homem terapeuta

Juntos, psicologia e coaching aumentam os resultados positivos na vida pessoal e profissional.

Nascido na Romênia em 1889, Jacob Levy Moreno foi um filósofo, psicólogo e médico psiquiatra, pai do psicodrama e da terapia em grupo. Escreveu obras de destaque como “Psicodrama”, “Fundamentos do Psicodrama”, “Quem Sobreviverá? Fundamentos da Sociometria, Psicoterapia de Grupo e Sociodrama” e “Psicoterapia de Grupo e Psicodrama”.

Levy Moreno teve uma infância e início de adolescência bastante conturbados. Nesse período, sua família passou por vários problemas financeiros e precisou trocar de cidade e país algumas vezes, já que o negócio do pai não prosperava. Mudou-se sozinho para a Áustria com o objetivo de continuar os estudos e trabalhar como tutor de jovens. Foi quando, aos 19 anos, entrou na Faculdade de Medicina de Viena.

Vivendo em Viena, já na década de 1920, foi responsável por transformar o famoso Teatro da Espontaneidade em instrumento terapêutico, no qual os atores passaram a representar as próprias dificuldades e as do público, causando um sucesso ainda maior entre os espectadores.

Psicodrama e Terapia em Grupo

Durante a época em que cursava medicina, a distração favorita de Levy era passear e narrar contos de fadas para grupos de crianças, visando impulsionar a criatividade e manter a espontaneidade dos pequeninos. O estudioso acreditava no conceito de um universo primordial, onde indivíduos com desajustes psicológicos e emocionais não deveriam ser considerados doentes mentais. Ao contrário, podiam ser pessoas saudáveis e controladas mesmo quando expunham sintomas dos transtornos. Assim, tornou-se precursor do psicodrama.

A psicologia social é o elo entre a psicologia e as ciências sociais, com o principal objetivo de avaliar a conduta dos indivíduos quando estão interagindo. Nesse âmbito, Levy Moreno criou a sociometria como instrumento analítico para estudar as interações em grupos, contribuindo diretamente para o avanço da área.

grupo homens mulheres

Com a terapia grupal os membros ficam mais unidos e todos se apoiam

Entre 1908 e 1914, junto a cinco pessoas que tinham os mesmos ideais, fundou a Casa do Encontro, lugar que abrigava refugiados nos anos anteriores à Primeira Guerra Mundial. Ali aconteciam, todas as noites, reuniões que debatiam os impasses e aflições de cada um. Depois de compartilhar seus anseios, os participantes se sentiam aliviados e felizes. Após algum tempo, a ideia dos grupos de encontro se espalhou, gerando benefícios para gente de todo o planeta.

Terapia no local de trabalho

Ao participar de reuniões e estarem integrados a um conjunto, os seres não se percebem mais isolados e experimentam alívio ao constatar que não estão sozinhos com seus problemas. Nas situações de crise interna em empresas, os estudos sobre métodos de abordagem dos conflitos interpessoais em grupos podem ajudar a encontrar soluções.

Com a terapia grupal, o ambiente de trabalho se torna acolhedor, os membros ficam mais unidos e todos se apoiam, criando um clima benéfico que refletirá na produtividade e no natural progresso da organização.

Assim como as técnicas acima mencionadas, que observam os indivíduos e buscam resolver desequilíbrios e dúvidas existenciais, o coaching é uma importante ferramenta que também trabalha o desenvolvimento de competências e habilidades humanas. Juntos, psicologia e coaching aumentam os resultados positivos na vida pessoal e profissional.