Posted in:

Inovação: O que é, Conceito e Exemplos

Engana-se quem pensa que a inovação é coisa para as startups do Vale do Silício.

No mercado atual, é quase uma obrigação pensar em inovação no dia a dia, seja qual for a área de atuação.

Porque o comércio está cada vez mais globalizado, as economias instáveis, a concorrência feroz e a tecnologia não para de avançar.

Com esse cenário, quem se acomoda corre um grande risco de ficar para trás, já que as coisas mudam de uma hora para a outra.

Aí que entra a inovação, seja nos produtos ou serviços, no modelo de negócio ou nos processos.

Mas é importante entender que inovar não significa ter uma ideia que ninguém teve, colocá-la em prática e depois colher os frutos. Isso é inventar, não inovar.

Se a empresa não seguir inovando continuamente, ou seja, não criar uma cultura de inovação, a ideia que um dia foi genial poderá se tornar obsoleta.

O caminho é estimular o mindset de inovação não apenas nos gestores, mas em todos os colaboradores da organização.

Ao longo deste artigo, vamos explicar melhor como promover a transformação necessária para tornar uma empresa inovadora.

O que é inovação?

 

O que é inovação
Os automóveis já existiam, mas a inovação em seu processo de produção é que permitiu a popularização dos veículos.

Inovação é uma palavra que deriva de innovatio, termo latino que representa uma criação que não tem equivalente em padrões anteriores.

No mundo corporativo, porém, o conceito vai um pouco além disso. Porque também é possível inovar modificando e renovando antigos costumes, não apenas criando uma novidade do zero.

O Airbnb, por exemplo, não foi o primeiro serviço online em que proprietários puderam anunciar quartos ou imóveis inteiros para aluguel por temporada.

Mas a empresa criou uma plataforma que simplificou muito a comunicação deles com os interessados e a própria transação. Isso também é inovar.

O caso do Airbnb é de inovação em um serviço/produto e em um modelo de negócio.

É possível inovar também em processos. Como Henry Ford fez ao criar a linha de produção para aumentar a produtividade de suas fábricas.

Os automóveis já existiam, mas a inovação em seu processo de produção é que permitiu a popularização dos veículos.

Seja como for, também é importante destacar que a inovação, no mundo corporativo, tem o objetivo de dar resultado.

Ou como disse Geoff Nicholson, o “pai do Post-It”, inovador líder da 3M: “Inovação é transformar conhecimento em dinheiro”.

A inovação precisa ser viável, sustentável e dar retorno financeiro. Caso contrário, qualquer ideia estapafúrdia que é concebida pela primeira vez poderia ser considerada inovadora.

Tipos de inovação

Tipos de inovação
O modelo de negócio é uma tela onde são resumidas as principais informações sobre o negócio.

Já citamos e exemplificamos alguns tipos de inovação. Agora, vamos desenvolver um pouco mais as possibilidades, para que você veja como inovar pode ir muito além de inventar um novo produto.

Inovação em produto

É quando uma empresa lança um produto novo, ou então melhora tanto a experiência do consumidor que provoca um grande efeito no mercado.

Em 1989, por exemplo, a Grid Systems já tinha lançado um pen computer que lembra bastante os tablets atuais, mas só a partir do iPad que essa categoria de dispositivo se tornou relevante.

Inovação em serviço

É a mesma lógica da inovação em produto, pois é possível inovar oferecendo um serviço novo ou melhorando um já existente.

O setor de serviços é aquele que comercializa bens não tangíveis, como a área da saúde, finanças, educação, comunicação e outras tantas.

Modelo de negócio

O modelo de negócio é uma tela onde são resumidas as principais informações sobre o negócio: parcerias, atividades, recursos, relação com clientes, canais, segmentos de mercado, custos, fontes de rendimento e, claro, proposta de valor.

Com ele, é possível ter uma boa noção de como deve funcionar a empresa, de como ela vai gerar valor e receita.

A inovação em um modelo de negócio ocorre quando uma empresa cria uma lógica de funcionamento que nunca foi usada.

Um bom exemplo é a Uber, cuja fonte de rendimento são um percentual sobre o valor das corridas que intermedeia entre usuários e motoristas por meio do aplicativo – muito diferente dos táxis e empresas de transporte convencionais.

Inovação em processo

É quando a empresa cria um novo método para algum processo operacional essencial para o negócio.

Geralmente, inovações desse tipo produzem ganhos em produtividade, com redução de custos, além de avanços em tempo e qualidade do produto ou serviço final.

Inovação organizacional

A inovação organizacional geralmente envolve grandes mudanças na maneira como a empresa está organizada.

Pode ser redesenhado o organograma, repensados métodos de gestão e implantada uma nova cultura organizacional.

Quando uma companhia é realmente inovadora nesse tipo de medida, inspira muitas outras empresas a adotarem modelos parecidos.

Inovação na comunicação

A empresa inova na maneira como se comunica com o público, seja nas plataformas utilizadas ou no conteúdo.

É importante ter em mente que a comunicação deve sempre refletir o que a organização realmente é.

Pode ser um tiro no pé, portanto, adotar um plano de comunicação inovador sem ser uma empresa reconhecidamente inovadora.

Inovação em marketing

Ao contrário do que alguns pensam, comunicação empresarial e marketing não são a mesma coisa, embora muitas vezes estejam ligados.

A inovação em marketing pode estar no preço, no posicionamento no mercado, na embalagem ou na distribuição do produto.

Qual a importância da inovação para as empresas?

importância da inovação
Na maioria das atividades, inovar é essencial para se manter sempre um passo à frente da concorrência.

É claro que a inovação não tem a mesma importância em todas as áreas.

Aquele restaurante de bairro, por exemplo, super tradicional, pode estar faturando muito bem fazendo as coisas do mesmo jeito que sempre fez.

Mas se você está lendo este texto é porque não está pensando em administrar a cantina familiar da sua rua, não é mesmo?

Na maioria das atividades, inovar é essencial para se manter sempre um passo à frente da concorrência.

Empresas que têm uma cultura voltada para a inovação demonstram maior agilidade para identificar tendências de mercado e atender às novas demandas que elas trazem. Ou, então, para criar novas demandas.

Você lembra como era sua vida antes de existirem os smartphones? Eles não eram uma necessidade, mas hoje são.

Quem possui uma postura mais conservadora pode pensar que não precisa disso tudo, pois a empresa sempre teve e sempre vai ter seu nicho de mercado, sem ser incomodada pela concorrência.

Esse é um grande erro, pois nada garante que o cenário permanecerá o mesmo para sempre. Aliás, a tendência é que não permaneça.

Outro empreendedor, com uma mentalidade diferente, pode pensar em uma solução nova e desbancar a tradicional empresa. Isso já aconteceu inúmeras vezes.

Como inovar dentro das empresas

inovar dentro das empresas
A companhia precisa de processos que estimulem a geração de valor a partir da criatividade.

Como já sugerimos aqui, ser inovador é incorporar a postura da inovação na cultura da empresa, não apenas ter uma ideia nova e colocá-la em prática.

A Apple, por exemplo, não parou nos computadores pessoais. Inovou criando o iPod, iPhone e iPad.

Tudo isso porque seu foco não é criar produtos inovadores, e sim pensar diferente (“think different” é o lema da empresa).

Ou seja, sua cultura organizacional é voltada para desafiar o status quo. E projetar produtos com design bonito e interface amigável é o meio para alcançar esse objetivo.

Então, para ter uma organização inovadora, é preciso concentrar os esforços mentais primeiro em uma estratégia, em um posicionamento como empresa.

A companhia precisa de processos que estimulem a geração de valor a partir da criatividade.

A seguir, vamos dar algumas dicas de como chegar a esse modelo.

Passo a passo de como inovar

Passo a passo de como inovar
Nenhuma mudança na cultura organizacional ocorre sem que todos os colaboradores da empresa estejam engajados.

Entenda o que é preciso fazer para criar uma cultura de inovação na empresa.

Comunique-se com o público interno

Tenha em mente que a empresa inovadora não é aquela que tem um líder inovador, mas sim aquela que é formada por pessoas com mentalidade voltada para a inovação.

Nenhuma mudança na cultura organizacional ocorre sem que todos os colaboradores da empresa estejam engajados, sem que eles sejam parte ativa nessa transformação.

Então, em vez de apenas reescrever a missão, visão e valores da organização e comunicá-las aos funcionários, “venda” a eles a ideia.

Melhore os processos de comunicação interna e faça-os entender por que a empresa quer valorizar a inovação e como ela vai fazer isso.

Melhore o ambiente

Todos os seres humanos são criativos em sua essência. Mas o ambiente em que se encontram pode inibir ou fazer essa criatividade aflorar.

Para que os colaboradores de uma empresa sintam-se à vontade para apresentarem suas ideias, eles precisam ser tratados com empatia e comunicação não violenta.

O segredo é acabar com o medo. Medo de errar, de ter sua ideia reprovada e ridicularizada.

O erro deve ser tratado como algo natural, que faz parte do processo.

Quando isso acontece, os funcionários têm a liberdade e segurança que precisam para criar e inovar.

Desenvolva espaços de diálogo horizontais

Criatividade pode ser definida como a capacidade que uma pessoa tem de fazer conexões entre os fatos observados e conhecimentos adquiridos.

Quando os colaboradores têm momento para interagir entre si, surge mais material bruto para gerar essas conexões.

Experimente metodologias como o World Café, na qual são organizados, em mesas, vários grupos de pessoas que conversam sobre temas propostos por um facilitador por 20 a 30 minutos.

Quando o tempo acaba, o grupo recebe uma nova pessoa, advinda de outra mesa, e se despede de um dos integrantes, que vai para o outro grupo.

E assim segue, com as mesmas conversas continuando, até que apenas um integrante de cada grupo permaneça.

Essa prática valoriza a diversidade cognitiva e facilita o cruzamento de experiências e a criação de conexões.

Seja com o World Café ou outra metodologia de diálogo, o importante é que a atividade reúna profissionais de todos os níveis e áreas da empresa e que todos tenham o mesmo direito de se expressarem.

Dê vazão às ideias

As ideias surgidas no World Café, nos brainstormings ou em quaisquer outras atividades criadas para estimular a criatividade junto aos colaboradores não devem ficar na gaveta.

Isso não quer dizer que todas devam ser colocadas em prática, mas sim que as pessoas precisam saber qual o resultado dos exercícios que fizeram.

Lembra da dica de melhorar a comunicação interna? Esse é um momento crucial. É preciso comunicar quais ideias serão aproveitadas e quando. E também justificar, dizer por que as demais não serão levadas adiante.

Faça testes e protótipos

Assim como os colaboradores não podem ter medo de errar, não é bom quando os líderes temem o fracasso.

Ao mesmo tempo, boa parte das novas empresas, produtos e serviços não alcançam o sucesso. Como olhar para esse fato sem adotar uma postura conservadora?

Uma ótima solução é adotar a metodologia do design thinking, que orienta a criação de um mínimo produto viável (MVP).

Trata-se de um protótipo que é desenvolvido sem grandes investimentos antes do lançamento no mercado.

O objetivo é testar, ver como a ideia se materializa na prática. Os insights gerados na prototipagem são de imensa utilidade para fazer os últimos ajustes e diminuir a margem de risco.

O que é gestão da inovação?

gestão da inovação
Com um bom sistema de gestão da inovação, o estímulo à criatividade, a busca por oportunidades e a prototipagem se tornam processos permanentes, e não eventuais.

A gestão da inovação é a criação de um modelo em que os passos que apresentamos acima – e todas as atividades relacionadas à inovação – aconteçam de maneira contínua.

É fundamental para que a cultura organizacional seja de fato atualizada e a empresa se transforme em uma companhia inovadora.

Com um bom sistema de gestão da inovação, o estímulo à criatividade, a busca por oportunidades e a prototipagem se tornam processos permanentes, e não eventuais.

Para que esse sistema seja eficiente, é preciso pensar em processos de entrada (começo), processamento (meio) e geração de resultados (fim).

Algumas empresas criam um setor para dar conta exclusivamente da gestão da inovação.

Os profissionais dessa área ficam responsáveis por acompanhar o ciclo de inovação em todas suas etapas.

O setor também pode ficar responsável pelas pesquisas tecnológicas e de mercado, com o objetivo de identificar as tendências para inovações futuras, sejam elas internas ou externas.

Mas também é possível ser uma empresa inovadora sem um departamento específico sobre isso.

Nesse caso, o segredo é incutir o espírito em todos os setores, estimulando a autogestão da inovação.

Como vender uma boa idéia?

Como vender uma boa idéia
O que pouca gente se dá conta é que mesmo a mais genial das ideias não possui tanta utilidade se não ficar claro como ela vai gerar dinheiro.

Você lembra que, ao definir o que é inovação, destacamos que ela precisa dar resultado?

Pois é. O que não faltam são pessoas com ideias de negócio por aí. Mas quantas delas dão certo no mercado?

Com a popularização das startups, virou o sonho de muita gente conseguir convencer um investidor a aplicar seu dinheiro na ideia.

O que pouca gente se dá conta é que mesmo a mais genial das ideias não possui tanta utilidade se não ficar claro como ela vai gerar dinheiro.

Por exemplo, imagine um produto que é exatamente o que determinado público estava precisando.

Se esse público tem um número limitado de indivíduos e não houver uma estratégia para que os clientes sigam comprando da marca após a primeira compra, qual o futuro da ideia?

Outro exemplo é um aplicativo para smartphones.

Ele pode ser maravilhoso, mas o desenvolvedor precisa saber se suas receitas virão de publicidade, da venda do app, de planos de assinatura, entre outras possibilidades.

Na hora de vender uma ideia inovadora, portanto, tenha isso em mente: qual vai ser a fonte do faturamento.

Investidores não procuram apenas empresas revolucionárias, mas sim negócios lucrativos.

Exemplos de inovações dentro das empresas

Exemplos de inovações
É saudável se inspirar em companhias que inovaram em seus produtos.

É saudável se inspirar em companhias que inovaram em seus produtos e processos internos para se tornarem referências em suas áreas.

Caso você se interesse, vale a pena pesquisar mais sobre a história das empresas sobre as quais vamos falar agora.

Toyota

Desde sua fundação, a Toyota é uma empresa inovadora. Essa cultura atravessou gerações até chegar em Taiichi Ohno, criador do Sistema Toyota de Produção.

Ele entendeu a necessidade de educar mão de obra especializada e baratear os automóveis para sua popularização e exportação.

Com o sistema Kanban, soube identificar as preferências dos consumidores e montar uma linha de montagem dinâmica, produzindo por demanda e sem estoque, eliminando a possibilidade de prejuízo e aumentando o capital de giro.

Chobani

A marca de produtos lácteos americana inovou por conseguir massificar a produção de seu iogurte grego: mais denso, natural e com menos açúcar e conservantes.

A Chobani se destacou em um mercado dominado por empresas grandes, com produtos artificiais, diferentes do iogurte artesanal que a mãe do fundador, Hamdi Ulukaya, fazia na Turquia.

Ao manter a qualidade com uma produção em alta escala, a empresa obteve um preço de venda competitivo e apostou em táticas de marketing de guerrilha para se tornar uma marca popular.

3M

Já que mencionamos o lendário Post-It, vamos usar a 3M como outro exemplo de empresa inovadora.

A multinacional possui reconhecida cultura organizacional voltada para a inovação e tem, entre as criações recentes, as glass bubbles.

São microesferas de vidro usadas como alternativa aos materiais sílica, carbonato de cálcio, talco, argila e outros na indústria de petróleo, gás, vernizes e tintas.

Conclusão

inovações dentro das empresas
Com a globalização e democratização da informação, não é uma boa ideia ficar fechado em seu próprio mundo.

Os líderes de hoje precisam entender que a inovação cada vez mais deixa de ser um diferencial competitivo e passa a ser uma questão de sobrevivência.

Com a globalização e democratização da informação, não é uma boa ideia ficar fechado em seu próprio mundo.

Se a concorrência souber aproveitar as vantagens de um mundo conectado e construir uma gestão voltada para a inovação, vai deixar os outros para trás.

Você não quer estar à frente de uma marca obsoleta, não é? Então, coloque em prática as dicas que conferiu ao longo deste artigo para que seja você à frente dos demais.

Caso tenha alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo ou entre em contato conosco.

5 Comentários

Deixe um comentário
  1. Muito esclarecedor! Parabéns pelo texto, as reflexões são de suma importância para quem quer empreender ou fazer diferença nas companhias.

  2. Excelente texto e exemplos dados! É importante ressaltar que todo aspirante a empreendedor precisa estar atento às diversas formas de atuação inovadoras para atingir os novos públicos que surgem todos os dias. A inovação é imprescindível para alcançar o sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *