A ideia de escrever este artigo veio através de um amigo que me ligou sugerindo o tema.
Acatei de imediato a sugestão interessada em me aprofundar mais e descobrir como essa mudança no relógio pode afetar a vida das pessoas.

Horário de verão pode ser prejudicial à saúde?

O horário de verão traz à tona o tradicional debate sobre a qualidade do sono

Horário de Verão

Cliquei no amigo de todas as horas, o Google e, assim, iniciei minha pesquisa. Achei que a criação do horário de verão fosse uma coisa recente e qual não foi minha surpresa quando descobri que o criador do horário de verão foi Benjamin Franklin, no ano de 1784. Afinal aquele gênio fazia tantas coisas que, literalmente, precisava de mais algum tempo diário de iluminação para dar cabo de ao menos de boa parte de seus afazeres. Vale lembrar que naquela época não havia luz elétrica.

Benjamim Franklin constatou que em determinados meses do ano o sol nascia antes que a maioria das pessoas acordasse e o adiantamento do relógio em uma hora permitiria que tirassem maior proveito do período diurno havendo também uma diminuição do consumo de velas, que era altíssimo. Podemos trazer isto para o dia de hoje onde esse horário permite uma redução significativa na geração e consumo de energia elétrica. Porém, na época, a ideia não foi bem aceita e não foi aplicada nos Estados Unidos.

Atualmente cerca de trinta países utilizam o horário de verão. Aqui no Brasil esta inovação foi implantada pela primeira vez em 1931. Mas também não vingou. Até que em 1985 devido a uma forte queda no nível de água  dos reservatórios das hidrelétricas, o horário de verão voltou a ser utilizado e continua até hoje.

E como fica o nosso relógio biológico com essa mudança? E quais as consequências em nossa saúde como um todo, ou seja, física e emocional? Que tipo de transtornos psicológicos pode surgir?

Acordamos uma hora mais cedo e para alguns isso faz uma enorme diferença. Há pessoas se queixam de sonolência, irritabilidade, dificuldade de concentração, dor de cabeça, cansaço, mudança nos hábitos alimentares, etc, ou seja, as mesmas queixas dos insones ou de pessoas que sofrem com as mudanças de fuso horários em viagens de avião.

Pessoalmente gosto do horário de verão porque o dia fica mais longo, podendo ser mais bem aproveitado, mas este ano percebi que algumas funções ficaram um pouco desajustadas no início e que este início está um pouco mais longo do que em outros anos. O que me leva a crer que já gostei mais do horário de verão do que hoje, acho que com a idade há uma sensibilidade maior nessa mudança. Será? Não pesquisei, mas acredito que os adolescentes também sintam bastante…

Horário de verão pode ser prejudicial à saúde? - Benjamin Franklin inventor

Benjamin Franklin: o grande inventor americano foi pioneiro ao pensar o horário de verão como benefício à economia

Em minhas pesquisas enquanto escrevia o meu livro sobre sono – Durma bem e acorde para a vida – fui surpreendida em como a qualidade do sono é fundamental já que é nesse período que hormônios importantes cumprem a sua função e, se temos um sono com interrupções ou dormimos menos horas do que o necessário, esses hormônios muitas vezes não são liberados em quantidades suficientes o que acarreta danos a nossa saúde.

Outro problema é que nas regiões onde o horário de verão é implementado as pessoas saem ainda no escuro para o trabalho ou estudo, o que pode ocasionar medo que gera ansiedade e estresse.

De qualquer forma não adianta ficarmos reclamando porque não vamos conseguir mudar isso, visto que a cada dia se torna mais urgente reduzir o nível do consumo de energia. O que podemos e devemos fazer é encontrar formas de minimizar ou mesmo evitar os possíveis danos. Vamos precisar fazer alguns ajustes na nossa rotina diária como, por exemplo, dormir um pouco mais cedo, no início deixar a claridade entrar pela janela ao amanhecer e usar nossa imaginação para nos beneficiarmos desse tempo a mais com luz em nosso dia.