta e não defensiva.
  • Usar habilidades de resolução de problemas e administração de conflitos.
  • Aplicar feedback – isto é, mostrar os problemas e pedir soluções.
  • Encorajá-los a desenvolverem processos em vez de se apegarem a preferências e opiniões pessoais.
  • Ressaltar os objetivos comuns.

Estágio 3 – Normalização

Nesta fase as normas do grupo começam a surgir e o foco se volta para as metas e resultados. O feedback é bem-vindo e há mais compartilhamento, confiança e harmonia. O líder deve encorajar a coesão do time, gerar foco, dar feedback e estabelecer metas mais desafiadoras. E não segurar o time devido ao receio de voltar ao estágio anterior – a Tempestade.

Estágio 4 – Performance

Neste estágio, o da Performance, a equipe chega ao ponto máximo de desempenho e produtividade. Existe coesão, unidade e engajamento. O espírito de equipe está em alta e a visão e os objetivos são compartilhados. Porém, o time pode se sentir desmotivado se não encontrar desafios à altura de sua capacidade. Como líder, é importante que você canalize esse potencial e mantenha o time motivado. Para isso:

  • Estabeleça metas mais desafiadoras.
  • Reconheça os méritos do time.
  • Não permita que a equipe se prenda à sua zona de conforto.
  • Encoraje a busca criativa de soluções e a proatividade.
  • Dê mais autonomia ao time – e, também, mais responsabilidades.

Estágio 5 – Encerramento

Esta etapa ocorre principalmente com times que foram organizados por tempo determinado, como por exemplo, para executar um projeto específico. A dissolução da equipe pode provocar em seus membros a sensação de perda, vazio e falta de objetivos. No Estágio do Encerramento, o líder deve:

  • Encorajar o crescimento individual e a transferência de habilidades para outras situações.
  • Reduzir gradativamente as reuniões do time em vez de encerrá-las abruptamente.

 

Fonte: Portal Abílio Diniz