PRATIQUE SUAS FORÇAS - DIÁRIO DA FELICIDADE

DIÁRIO DA FELICIDADE: PRATIQUE SUAS FORÇAS

A psicologia positiva apresenta estudos que comprovam que se você usar as suas forças interiores, os seus níveis de bem-estar, felicidade, satisfação e performance serão elevados. É incrível comprovarmos que as nossas próprias forças são alavancas para uma vida melhor.

Pois bem, os professores Martin Seligman e Christopher Peterson identificaram seis modelos universais de forças que, obviamente, são aplicáveis a qualquer cultura. Ao perseguir o desenvolvimento dessas seis virtudes, você terá uma vida mais feliz e indiscutivelmente mais produtiva. Usar forças positivas é tornar a sua vida uma jornada mais próspera e emocionante.

Então, anote esse modelo: sabedoria, coragem, humanidade, justiça, temperança (aqui vamos chamá-la de prudência) e transcendência (também vamos fazer uma leve adaptação e chamá-la inteligência que ultrapassa a realidade imediata). Claro, perante a sua realidade essas forças podem ganhar variações, porém, o mais importante é você usar esses seis pilares para balizar a suas atividades, atitudes e até a sua postura diante da vida, nos mais variados desafios.

É importante que você também se aproprie deste conceito: a diferença entre forças percebidas e forças não percebidas. Resumidamente: as primeiras são as que usamos com frequência, e as reconhecemos como energizantes, que são familiares ao nosso dia a dia. Já as forças não percebidas são que ainda não reconhecemos ou valorizamos plenamente. Ou seja, são ótimas oportunidades de crescimento.

Questione-se diariamente se você está utilizando as seis virtudes universais. Verifique com seus amigos e companheiros de trabalho o que eles acham deste exercício, e comece a mensurar, por conta própria, a sua postura e as suas atitudes com a aplicação dessas forças.

Entender o poder das suas forças interiores é o mesmo que conquistar uma nova condição social, pois você poderá contribuir com muito mais eficiência para a sua comunidade, sua empresa, sua família e com a sociedade como um todo.

Na semana que vem, vamos conversar sobre como você vai elaborar suas metas para 2015, afinal o ano “produtivo” para o mercado já está saindo de férias. Até mais.