grande homem pequeno

O prepotente recusa todas as críticas e contribuições de terceiros.

Conhecimento técnico não é suficiente para atingir o sucesso. Existem alguns princípios, como a cordialidade, o respeito e a prestatividade, que fazem a diferença em qualquer área de atuação, assim como atitudes que prejudicam até as pessoas mais capacitadas. Muitas vezes, por serem antigos e estarem enraizados no cotidiano, estes traços negativos de personalidade  não são facilmente percebidos, sobretudo em indivíduos mais velhos. Eles costumam estar associados à dificuldade de lidar com o outro, e se não forem rapidamente corrigidos podem afetar de forma permanente a carreira profissional.

Veja quais são esses comportamentos e por que devem ser evitados:

Arrogância – prejudica o trabalho em grupo, pois o prepotente recusa todas as críticas e contribuições de terceiros. Além de não admitir participações, não partilha o conhecimento;

Conformismo – Permanecer na zona de conforto e ignorar oportunidades para desenvolver novas competências empobrece o currículo e afasta promoções;

Desorganização – a falta de prioridades no serviço gera perda de tempo e dificulta a entrega de resultados no prazo estipulado;

Emotividade – complica a tomada de decisões, principalmente em cargos de liderança, nos quais é exigida uma postura imparcial e objetiva;

Fofoca – os boatos afetam a credibilidade. Chefes e colegas pensarão duas vezes antes de confiar uma tarefa a quem distorce os fatos e espalha informações falsas;

homens mulheres fofoca

Os boatos afetam a credibilidade.

Impulsividade – agir sem pensar aumenta as chances de envolvimento em situações de risco, como investimentos sem retorno certo;

Intolerância – interfere nas relações interpessoais e pode levar ao isolamento;

Perfeccionismo – a busca por um padrão constante de excelência acaba atrasando o cumprimento das obrigações;

Rebeldia – toda determinação superior é contestada, provocando indisposição entre membros de uma equipe;

Timidez – o medo de expor opiniões e defender as próprias ideias limita a atuação.

Estes tipos de conduta são nocivos a todas as carreiras profissionais, já que ninguém trabalha sozinho. Durante todo o tempo as pessoas estão em contato com outras que pensam e agem de modo distinto, sejam clientes, fornecedores, líderes ou parceiros. A competitividade do mercado também exige posturas diferentes, pois quem insiste no erro e não muda é facilmente superado por alguém mais jovem, disposto e atento às necessidades do empregador. Por isso, é fundamental saber adaptar-se, reconhecer as atitudes ruins e modificá-las.

Quando há dificuldade de mudar por conta própria, serviços especializados que relacionam coaching e carreira podem ajudar o indivíduo a identificar onde estão as falhas. A análise objetiva do comportamento, através de questionários simples, leva à reflexão e permite propor alternativas para resolver os problemas, contribuindo não só com o crescimento pessoal como para a formação de trabalhadores mais eficientes e engajados.