Peter Drucker

Ao criar a gestão como disciplina, Peter Drucker a definiu como uma ciência social prática e humanista que não se restringia ao mundo corporativo

Considerado o pai da moderna gestão de empresas, Peter Ferdinand Drucker inspirou administradores em todo o mundo com seus artigos, conferências e mais de 30 livros. Aos 26 anos, o consultor, economista e analista financeiro austríaco – nascido na cidade de Viena, em 1909 – emigrou para os Estados Unidos, onde exerceu o ofício de professor de Ciências Sociais da Claremont Graduate California até a data de sua morte, em 2005.



Ao criar a gestão como disciplina, Peter Drucker a definiu como uma ciência social prática e humanista que não se restringia ao mundo corporativo, já que se alimentava fundamentalmente da Teoria Política, Filosofia, Economia, Psicologia, História e Matemática. Contribuiu ainda com importantes ideias para a administração moderna, como os conceitos de “(re) privatizações” (privatizações de serviços públicos como forma de reduzir a burocracia), “gestão por objetivos” (gestão baseada em fatores quantitativos, como método de planejamento e avaliação) e “descentralização nas empresas” (promoção de autonomia dos setores para maior rapidez das atividades).

Embora tenha rejeitado o rótulo de “guru” do management, foi assim como Peter Drucker ficou conhecido pela capacidade de interpretar dados do presente e prever suas implicações para o futuro no mundo dos negócios. Em uma de suas frases memoráveis, o estudioso afirmava que “o planejamento não diz respeito às decisões futuras, mas às implicações futuras de decisões presentes”. Outro diagnóstico fundamental foi afirmar que os trabalhadores são os donos do conhecimento mais importante da sociedade pós-capitalista.

gestão de empresas

Considerado o pai da moderna gestão de empresas, Peter Ferdinand Drucker inspirou administradores em todo o mundo

Ao longo de mais de 60 anos, as contribuições intelectuais de Peter Drucker influenciaram milhares de pessoas. Bill Gates (fundador da Microsoft) e Henry Ford (fundador da Ford Motor) foram alguns dos personagens relevantes da história do mundo empresarial que encontraram nos livros do filósofo austríaco inspiração para compreender as tendências da economia mundial. Dentre as principais obras, destacam-se Tecnologia, Administração e Sociedade, Desafios Gerenciais para o Século XXI, Administrando em Tempos de Grandes Mudanças, Sociedade Pós-Capitalista e Administrando para o Futuro.

Drucker e o Brasil

Peter Drucker conhecia bem o Brasil, onde realizou conferências e seminários. Em entrevistas concedidas na época, o teórico revelou ser fascinado pela história da empresa brasileira Embraer e ter conhecido pessoalmente o presidente Juscelino Kubitschek, ocasião em que se demonstrou como grande entusiasta da construção da capital federal. Drucker exerceu forte influência no mercado educacional do mundo e também do Brasil. Como observador nato, diagnosticou falhas e apontou soluções para os problemas detectados.

Estudioso da economia da América Latina desde a década de 1930, Drucker defendida a teoria de que “não há países subdesenvolvidos, há países subgeridos”. Assim, ao observar a realidade econômica brasileira, concluiu que o maior desafio para o desenvolvimento do Brasil é a integração socioeconômica entre o Norte e o Sul do País. Graças aos ensinamentos e conceitos do professor, foram criadas diversas instituições brasileiras de ensino voltadas aos negócios, a exemplo dos programas de MBAs. Para ele, os negócios permitiam pensar em soluções de problemas para a miséria e o crescimento da nação.

Gostou desse artigo? Curta e compartilhe com seus amigos nas redes sociais.

Crédito das Imagens:

http://www.emprendedoresnews.com/

http://www.sercapacita.com.br/