O ritmo da vida moderna, com cada vez mais cobranças por resultados, acaba se tornando estressante para muitos líderes. Essa pressa imposta pelo dia a dia, acaba fazendo com que as pessoas deixem de sentir o mundo à sua volta, impedindo uma transformação interior importante para adaptá-las a essa realidade.

Para isso, é necessário que a liderança esteja presente no “agora”, sendo que tal presença não deve ser apenas física. Estar presente permite que o líder seja capaz de ouvir e sentir as demandas impostas em sua vida, permitindo assim que participe em um “campo de mudança”.

Como funciona o modelo de transformação da liderança “Teoria do U”

O coaching propõe como modelo para seguir tal transformação a “Teoria do U”, sendo a parte esquerda da letra o “perceber”, a volta no fundo o “presenciar” e a subida o “entender”. Como podem ver no gráfico abaixo.


Qual é importância de perceber na “Teoria do U”

É a base para se chegar à experiência mais profunda de “presencing” (termo que funde as palavras “presence” e “sensing” e significa: sentir e trazer para o presente a potencialidade do futuro).

“Teoria do U”: presenciar faz parte da transformação

Considerado o Momento da transformação, quando há uma mudança de paradigma, na qual o senso das pessoas sobre quem elas são é alterado em sincronia com o surgimento de novas opções, que anteriormente não foram imaginadas para ação.

Entender para aplicar a “Teoria do U”

Nessa etapa é a hora de executar com rapidez e coragem o entendimento, mesmo em situações adversas, que dificultam mudanças abruptas. Nesse caso, o “rápido protótipo” – implementação de ideias de pequena escala em experimentos baseados no cotidiano – é a ferramenta ideal.