O número viciados em trabalho está aumentado, mal que prejudica tanto o profissional quanto a empresa

O acelerado ritmo do século XXI gerou um novo tipo de profissional, o workaholic, e também em um vício conhecido como workaholism, ou viver para o trabalho. Trabalhar é importante e gratificante, mas em excesso pode ser perigoso, sobretudo em cargos executivos, ameaçando a produtividade em longo prazo e a felicidade pessoal.

O que fazer para acabar com workaholism e melhorar o ambiente de trabalho

O coaching de gerenciamento é indicado para esses profissionais, pois faz um alerta sobre os riscos gerados pelo excesso de trabalho, ao passo que contribui com a reorganização da vida pessoal e profissional do executivo.

Fundamentalmente, o profissional precisa compreender que o workaholism destrói progressivamente a vida da pessoa, uma vez que bloqueia todos os caminhos de expressão da criatividade do indivíduo, salvo aqueles obtidos através do trabalho. Esse círculo vicioso cresce à medida que o executivo tem cada vez mais satisfação proveniente do trabalho e, como esse “investimento” fica cada vez mais desproporcional em comparação a outros aspectos da vida, como amor, família e crescimento pessoal, sua degradação se intensifica.


Saiba identificar se você é um potencial workaholic, a partir das situações abaixo:

  • Você trabalha durante longo período sem intervalo;
  • Passa poucas horas em casa;
  • Leva constantemente trabalho para casa;
  • Faz poucas horas de sono;
  • Raramente sai em férias e socializa com os amigos;
  • Seu único hobby é trabalhar;
  • Prospera sobre pressão no trabalho;
  • Mantém vários trabalhos ou é responsável por vários projetos na empresa.

 

Com o processo de coaching, o profissional será capaz de manter seu desenvolvimento profissional, se organizando regularmente, sem deixar de lado sua vida pessoal.