funcionário empresa

Muitas pessoas não conseguem dar conta quando realizam muitas atividades simultaneamente.

Fazer um curso de pós-graduação, abrir um negócio, entrar na academia, estudar idiomas. A maioria das pessoas que já pensou em realizar todas essas atividades simultaneamente não conseguiu dar conta e parou no meio do caminho. A falta de tempo, foco ou força de vontade são alguns dos motivos da desistência.

É natural não cumprir metas quando se quer alcançar todas elas de uma só vez. A explicação para a renúncia daquilo que ainda nem foi conquistado está em alguns fatores que, se forem bem compreendidos, podem incentivar a conclusão das ações iniciadas.

Tem relevância?


Começar projetos que não lhe parecem importantes só porque outras pessoas aconselharam não vai levá-lo muito longe. Encontre o objetivo final do que está fazendo e avalie se é o que você quer. Se não for, pule fora. Opte pelo que considera significante e vá até o fim.

Mas, atenção: não deixe a empolgação lhe confundir. Estar animado com algo não tem relação, necessariamente, com enxergar sua relevância. Uma boa dica é dar um intervalo pequeno nas iniciativas e, posteriormente, recomeçá-las. Se continuar seguro do que pretende, é porque está no rumo certo.

funcionária dor trabalho

É possível executar mais de uma tarefa por vez, mas não muitas ao mesmo tempo.

Mantenha o foco

É possível executar mais de uma tarefa por vez, mas não muitas ao mesmo tempo. Se tiver várias metas, classifique-as por ordem de importância e vá cumprindo de duas em duas. Quando os resultados forem aparecendo, surgirá a motivação para seguir adiante.

A força de vontade também é essencial para finalizar atividades. Se desanimar, tenha consciência do que está buscando e não desista no primeiro obstáculo.

Não se sabote

Para realizar planos de longo prazo, é preciso dedicação. Se no lugar dela vêm a preguiça, o desleixo ou o desprezo, é melhor parar e repensar. Por exemplo: gastar dinheiro com supérfluos enquanto se tenta construir uma poupança para comprar um imóvel é um caso típico de autosabotagem.

A ansiedade também pode contribuir negativamente. Imaginar que não vai dar certo, decepcionar-se com os resultados iniciais, acreditar que o projeto é ruim e pensar mais do que agir são atitudes relacionadas à aflição ou impaciência, que podem ser controladas a partir de avaliação comportamental.

Para não deixar nada pela metade, busque sempre a autoavaliação. Essa é a melhor ferramenta para entender se há algo errado em você que precisa ser mudado ou se os propósitos é que não compensam seu sacrifício.