geração Y

Os indivíduos desse grupo, têm como características marcantes a energia, a ousadia e a curiosidade.

Por algum tempo, o mercado andou um pouco assustado com a chamada geração Y. Sucessora da X, a Y é formada por pessoas nascidas após 1980 (ou em meados da década de 70) até meados da década de 90, que se desenvolveram em meio a um mundo repleto de aparatos tecnológicos e prosperidade econômica.

Os indivíduos desse grupo, também conhecido como geração do milênio ou da internet, têm como características marcantes a energia, a ousadia e a curiosidade. Tais características são refletidas diretamente no modo de trabalho dos millenials (termo usado para nomear os que fazem parte da Geração Y). Se bem direcionado, o jovem pode alcançar um rápido desenvolvimento por meio da experiência. São conhecidos por quebrarem paradigmas e promoverem grandes mudanças no mundo dos negócios, em que as empresas buscam cada vez mais inovações diante da competitividade do mercado.



Com o passar dos anos, a geração Y está ficando velha e passa agora pela “síndrome do irmão do meio”, pois já não é mais o irmão caçula (já que a Z tomou o seu lugar). Ela não é mais formada pelos mais novos do departamento. A ansiedade pelo reconhecimento merecido e pelo sucesso avassalador também está desaparecendo. Mesmo assim, ainda é possível perceber algumas características desse grupo que permanecem no mundo corporativo, pois de certa forma, conseguiram modificá-lo.

A mudança frequente de empregos no início da carreira é uma dessas características, o jovem procura o cargo ideal, no qual ele possa ficar por vários anos. A busca pela qualidade de vida, pelo equilíbrio entre as horas de trabalho e os momentos de lazer ainda pode ser fortemente observada. Porém os millenials sofrem agora por não terem admitido, por muitas vezes, sua imaturidade. Argumentos pouco estruturados, pouca experiência, abandono de oportunidades sem sequer entender os próprios motivos e prever as consequências são situações que comprovam a impetuosidade da geração da internet.

mudança  gerações

Cabe a cada indivíduo explorar suas próprias particularidades, buscando a melhor estratégia para o seu desenvolvimento pessoal e profissional.

De agora em diante, o risco dos jovens se tornarem “caretas” é cada vez maior e os aterroriza, uma vez que eles não são mais tão jovens assim. Na realidade, esse é o ciclo natural da mudança das gerações. No primeiro momento, as ideias e atitudes transgressoras estão fervilhando. Em seguida, inúmeras críticas são propostas ao modelo. Por fim, a geração posterior absorve o conceito mais brando que o ideal criado anteriormente. De fato, cabe a cada indivíduo explorar suas próprias particularidades, buscando a melhor estratégia para o seu desenvolvimento pessoal e profissional.