O Florescimento humano é um caminho para o desenvolvimento social


Ação Positiva

Um conceito que considero muito adequado no campo do desenvolvimento social é o proposto pelo professor britânico John Clammer. Para ele, essa mudança não se refere apenas a indicadores externos, como padrão de vida, mas à transformação da consciência, da quantidade e do propósito dos relacionamentos entre os indivíduos.

Prova dessa nova mentalidade são os indicadores de desenvolvimento humano que surgiram nos últimos anos para complementar o diagnóstico fornecido pelo PIB (Produto Interno Bruto), mensurando outras dimensões que influenciam e são diretamente responsáveis pela mudança social de um povo. Hoje, sabemos que educação, saúde, bem-estar psicológico, uso do tempo e do dinheiro, cultura, meio ambiente e produtividade, entre outros, são fatores determinantes que incidem no nível de bem-estar das pessoas.

Ação Positiva

O desenvolvimento social tem uma ligação intrínseca com um conceito atual, o flourishing. A tradução da palavra remete a “florescimento” em português, que, por sua vez, se refere ao funcionamento positivo do ser humano, o que potencializa seu crescimento e seu bem-estar. A boa notícia é que essa característica pode ser desenvolvida por meio de ações simples, ao nosso alcance.

O psicólogo americano Martin Seligman, considerado um expoente na área da psicologia positiva, descobriu que o flourishing trabalha exatamente os aspectos que contribuem diretamente para a felicidade das pessoas. São eles: emoções positivas, engajamento, relacionamentos positivos, conexões sociais, significado, propósito e realização. Ou seja, quando o indivíduo nutre sua vida com emoções positivas, consegue aplicar todo o seu potencial em suas realizações e atinge objetivos imbuídos de propósito, ele está florescendo.

A questão é: o que devemos fazer para transportar o conceito teórico para uma aplicação prática e realista? Desenvolvimento social passa por engajamento social, e o engajamento surge quando começamos a florescer. Todos nós podemos ser agentes desse processo.

 

Matéria escrita por Flora Victoria para a Edição de Outono da Revista Studio W.