Para conquistar o sucesso profissional, muitas pessoas deixam de se preocupar com a qualidade de vida e esquecem os cuidados básicos para que seu organismo funcione da forma correta. Má alimentação, vida sedentária, poucas horas de sono, tabagismo e muito estresse são fatores que contribuem para o surgimento de doenças como: hipertensão, obesidade, e problemas pulmonares e cardíacos.

Quais são as dificuldades em manter profissionais com problemas de saúde

Praticar atividades físicas, se alimentar corretamente e não manter maus hábitos, como o consumo de álcool e de tabaco, são importantes não só para o profissional, mas também para as empresas. Isso se deve ao enorme gasto que as empresas têm com convênios, afastamentos e licenças médicas devido aos problemas de saúde gerados pela situação atual dos funcionários.

Há uma estatística com a qual as seguradoras de saúde e previdência trabalham, que mostra que 20% dos empregados de uma companhia consomem 80% do orçamento para a saúde. De acordo com esses números, as empresas serão mais criteriosas ao contratar novos funcionários.

O que fazer para reverter esse quadro?

Tanto as empresas quanto os próprios funcionários podem agir para fazer a diferença e não entrar para essas estatísticas.

O papel da empresa com a saúde do funcionário

O departamento de RH das empresas podem indicar diversas campanhas, como: reeducação alimentar, atividades físicas e ginástica laboral. Existem profissionais especializados para auxiliar as pessoas a perderem peso com saúde, sem utilizar nenhum tipo de medicamento, apenas com atividades físicas e uma alimentação balanceada, são os “Diet coaches”.

A responsabilidade do colaborador com a própria saúde

As campanhas serão ineficientes se todos os envolvidos não compreenderem o propósito dessas ações. Portanto, os colaboradores precisam ter comprometimento com os programas estipulados e entender o quanto é importante a sua dedicação para que o resultado seja positivo.