Posted in:

Meritocracia: o que é, por que adotar e como implantar

Quer entender melhor o que é meritocracia e como esse conceito pode ser aplicado na empresa?
Essa é uma questão importante, cuja resposta pode trazer inúmeros benefícios para a organização.
A meritocracia é um tipo de gestão que busca promover e premiar funcionários que apresentam os melhores índices de desempenho.
Ou seja, se trata de um sistema que almeja valorizar os melhores talentos e permitir que os colaboradores cresçam dentro da organização.
Com essa mentalidade, não é apenas o funcionário que sai ganhando.
A empresa também se beneficia da prática, já que pode levar aos postos mais altos os profissionais mais qualificados.
Mas a meritocracia requer vários cuidados na implantação para não acabar tendo o efeito reverso: dar privilégios para determinados funcionários levando em conta fatores que não têm relação com a performance profissional.
Ficou interessado no assunto?
Neste texto, vamos tirar suas dúvidas sobre meritocracia, apresentar cuidados para adotá-la na empresa e dicas para implantar esse modelo com sucesso.

O que é a meritocracia?

A meritocracia nas empresas é um modelo de gestão em que os funcionários são avaliados e premiados conforme o seu desempenho profissional.
Nesse modelo, compreende-se que aqueles colaboradores que alcançam mais metas e geram os melhores resultados têm mérito para serem premiados com benefícios – e responsabilidades.
Então, como recompensa, eles sobem de posição hierárquica na empresa ou recebem outras gratificações, como aumentos de salários ou folgas, por exemplo.
No livro Comunicação corporativa (2013), Sergio Mansilha explica desta forma o conceito:
“Nas organizações, descreve um modelo de gestão de pessoas no qual as posições hierárquicas e os salários estão baseados na performance, competência, talento, nível de escolaridade, esforço e, principalmente, uma entrega de resultados”.
Trata-se de um modelo que se opõe a uma gestão intuitiva, baseada em sensações e indicações.
Em vez disso, se apoia substancialmente em dados objetivos, como as metas de desempenho.
Dessa forma, a análise de mérito ajuda não apenas a motivar o colaborador, mas também a melhorar os resultados da empresa.

Qual o significado de meritocracia?

meritocracia qual significado
De acordo com o dicionário Michaelis, a meritocracia é a “administração cujos cargos são conquistados segundo o merecimento, em que há o predomínio do conhecimento e da competência”.
Em outras palavras, significa que os profissionais com maior aptidão e performance conquistam posições melhores na empresa.
Alguns sinônimos incluem termos como liderança dos mais capazes e liderança dos mais competentes.

Etimologia do termo

O termo deriva dos conceitos em latim “meritum”, que significa ter mérito, e “cracia”, que designa o poder.
Portanto, a etimologia do termo define a proposta da meritocracia: fazer com que o mérito seja o fator para o crescimento.

Origem e história da meritocracia

O termo meritocracia foi utilizado pela primeira vez no livro The rise of the meritocracy, do sociólogo e político britânico Michael Young.
O livro foi lançado em 1958 e narra uma sociedade distópica, em que as elites seriam formadas com base em resultados de QI.
À época, o livro era uma crítica ao sistema educacional britânico, em que as crianças eram submetidas a testes de inteligência que eram decisórios para a vida profissional delas.
Com o passar dos anos, o termo passou a ser utilizado por pensadores, políticos e empresários.
Hoje o conceito está presente em discussões sobre sociedade, economia, justiça e, como é o caso deste texto, gestão de negócios.

Tudo isso é muito importante, mas existe algo fundamental para colocar em prática:
Você precisa de ter hábitos certos, que vão te colocar em ação.


Pensando nisso, criamos um material que vai te ajudar a ser mais feliz e realizado através de hábitos de sucesso.

Clique aqui para ter acesso ao material e participar de um encontro online, onde Villela da Matta vai te dar mais conhecimento sobre este tema.

Continuando...

Controvérsias e comentários sobre o conceito de meritocracia

O conceito de meritocracia envolve discussões e controvérsias no âmbito social.
Isso porque a meritocracia, fora da realidade restrita da empresa, pressupõe que todos os indivíduos, com esforço e dedicação, podem crescer, sem considerar fatores externos de vida que impactam na trajetória de cada um, como injustiças sociais, por exemplo.

Críticas à meritocracia

Como indica matéria do jornalista Camilo Rocha para o Jornal Nexo, alguns críticos consideram o conceito falho por ignorar o contexto social e cultural das pessoas, que representam vantagens e desvantagens.
Ou seja, nesse caso, a meritocracia estaria apenas reforçando as desigualdades.
Em artigo para o jornal The Guardian, o cunhador do termo, Michal Young, faz uma ponderação sobre o modelo.
“É bom senso apontar pessoas individuais para empregos conforme seu mérito. É o oposto quando aqueles que são julgados como possuidores de um mérito particular se engessam em uma nova classe social sem espaço para os outros”, afirma.
Na realidade brasileira, o termo também é contestado.
Segundo Ricardo Paes de Barros, economista-chefe do Instituto Ayrton Senna, a meritocracia não serve a não ser que a desigualdade de oportunidades seja resolvida.
Em 2016, Barros fez o seguinte questionamento: “Como discutir o mérito de quem chegou em primeiro lugar em uma corrida onde as pessoas saíram em tempos diferentes e a distâncias diferentes”, disse, conforme aponta o jornal Valor Econômico.

Qual a importância da meritocracia?

meritocracia qual importancia
A meritocracia, quando bem aplicada na prática, é importante para manter o alto nível da equipe e dos resultados da empresa.
De modo geral, quando os colaboradores estão engajados em metas, a consequência é o aumento da performance e da produtividade da empresa.
E é justamente esse engajamento que a gestão por meritocracia busca, como mencionamos anteriormente.
Então, uma boa aplicação da meritocracia é capaz de reter os talentos da empresa e reduzir os índices de rotatividade.
Além disso, devido a sistema de promoções e recompensas, os funcionários se sentem mais motivados para alcançar melhores resultados, contribuindo para o crescimento da empresa.
O principal ganho de uma meritocracia feita de maneira consistente é a valorização dos funcionários independentemente de quaisquer fatores que não sejam de âmbito profissional.

Por que devemos adotar o modelo meritocrático no ambiente empresarial?

O modelo meritocrático, quando bem empregado, pode ajudar na retenção dos melhores talentos da empresa.
Essa pode ser uma maneira de o gestor identificar os profissionais mais comprometidos com o negócio e valorizá-los por meio do crescimento.
A valorização, nesse caso, pode ser como uma fonte de motivação e produtividade para os colabores engajados com o crescimento profissional.
Em artigo para a revista Wired, Jim Whitehurst, presidente da empresa Red Hat, recomenda o modelo meritocrático para engajar colaboradores e fomentar a liderança.
“Em uma meritocracia, todos têm o direito de expressar suas opiniões e são encorajados a compartilhá-las abertamente e com frequência. Essas opiniões são ouvidas, e as decisões são tomadas com base naquelas que são consideradas as melhores”, afirma.
Mas, para que esses benefícios ocorram na prática, é preciso tratar todos os colaboradores igualmente.
É o que defende o consultor de negócios Bob Fifer no livro Dobre seus lucros (Agir, 2012).
“O que devemos dar a todos os funcionários é a oportunidade de chegar ao topo, bem como o treinamento e o apoio para ajudá-los a chegar lá; não garantias desvinculadas do desempenho”, destaca Fifer.

Qual o impacto da meritocracia na rotina da empresa?

meritocracia qual impacto rotina da empresa
A meritocracia é um modelo de gestão que pode trazer impactos positivos ou negativos à rotina da empresa.
Por isso, a boa implantação do sistema deve ser prioridade do gestor.
Veja bem: em termos gerais, o funcionário sempre está comprometido com o seu próprio crescimento.
Se esse objetivo estiver alinhado à cultura da empresa e às metas estabelecidas, melhor ainda, certo?
Qual o impacto disso?
Quando a gestão é feita da maneira correta, os benefícios sentidos no dia a dia dos funcionários são maior engajamento e motivação em prol dos objetivos da empresa.
Isso porque, pela gestão por meritocracia, os colaboradores sabem que, quanto maior o seu desempenho, mais chances de crescer dentro da empresa.
Você já ouviu dizer que o capital humano é o fator mais importante de uma empresa?
Pois é: se você conseguir manter os seus funcionários satisfeitos e motivados em buscar posições de destaque, melhores resultados como um todo a empresa irá obter.
Mas cuidado: esses impactos positivos só ocorrem quando a meritocracia é bem implantada.
Assim, quando há sucesso nessa implementação, todos ganham: a empresa leva ao topo os melhores colaboradores, e os funcionários se sentem engajados e dispostos a correr atrás do seu crescimento profissional.

Como implantar a meritocracia na sua empresa?

Para que a meritocracia não acabe prejudicando os funcionários, é preciso ter muito cuidado na hora de implantar o modelo na empresa.
Confira algumas dicas para não errar:

Estude o ambiente interno

O primeiro passo é avaliar quais possibilidades de crescimento a empresa pode proporcionar aos funcionários.
A empresa tem capacidade para conceder promoções e demais benefícios para os colaboradores com melhor performance?
É possível oferecer aumento de salário na atual realidade do negócio?
Olhar para o ambiente interno no qual será implantada a meritocracia é essencial para criar um plano de crescimento consistente para os funcionários.

Estabeleça benefícios

Também é necessário definir quais benefícios serão oferecidos para os colaboradores, que podem incluir, por exemplo:

  • Posições hierárquicas mais elevadas
  • Aumento salarial
  • Participação nos lucros e comissões
  • Brindes e prêmios
  • Bolsas de estudo
  • Folgas.

É essencial que esses benefícios motivem os colaboradores e estejam esclarecidos entre a equipe.
Quanto mais transparência na definição dos benefícios, melhor.

Crie metas claras

Ao implantar a meritocracia, defina com clareza quais são as metas da empresa e os critérios que serão utilizados para a concessão de benefícios.
Apenas assim é possível empregar o modelo de maneira justa a todos os colaboradores.
Em entrevista ao Jornal Nexo, Eduardo Marostica, professor de Administração da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, disse que é fundamental estabelecer indicadores e critérios claros de performance dentro da empresa.
Segundo ele, essa é a melhor maneira de reduzir a margem de erro em empresas meritocráticas.

Dê poder aos líderes

O líder tem um papel crucial na implantação da meritocracia.
É ele que avalia diariamente a performance e a produtividade de cada colaborador e engaja a equipe a se concentrar nas metas do negócio.
Por isso, o gestor precisa estabelecer uma comunicação eficiente com o líder de cada setor da empresa e, com a ajuda dele, criar metas e objetivos.

Prós e contras da gestão por meritocracia

meritocracia pors contras gestao
Como você viu anteriormente, a gestão por meritocracia é alvo de controvérsias.
Para ajudar a compreender melhor o impacto desse modelo, confira os prós e contras a seguir.

Prós

  • Valoriza e retém os melhores talentos da empresa
  • Engaja os colaboradores
  • Oferece possibilidades de crescimento
  • Traz maior produtividade
  • Permite sistema de avaliações e feedbacks
  • Leva os melhores profissionais para postos-chave da empresa.

Contras

  • Fomenta individualismo entre os colaboradores
  • Frustra colaboradores que não são beneficiados
  • Requer grande esforço de planejamento
  • Demanda atenção constante da gestão de pessoas.

Quais são os principais resultados para a empresa?

Os principais resultados da meritocracia nas empresas dizem respeito ao crescimento do negócio.
Em artigo da revista Meu Próprio Negócio, Nani Soares afirma que empresas que adotam a meritocracia tornam o desempenho dos profissionais o caminho para o próprio crescimento.
“O conceito impacta na elevação dos lucros, na fidelização dos clientes, no comprometimento dos fornecedores e no crescimento dos profissionais, além de reduzir o turnover”, diz a autora.
Como você pode ver, os resultados abrangem diferentes áreas do negócio.
Isso tudo é a consequência do busca dos profissionais pelo melhor desempenho, contribuindo para a elevação da performance do negócio.
Então, não são apenas os funcionários que saem ganhando – a empresa também tem vantagens com a adoção.
Ela amplia suas chances de conquistar as metas estabelecidas para o negócio, já que os colaboradores de melhor desempenho são promovidos a posições-chave e os funcionários se comprometem com as metas em todos os níveis.

O que não fazer em uma meritocracia empresarial

Você já leu as dicas para implantar a meritocracia empresarial.
Mas quais são os erros que podem acabar prejudicando a dinâmica da empresa?
Saiba três erros que você não deve fazer:

1. Fazer distinções além do âmbito profissional

Nenhum outro fator que não seja de âmbito profissional pode interferir no crescimento dos profissionais na empresa.
Isso inclui questões como gênero, raça, sexualidade, nível de parentesco, por exemplo.
A meritocracia não pode, em hipótese alguma, servir como argumento para conceder privilégios sem levar em conta a performance do funcionário.
Nesse sentido, vale reforçar a importância vital dos critérios objetivos, definidos em um planejamento sério e orientado por resultados.
Ou seja, os parâmetros da meritocracia devem premiar, no fim das contas, aqueles colaboradores que produzem maior valor para a empresa.

2. Não definir as metas de forma clara

Se você vai premiar os funcionários com melhor desempenho, é preciso comunicar de forma clara quais são as metas da empresa e o que você espera de cada um.
Se essa definição não existe ou não está clara para todos os colaboradores, então, a gestão por meritocracia cria uma dinâmica injusta na empresa.
Lembre-se de que todos os funcionários precisam ter os mesmos recursos para alcançar o potencial que possuem.

3. Criar metas inatingíveis

Da mesma forma que as metas precisam ser bem comunicadas à equipe, elas precisam ser realistas.
Nem sempre as metas podem ser alcançadas em curto prazo, e demandar isso dos colaboradores não contribui em nada para o crescimento da empresa.
Portanto, é preciso garantir que as metas traçadas estão ao alcance de cada funcionário para que nenhum deles saia prejudicado na hora da avaliação de desempenho.

4. Não medir o desempenho de forma adequada

Se você quer implementar a meritocracia na empresa, é crucial ter um método consistente e imparcial para medir o desempenho dos colaboradores.
Senão, o modelo se torna prejudicial para os próprios funcionários.
No livro Indicadores de desempenho: dos objetivos à ação, Andressa Francischini e Paulino Francischini reforçam:
“Meritocracia com uma avaliação de desempenho falha produz injustiças, insatisfações e pouco se diferencia do paternalismo, apadrinhamento, nepotismo e reciprocidade nas relações pessoais”.

Mas como medir o desempenho do colaborador?

meritocracia mas como medir desempenho colaborador
Medir o desempenho do colaborador com um processo formal e um sistema predefinido é essencial para garantir que as avaliações sejam feitas de maneira imparcial.
Em entrevista ao site GaúchaZH, Rodrigo Soares, diretor da empresa de recrutamento especializado Hays, afirma que o mais importante é conseguir mensurar as realizações dos colaboradores de forma transparente.
E para isso, é essencial estabelecer uma boa comunicação, além de uma definição de objetivos, metas e parâmetros que levem em consideração o resultado final da empresa.
“Assim, cada um saberá a parte que lhe cabe na engrenagem e evitará a disputa entre áreas e pessoas em busca dos mesmos fins”, diz o especialista.
Antes mesmo das avaliações, é preciso que todos os colaboradores conheçam o método que será utilizado, ou seja, quais são as métricas e critérios escolhidos.
Emilio Castilla, professor de gestão no MIT Sloan School of Management, menciona, em um artigo para a revista Sloan Management Review, quais definições precisam ser feitas.
Segundo ele, é preciso determinar:

  • Responsável por coletar e analisar os dados
  • Responsável por garantir que as decisões sejam feitas por mérito
  • Responsável por observar a análise dos dados
  • Responsável por coletar, codificar, computar e relatar os números e análises os tomadores de decisão.

A meritocracia e a avaliação de desempenho

Como você pode ver, na gestão por meritocracia, a avaliação de desempenho tem papel central para identificar quais funcionários devem ser gratificados.
Para manter o rigor e a formalidade do processo, é preciso que todos os dados coletados a respeito dos colaboradores sejam registrados em fichas de avaliação.
Ao mesmo tempo em que o processo precisa ser bem definido, seus resultados também devem ser registrados de maneira formal.
Além disso, é preciso que a avaliação de desempenho esteja acompanhada de feedback para os colaboradores, de modo a orientá-los a respeito dos pontos de melhoria.
Essa atividade cabe ao gestor da empresa ou ao setor de Recursos Humanos.
Se o feedback é negativo, também é importante oferecer treinamento ao colaborador, para que ele tenha condições aprimorar seu desempenho – tanto para progredir na carreira, quanto para oferecer melhores resultados para a empresa.

Conclusão

meritocracia conclusao
Com essas considerações em mente, você já pode implementar a gestão por meritocracia na sua empresa.
Lembre-se de que é preciso montar processos bem definidos e imparciais para avaliar o desempenho dos colaboradores.
Isso porque uma avaliação mal feita não prejudica apenas os funcionários, mas toda a organização.
Para isso, é importante ter um panorama completo dos objetivos e metas da empresa, da função de cada um dos colaboradores e das expectativas e demandas de cada cargo.
Dessa forma, é possível traçar objetivos para equipes e metas individuais.
Assim, a competitividade fica sempre alinhada com os resultados da empresa.
Depois, é importante comunicar esses fatores de maneira clara para todos os funcionários e líderes.
Nessa travessia para uma gestão focada na meritocracia, há um aliado importante com o qual você pode contar: o coaching.
Essa metodologia de aprimoramento de competências e habilidades comportamentais tem tudo a ver com a conquista de objetivos, tanto os da empresa quanto os do colaborador.
Com ela, cada colaborador e líder pode desenvolver melhor competências como motivação, foco, comprometimento e autoconfiança.
Então, se você busca uma maneira de facilitar essa transição na gestão e levar sua empresa mais longe, vale a pena conhecer a SBCoaching, referência mundial em treinamentos e cursos de coaching.
Gostou das dicas? Então, compartilhe nas suas redes e deixe um comentário abaixo.