Quando Vitor Belfort saiu de sua primeira sessão com a SBCoaching, os fãs de UFC ganharam um ídolo ainda mais completo e preparado emocionalmente. Ao mesmo tempo, o universo do Coaching subia no octógono pela 1ª vez para representar o Desenvolvimento Humano!

O Coaching, a Competição e os Homens - Villela da Matta Vitor Belfort durante a sessão de Coaching

Villela da Matta e Vitor Belfort durante a sessão de Coaching

O próximo dia 23 maio pode entrar para a história do esporte nacional: afinal, Vitor Belfort lutará para reconquistar o título de campeão mundial do UFC (Ultimate Fighting Championship) pela categoria dos Médio-Pesados, contra o americano e atual campeão Chris Weidman – o mesmo que recentemente venceu duas vezes o brasileiro Anderson Silva.

Vitor Belfort é chamado de fenômeno na categoria mais importante das Artes Marciais Mistas (MMA), e não é à toa: ele venceu o seu primeiro campeonato com apenas 19 anos. E permanece até hoje como o mais jovem a atingir essa conquista.

Quase duas décadas depois, Belfort abriu a sua mente para o Coaching, e o nosso presidente Villela da Matta foi o escolhido para a missão especial de estruturar um treinamento poderoso, rico em ferramentas e técnicas de alta performance – consagradas entre os grandes executivos do Brasil e do mundo – e que neste desafio foram direcionadas para o perfil atlético e vencedor de Belfort.

Esta parceria representa a grande estreia nacional do Coaching no octógnono, é a primeira vez que uma empresa de Coaching do Brasil assina a metodologia de preparação de um grande nome dos esportes de combate. Em termos de valor e credibilidade de marca, a SBCoaching deu o seu primeiro nocaute no segmento, através dos punhos e da personalidade de um astro da modalidade esportiva que mais cresce no planeta desde 2011, segundo os dados auditados pela assessoria de comunicação oficial do UFC.

Villela da Matta está aprimorando o condicionamento psicológico de Vitor Belfort para que as suas forças internas e, sobretudo o seu lado emocional, trabalhem a seu favor quando o brasileiro estiver diante do maior desafio de sua carreira: acompanhado por milhões de pessoas em todo o planeta, em uma arena lotada no célebre palco de Las Vegas, nos Estados Unidos, na madrugada do combate.

O Coaching, a Competição e os Homens

Técnicas do mundo corporativo também contribuem com o esporte

 

A contribuição da SBCoaching para o aperfeiçoamento humano de Belfort já chamou a atenção do mercado, a começar pela matéria que a Exame (a mais tradicional revista de negócios e educação executiva do Brasil) produziu sobre o assunto. Clique aqui para ler o material na íntegra.

Para a Sociedade Brasileira de Coaching, a vitória do Desenvolvimento Humano – e sua representação para o grande público – juntamente com a nossa rigorosa metodologia de pesquisa já está assegurada. O motivo é simples, e está eternizado na declaração de Vitor Belfort sobre o nosso processo: “Os benefícios do coaching ultrapassam as linhas do octógono. Todos pensam que o trabalho psicológico é necessário somente antes de algum momento importante ou quando estamos passando por um momento difícil. Eu recomendo para todo mundo em qualquer momento de sua vida”.

Para uma empresa que já formou mais de 15 mil coaches e é reconhecida internacionalmente por sua qualidade de treinamentos e parcerias, contribuir com o crescimento de um dos maiores atletas do mundo é o mesmo que conquistar um cinturão. Em nosso caso, um título pela luta de quase duas décadas em formar pessoas para atuarem em alta performance, e desenvolver líderes, executivos e empresas para atingirem grandes resultados e receitas.

“COACHING” NA GRÉCIA ANTIGA: A COMPETIÇÃO NA BASE DO SER HUMANO

Quando Vitor Belfort entrou em nossa sessão de Coaching ficou mais fácil entender a importância do Esporte para a formação competitiva do ser humano – um princípio que começou antes mesmo da criação dos Jogos Olímpicos.

O Coaching, a Competição e os Homens - Roger Caillois estudou o espírito de competição desde a Grécia Antiga

Roger Caillois estudou o espírito de competição desde a Grécia Antiga

 

A palavra “competição” se entrelaçava com o conceito de “jogo” (que mais tarde evoluiria para a noção de “esporte”) entre os homens que fundaram as bases da civilização ocidental.

É interessante observarmos que o conceito de “competição” foi criado antes mesmo dos Jogos Olímpicos da Antiguidade – que eram um festival religioso e atlético realizado de quatro em quatro anos no santuário de Olímpia – para celebrar o culto de Zeus. É consenso entre os historiadores que a data tradicional atribuída à primeira edição dos Jogos Olímpicos ocorreu em 776 Antes de Cristo.

No livro “Os Jogos e os Homens”, uma obra de referência acadêmica sobre a temática da competição, escrita pelo sociólogo e antropólogo francês Roger Caillois, podemos compreender o que representava o “espírito de competição” para os gregos antigos: “O interesse do jogo é, era para cada um dos concorrentes, o desejo de ver reconhecida a sua excelência num determinado domínio.”

A notar pelas palavras “excelência e domínio”, esse conceito milenar não mudou quando o assunto é a competição por resultados no mundo corporativo do século XXI.

Continuando com o autor: “É a razão pela qual a prática do Agôn supõe uma atenção persistente, um treino apropriado, esforços assíduos e vontade de vencer. Ou seja, a competição e os jogos, implicavam em disciplina e perseverança”.

O Agôn ou Ágon citado pelo autor é um termo do grego antigo que significa “luta, competição, disputa, conflito, discussão, combate, jogo” entre outras derivações. Por isso, na Grécia Antiga, as competições que antecederam as Olimpíadas eram chamadas de “Agones”.

Em diversos livros de Mitologia encontramos o nome Agôn representando o “Espírito do Esporte”. Para finalizar a citação de Caillois, veja o que o autor nos ensina sobre o sentido maior do termo Agôn: “Apresenta-se como a forma pura do mérito pessoal”.

O Coaching, a Competição e os Homens - A competição já era sinônimo de virtude antes das Olimpíadas

A competição já era sinônimo de virtude antes das Olimpíadas

 

A busca pelo aperfeiçoamento humano é realmente muito antiga. E a satisfação pelas tarefas cumpridas e pelos objetivos alcançados acompanha o ser humano há séculos.

Após olharmos para o passado, fica mais fácil entender porque o espírito de combate e superação do homem grego permanece vivo em homens como Vitor Belfort.

O Coaching, em seu sentido mais puro e objetivo – que é o de “treinamento” – esteve presente em grandes eventos, e no amadurecimento da racionalidade humana. Aprendemos nos parágrafos acima que a própria noção de mérito/vitória sempre acompanhou os homens que buscavam na virtude superar os problemas e as angústias da vida cotidiana.