Posted in:

Gestão de talentos: o que é, importância e como implementar

Gestão de Talentos

A gestão de talentos já é uma parte importante da sua estratégia de negócio?

Essa deveria ser uma prioridade, porque reter bons profissionais do mercado é uma forma de acelerar o crescimento da empresa.

Investir na gestão de talentos é essencial para atrair, treinar, reter e motivar colaboradores, de maneira que alcancem a melhor performance e, consequentemente, os objetivos organizacionais.

No entanto, estamos falando de pessoas, e gerenciar o capital humano nem sempre é fácil, não é mesmo?

Por isso, mapear competências e perfil comportamental, desenvolver diferentes estratégias e implementá-las de forma contínua é primordial para ter sucesso nesse desafio. 

Tudo isso é muito importante, mas existe algo fundamental para colocar em prática:
Você precisa de ter hábitos certos, que vão te colocar em ação.


Pensando nisso, criamos um material que vai te ajudar a ser mais feliz e realizado através de hábitos de sucesso.

Clique aqui para ter acesso ao material e participar de um encontro online, onde Villela da Matta vai te dar mais conhecimento sobre este tema.

Continuando...

Para que você implemente a gestão de talentos de forma eficiente na empresa, preparamos este guia completo sobre o assunto.

Confira alguns pontos que você vai conhecer a seguir:

  • O que é gestão de talentos
  • Importância
  • Diferença do RH tradicional
  • Processos
  • Passo a passo para implementar
  • Principais desafios.

Quer saber mais sobre esses tópicos? 

Então, siga com a leitura deste artigo.

O que é gestão de talentos?

Gestão de talentos é um conjunto de práticas para atrair, treinar e reter profissionais qualificados na empresa.

Trata-se de um aspecto essencial da gestão moderna, que tem especial atenção ao capital humano, desde a seleção até a sua qualificação dentro da empresa.

No livro Talent management: process of developing and integrating skilled workers (Global India Publications, 2009), Ravinder Shukla aponta que a gestão de talentos é um dos principais desafios das empresas.

O autor sugere criar um ambiente de trabalho que valoriza o capital humano e se esforça para engajar, motivar e oportunizar crescimento aos colaboradores.

Em um capítulo para o livro The executive guide to integrated talent management (ASTD, 2011), Peter Cappelli diz que a gestão de talentos não é um fim em si mesmo.

“O propósito da gestão de talentos é ajudar a organização a atingir seus objetivos”, destaca.

Com colaboradores mais satisfeitos e engajados, os resultados aparecem.

E como isso ocorre?

É o que vamos descobrir em seguida.

Qual a importância da gestão de talentos?

A gestão de talentos é fundamental para a estratégia do negócio.

Afinal, uma empresa que conta com profissionais qualificados eleva a produtividade, ganha qualidade nos processos e, como resultado, faz entregas de valor para o cliente.

De acordo com a especialista em RH Susan Heathfield, em um artigo para a revista The Balance, a gestão de talentos é uma forma de reter e atrair os profissionais mais qualificados do mercado.

Quando a empresa se preocupa com seus talentos, ela obtém não apenas o reconhecimento dos colaboradores, mas também o de profissionais de fora da organização.

“Quando você diz a um candidato que se dedica à gestão de talentos e que garante que ele ou ela terá a oportunidade de se desenvolver profissionalmente, você atrai os melhores talentos”, garante a autora.

Em outras palavras, o próprio fato de você investir nesse tipo de gestão já é uma forma de deixar a sua empresa mais interessante para os profissionais do mercado.

Interessante, não é mesmo? 

Em artigo para o site Training Journal, Alice Withers menciona quatro contribuições da gestão de talentos:

  • Construir um local de trabalho de alto desempenho
  • Encorajar uma organização de aprendizagem
  • Se identificar como “empregador de escolha”
  • Garantir o retorno dos investimentos em treinamento e desenvolvimento.

Ou seja: a gestão de talentos é um dos pilares de sustentação da empresa. 

Quais as vantagens de implementar uma gestão de talentos?

Sem dúvidas, há boas razões para apostar na gestão de talentos. 

Abaixo, apresentamos as principais delas:

Fortalecimento da cultura organizacional

Investir na gestão de talentos é uma estratégia para promover a sinergia na organização, já que, ao treinar e reter profissionais, fica mais fácil alinhar equipes com a cultura organizacional

Aí, os valores, princípios e objetivos da sua empresa tendem a ser seguidos pelos colaboradores, o que fortalece a cultura organizacional, criando mentalidades e comportamentos comuns. 

Colaboradores mais motivados

É quase como uma equação matemática: colaboradores que recebem treinamento e têm oportunidade de crescer dentro da empresa resultam em um nível de motivação que permeia toda a organização. 

Mas, para isso, lembre-se de que a valorização dos profissionais deve ser contínua.

Atração de profissionais diferenciados

Já falamos disso anteriormente, mas vale ressaltar: quando você investe na gestão de talentos, os melhores profissionais do mercado têm maiores chances de se interessar pela sua empresa.

E aí, alta performance, produtividade e qualificação passam a ser fatores presentes nas equipes.

Realocação de profissionais em cargos-chave

Como a gestão de talentos inclui treinamento e qualificação constante dos colaboradores, você facilmente pode designar profissionais para cargos-chave quando necessário. 

Para o negócio, significa que nunca haverá falta de lideranças e profissionais capacitados para exercer funções primordiais. 

Economia de recursos

Este costuma ser o benefício que faz os olhos dos gestores brilharem: a economia de recursos.

Afinal, com a gestão de talentos, as contratações são mais assertivas, enquanto os índices de rotatividade diminuem.

Sabe o que isso significa? 

Redução significativa dos gastos com recrutamento, seleção e treinamento de novos colaboradores.

Alcance de resultados mais expressivos

A gestão de talentos também estimula a alta performance e a produtividade.

Por meio do treinamento contínuo, ainda ajuda colaboradores a atingirem o desempenho máximo e, consequentemente, resultados mais expressivos.

Maior satisfação dos clientes

Sim, a maneira com que você lida com o capital humano também impacta a relação da empresa com o consumidor.

Quanto mais qualificados forem os colaboradores, mais qualidade haverá nas entregas  - e maior será a satisfação do cliente.

Qual é a diferença entre a gestão de talentos e o RH tradicional?

Embora à primeira vista pareçam sinônimos, gestão de talentos não é a mesma coisa que o RH tradicional.

Na verdade, a gestão de talentos está mais voltada ao RH do futuro: um setor que promove o desenvolvimento de colaboradores de maneira estratégica.

Que tal conhecer as principais diferenças entre os dois conceitos?

As atividades realizadas pelo RH tradicional são consideradas mais burocráticas e administrativas.

Aí estão incluídas tarefas como lidar com a folha de pagamentos, fazer avisos de férias e conceder benefícios aos colaboradores.

Portanto, trata-se de um conjunto de atividades que tem menor valor agregado à empresa.

Com a tecnologia, porém, esse tipo de atuação está evoluindo rapidamente.

O RH do futuro é a gestão de talentos.

Ela envolve planejamento estratégico, criação de um ambiente organizacional altamente saudável e motivador e a lapidação de profissionais por meio de treinamento contínuo.

Essa perspectiva mais assertiva e estratégica é possível por causa da tecnologia e das automatizações que ela oferece.

Hoje, organizar o período de férias dos colaboradores é uma tarefa muito rápida, por exemplo.

Com alguns cliques, o sistema verifica todas as variáveis e acelera o processo imensamente.

Ou seja, a parte operacional fica com a máquina, e o cérebro humano pode se dedicar à criação de soluções inovadoras para outros problemas mais complexos.

Com o apoio da tecnologia, portanto, o RH vai muito mais longe e evolui para esse conceito da gestão de talentos.

Gestão de pessoas X Gestão de talentos

Ambos os termos, gestão de pessoas e gestão de talentos, podem designar o mesmo conceito: a área de RH do futuro, que ultrapassa as barreiras administrativas e burocráticas e se integra à estratégia de crescimento da empresa.

Quais processos são parte da gestão de talentos?

A gestão de talentos envolve uma série de componentes que a colocam em posição de destaque nas organizações.

Confira quais são eles:

Compreensão dos objetivos do negócio

Esse é o primeiro passo para definir quais competências são necessárias na equipe e, dessa forma, atrair os talentos mais adequados.

Busca e atração de talentos

Com os objetivos definidos, é hora de procurar os talentos que atendam aos requisitos das vagas.

Plataformas de recrutamento e LinkedIn são algumas opções para se conectar com profissionais qualificados.

Recrutamento

Depois de atrair talentos, é o momento de recrutar os melhores para a empresa por meio de um processo de seleção.

Treinamento e desenvolvimento

Depois de fazer as contratações, invista no treinamento e desenvolvimento de colaboradores continuamente.

Essa é uma forma de criar equipes de alta performance, com competências adequadas às necessidades e objetivos organizacionais.

Retenção e promoção de talentos

Reter talentos é um desafio que envolve treinamento, oportunidade de crescimento, ambiente de trabalho saudável, reconhecimento e remuneração adequada.

Se você quer reter profissionais, é preciso promover colaboradores que apresentam bom desempenho para que eles cresçam junto com a empresa.

Mapeamento de competências

Essa ferramenta é essencial para que você conheça os talentos, considerando conhecimentos, habilidades e perfil de cada colaborador.

Além de diagnosticar pontos a serem melhorados, você consegue designar as funções mais adequadas para cada profissional e desenvolver lideranças.

Avaliação de desempenho

A avaliação de desempenho é outra ferramenta importante, já que permite medir a performance de cada colaborador em diferentes aspectos, como produtividade ou índices de vendas, por exemplo.

Com a avaliação feita, você ganha embasamento para delegar tarefas, atribuir responsabilidades e identificar melhorias necessárias.

Planejamento de carreira

O plano de carreira é um recurso fundamental da gestão de talentos, porque direciona a jornada de crescimento do colaborador na organização e faz com que ele se sinta valorizado.

Planejamento sucessório

Fazer o planejamento sucessório, definindo substituições quando necessário, é uma forma de pensar no futuro do negócio.

Dessa forma, você não fica suscetível a imprevistos e, mais uma vez, pode delegar cargos para os colaboradores com melhor performance e aptidão para liderança.

Desligamento

Nenhuma empresa está imune a desligamentos, seja por demissão, aposentadoria ou vontade do próprio colaborador.

Mas uma organização que valoriza o capital humano dá suporte para o funcionário durante o desligamento, ajudando na recolocação no mercado ou mesmo no processo de aposentadoria.

Passo a passo para implementar a gestão de talentos na empresa

Nos próximos tópicos, conheça as principais etapas da gestão de talentos.

1. Crie um planejamento de talentos

O primeiro passo é planejar perfis, cargos e funções necessários na empresa.

Ou seja: compreender quais profissionais devem estar presentes nas equipes a partir da análise das demandas e processos organizacionais. 

Planeje o perfil que você busca para cada profissional, incluindo habilidades, qualificações e competências técnicas e comportamentais.

Também faça o mapeamento de perfil dos colaboradores, avaliando se cada um está designado para o cargo adequado, fazendo as realocações necessárias e contratando novos funcionários se necessário.

2. Descubra como atrair e reter talentos

Depois, é hora de atrair e reter os talentos que você busca na empresa.

Investir na gestão de talentos já é uma forma de potencializar a cultura organizacional e demonstrar aos profissionais do mercado que você está preocupado com a experiência e crescimento de quem faz parte do seu negócio. 

Essa medida inclui ações como plano de remuneração, benefícios e bonificações, plano de carreira e treinamentos.

Além disso, considere os objetivos organizacionais, seguindo a dica de Caroline Forsey, em um artigo para o blog da Hubspot.

“A aquisição de talentos é mais uma questão de considerar como sua empresa vai se expandir a longo prazo e, em seguida, encontrar funcionários que possam ajudá-lo a chegar lá”, destaca a autora.

3. Desenvolva os talentos

Por último, uma vez que você tenha atraído os melhores talentos para a sua empresa, é preciso lapidá-los.

É a hora de apostar no desenvolvimento de cada colaborador, oferecendo oportunidades, treinamento, capacitação, plano de carreira e remuneração justa.

Em outras palavras, coloque em prática estratégias para engajar e motivar os profissionais do seu negócio.

Lembre-se de que, para funcionar, esse processo deve ser feito continuamente, fazendo parte da cultura empresarial. 

Desafios da gestão de talentos

Agora, que tal conhecer os principais desafios de implementar a gestão de talentos?

Heterogeneidade da equipe

É claro que, quanto mais diversificadas forem as equipes, mais competências e habilidades os colaboradores vão entregar ao seu negócio.

Mas, ao mesmo tempo, essa heterogeneidade é desafiadora, porque cabe ao RH aplicar estratégias diferentes para cada perfil profissional.

Essa estratégia depende de diferentes fatores: perfil, função desempenhada, competências e qualificações apresentadas.

Equilíbrio entre estratégia e burocracia

Como vimos, a função dos recursos humanos hoje está bem voltada para a gestão de talentos.

No entanto, não significa que a burocracia possa ser totalmente descartada.

Rotinas tradicionais, como coleta de dados, recrutamento, seleção e demissões ainda são necessárias na empresa.

Para encontrar um equilíbrio, a dica é automatizar as rotinas burocráticas para que elas não se sobreponham à estratégia.

Dicas para melhorar sua gestão de talentos

Nos tópicos a seguir, elencamos dicas rápidas para otimizar a gestão de talentos na sua empresa. 

Reconhecimento e capacitação contínuos

Como já mencionamos, engajar e motivar colaboradores, assim como fornecer a eles treinamento, devem ser estratégias adotadas de forma constante na organização. 

Entenda a diferença da motivação em grupos diferentes

Cada colaborador tem um perfil e, consequentemente, existem grupos com motivações diferentes.

Conhecer essas motivações é essencial para criar a estratégia de gestão de talentos.

Ofereça benefícios não-convencionais

Oferecer bonificações é excelente, mas, quando possível, invista em benefícios criativos, como viagens ou descontos em academias, por exemplo.

Proporcionar momentos de descontração

Momentos de descontração, como dinâmicas de grupo e happy hour, são ótimos recursos para quebrar a rotina, energizar os colaboradores e mantê-los engajados nas atividades da empresa.

Invista no mapeamento de competências

Mapear competências é essencial para delegar tarefas, elaborar a melhor estratégia para cada perfil de colaborador e identificar quais habilidades e competências são necessárias na equipe.

Fortaleça suas lideranças

Essa medida contribui para que várias pessoas com perfil de liderança atuem em favor da organização, engajando e inspirando equipes, tomando decisões e solucionando problemas.

Como o Coaching auxilia na gestão de talentos?

Já pensou em fazer um processo de coaching para otimizar a gestão de talentos no negócio?

Trata-se de uma metodologia voltada ao aprimoramento de competências comportamentais.

Por isso, é uma oportunidade de você melhorar suas habilidades de liderança e gestão de talentos.

O processo de coaching ajuda a potencializar o capital humano da empresa e permite que você extraia o melhor de cada colaborador, fomentando o desenvolvimento das equipes.

Além disso, o coach apresenta técnicas eficientes para criar times de alta performance, ajudando-o nos seguintes desafios:

Em outras palavras, você aprende a empregar todas as ferramentas necessárias para valorizar o capital humano da empresa.

E esse tipo de aprendizado, sem dúvidas, ajuda no crescimento organizacional.

Conclusão

E aí, o que achou das nossas dicas de gestão de talentos?

Como vimos, esse conjunto de práticas é primordial para formar equipes de alta performance e conquistar os objetivos organizacionais. 

Não se esqueça de que, para isso, você precisa investir em estratégias de engajamento, motivação e treinamento de forma contínua.

Só assim colherá os frutos da boa gestão de talentos.

Aplique as dicas que você acabou de ver para melhorar a cultura organizacional, contar com colaboradores mais engajados e alcançar resultados mais expressivos no negócio.

Tenha em mente que, nesse processo, o coaching pode ser um grande aliado no aprimoramento de competências.

Se você ficou com alguma dúvida sobre o tema ou tem uma dica que não foi mencionada aqui, deixe nos comentários abaixo.

Gostou do artigo? 

Então, aproveite para compartilhar com seus amigos e colegas nas redes sociais.

1 Comentário

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *