leitura e desenvolvimento

A importância de uma boa leitura

Estar interessado no desenvolvimento da carreira, atento às tendências do mercado e às boas opções de formação são pressupostos essenciais para alcançar destaque na vida profissional, todavia, conhecer-se profundamente também é um processo indispensável. Os benefícios desse estado de autoconhecimento envolvem a segurança necessária para tomar decisões nas experiências pessoais e corporativas. A leitura é um instrumento importante para esse desenvolvimento, uma vez que oferece diversas possibilidades de vivência aos leitores, que poderão experimentar situações novas, a cada nova prosa.

A importância inevitável da leitura

A leitura não facilita conflitos e pensamentos voltados, apenas, a questões subjetivas. Os executivos, líderes e chefes, por exemplo, podem utilizar os exemplos da literatura para descobrir melhores formas de lidar com suas equipes.

Os livros sempre acrescentarão conhecimento às nossas relações pessoais e profissionais. O indivíduo interessado por literatura, sem restar dúvidas, manipulará melhor sua língua materna e, com certeza, utilizará esse conhecimento para tornar sua fala mais culta, quando necessário, causando admiração em seus colegas. Além disso, o repertório de opiniões e relações entre a realidade e arte se tornará mais consistente, tornando as interações, inclusive de networking, mais interessantes.




Opções de gêneros e temas

A literatura, desde a Grécia (principal referência da literatura ocidental), dispõe de diversos gêneros. Dessa forma, os leitores podem se debruçar na leitura de romances, novelas, contos, poesias, epopeias e peças teatrais. Os temas, por sua vez, são tão diversos quanto à criatividade humana: prosas de amor, de heróis, de viés social, cotidiano, ficção científica são algumas das opções. Para ter como exemplo, abaixo estão alguns livros essenciais para quem deseja ler alguns clássicos universais:

1)    Parte-se da Grécia. De acordo com o filósofo Aristóteles, esta é a melhor tragédia grega: Édipo Rei, de Sófocles. Inclusive, o pai da psicanálise, Freud, baseou-se nessa história para criar o conceito do complexo de Édipo.

2)    Dom Quixote: o maior clássico literário da Espanha. A narrativa de Miguel de Cervantes trata, com fina ironia, da decadência das novelas de cavalaria e do papel do herói.

3)    Memórias Póstumas de Brás Cubas. Esse livro apresenta a vida narrada em morte. O protagonista defunto relata sua vida, em que, sutilmente, enxergam-se as mazelas sociais brasileiras, isso no estilo inconfundível do grande autor brasileiro, Machado de Assis.

Grande Sertão: Veredas. Obra escrita pelo mineiro João Guimarães Rosa, a narrativa descreve a entrada da lei no Sertão, além de se encontrar, entre essas páginas, uma das mais belas histórias de amor em Língua Portuguesa.