Empreendedorismo: Tudo que você precisa saber

Acha que o empreendedorismo é melhor caminho para o seu futuro profissional?

Então, você chegou ao lugar certo.

Neste artigo, você vai aprender tudo o que precisa saber sobre o tema.

A primeira lição é esta: a mentalidade empreendedora vai muito além da criação de um novo negócio.

E sua aplicação pode levar a uma jornada de autodescobrimento, suor, sucesso e riqueza.

Nas próximas linhas, vamos apresentar não apenas as características e a importância do empreendedorismo, mas também como você pode usar essa capacidade para encontrar soluções inovadoras como empregado e como dono de um negócio.

Preparado?

É hora de decolar.

O que é empreendedorismo?

Empreendedorismo não é apenas a atitude de quem monta uma nova empresa.

O empreendedorismo é a qualidade de quem desenvolve soluções para produtos e serviços.

Normalmente, essa solução envolve a criação de uma empresa, a alocação de recursos e a tomada de riscos.

Mas o conceito pode ir bem além de um plano de negócios.

Empreendedorismo não é apenas a atitude de quem monta uma nova empresa.

Também se aplica ao empregado que pensa com a cabeça do dono, que propõe caminhos mais rápidos para a resolução de um problema e que não se contenta em fazer o mínimo possível.

Na prática, a economia depende do empreendedorismo e do espírito empreendedor, que desafia as dificuldades, sai da zona de conforto, assume riscos e gera trabalho, demanda e soluções.

“Educação e empreendedorismo são as duas coisas que fazem um país crescer”, diz Jorge Paulo Lemann, sócio do fundo 3G Capital e um dos grandes empresários do Brasil, em entrevista ao Endeavor.

Principais características do empreendedorismo

Rearview shot of a woman paying cash in a cafe

O empreendedorismo não é exclusividade de um tipo de pessoa nem depende de apenas uma qualidade ou potencialidade do indivíduo.

Mas há algumas características importantes para que o empreendedorismo ganhe corpo.

Vamos conhecê-las?

Inovação

A inovação é a base do empreendedorismo.

Para empreender, é preciso analisar uma demanda da sociedade, analisar a oferta de serviços e produtos e criar uma solução melhor.

E isso não é fácil, porque depende de tirar do papel ideias novas, que desafiam o que já foi feito por outras empresas.

Nesse sentido, o empreendedor é um inovador e um pioneiro.

Ele desbrava caminhos ainda não traçados pelos outros e abre espaço para o desenvolvimento.

Sem a inovação nessa equação, o empresário não tem sucesso.

Motivação

A motivação é uma das molas propulsoras do empreendedorismo.

Ninguém sai da cama disposto a criar um novo produto ou serviço sem estar animado a trabalhar bastante e a desafiar dificuldades para atingir seus objetivos.

Então, não adianta pensar em empreender se você não tiver uma vontade enorme de fazer isso.

Um desejo simples e comum, como “quero deixar de ser empregado”, não pode ser a sua única motivação para encarar o desafio.

Liderança

Empreender é liderar um grupo de talentos em torno de um objetivo em comum.

Essa é uma possível definição para a palavra, e já foi dita de diversas formas por executivos de sucesso, como Jack Welch, um dos gurus da administração e ex-CEO da General Electric.

Em uma conferência online em seu programa de MBA, no Jack Welch Management Institute, ele afirma:

“As pessoas acham que são ocupadas demais para dar feedback de performance. Mas esse é o seu trabalho número um”.

Otimismo

O empreendedorismo depende de uma boa dose de otimismo.

O empreendedorismo depende de uma boa dose de otimismo.

É ele que vai acompanhar a motivação nos momentos mais difíceis da jornada.

Quando você contar para alguém que quer montar um negócio, normalmente não escuta que aquela é uma boa ideia e que tudo vai dar certo.

Você vai enfrentar tanto ceticismo, que pode ficar tentado a desistir.

E depois que começar a avançar em seus planos, muitas de suas metas não serão batidas e muitos de seus objetivos não serão atingidos, pelo menos no tempo estipulado.

No fim do dia, o que mantém a chama empreendedora acesa é o otimismo inabalável.

Confiança

Esse otimismo inabalável deve gerar uma sensação forte e robusta de confiança.

Só com ela você vai convencer pessoas, sejam possíveis sócios ou colaboradores, de que a empresa pode (e vai) dar certo.

Em uma reunião de negócios ou em uma apresentação para um grupo de investidores-anjo, a confiança pode ser determinante para o sucesso ou fracasso da proposta.

E para se tornar mais confiante, você deve ter paixão pelo que faz, entender do que está falando, trabalhar duro e nunca desistir.

Persistência

Esse “nunca desistir” é uma das principais chaves para o sucesso no empreendedorismo.

“Fail again. Fail better” (Falhe de novo. Falhe melhor) é uma citação de um livro do escritor irlandês Samuel Beckett que se aplica muito bem ao mundo dos negócios.

Ao pesquisar sobre histórias de sucesso de empreendedores, você vai ver que todas (ou quase todas) estão cheias de episódios de fracassos, falências, frustrações e insucessos.

No fim das contas, a diferença entre quem ganha e quem perde é que o primeiro sabe que a corrida do empreendedorismo nunca termina.

Visão

Todo empreendimento precisa ter uma visão.

Onde você imagina que a empresa deve estar em 10, 20 e 30 anos?

Quais tipos de soluções ela deve oferecer no longo prazo?

Como o seu negócio pode mudar a vida das pessoas?

Qual é de fato o sentido de sair da cama e trabalhar incansavelmente para o sucesso de seu empreendimento?

É essa visão de longo prazo que diferencia um empresário de curto alcance, que vai desistir no primeiro “não”, e um empreendedor que vai parar apenas quando realizar o seu sonho.

Empreendedorismo x Empreendedor

Um funcionário que motiva seus colegas, não desiste nunca e traz ideias inovadoras para a mesa de reuniões possui uma mentalidade empreendedora.

O empreendedorismo é uma característica ou uma capacidade que reúne um pacote de habilidades que destacam um indivíduo como empreendedor.

Em outras palavras, o empreendedorismo faz parte da personalidade e é o que direciona o desenvolvedor do negócio.

Dessa forma, o empreendedorismo está diretamente relacionado à criatividade, à persistência, à iniciativa, à liderança, dentre outras habilidades do indivíduo.

E por uma visão mais ampla, essa capacidade pode estar presente não apenas no empresário, mas em qualquer pessoa que desafia a situação para encontrar soluções melhores para problemas atuais.

Um funcionário que motiva seus colegas, não desiste nunca e traz ideias inovadoras para a mesa de reuniões possui uma mentalidade empreendedora.

E parte do crescimento de qualquer colaborador parte desse espírito, dessa capacidade de ação em prol do desenvolvimento positivo de um negócio.

Quais os tipos de empreendedores

Quais os tipos de empreendedores

Há muitos tipos de empreendedores, como você pode imaginar.

Vamos tentar entender melhor quais são eles?

Nato

Os empreendedores natos são aqueles que nasceram criando soluções novas para os problemas.

Podem ter crescido em famílias ricas ou pobres, mas possuem uma mentalidade que os leva a liderar, seja em um negócio próprio ou como funcionários.

Suas trajetórias são impressionantes, resultando na construção de grandes empresas.

Ao longo desse processo, desenvolvem capacidades de negociação e vendas que colaboram para o alcance de tais resultados.

Suas principais características são o otimismo, visão de futuro e comprometimento com os seus ideais.

Corporativo

O corporativo é aquele que não possui o próprio negócio, mas aplica o empreendedorismo no seu emprego e está satisfeito com isso.

Atua em empresas que lhe dão a liberdade de criar e inovar e busca a melhoria contínua, tanto da sua produtividade quanto dos serviços oferecidos pela empresa empregadora.

Por necessidade

O empreendedor por necessidade é aquele que não tem alternativa a não ser trabalhar por si próprio, pois está desempregado ou sem acesso ao mercado de trabalho.

Suas iniciativas profissionais são simples, informais e pouco inovadoras, visando à subsistência.

Esse tipo de empreendedorismo nem sempre dá certo, porque se apoia em pilares frágeis.

De qualquer forma, essa necessidade também serve de combustível para que o empreendedor desafie o “status quo” e trabalhe dobrado em prol de seus objetivos.

Social

O empreendedor social é aquele que não visa necessariamente ao lucro, mas ao benefício social, trazendo inovação a mazelas relacionadas a causas de desenvolvimento social.

Possui características de qualquer empreendedor, como criatividade, determinação, visão de futuro e proatividade.

Com aspirações a transformações sociais, une os objetivos do empreendimento à sustentabilidade e a benefícios públicos e privados.

Serial

O empreendedor serial é aquele que está sempre desenvolvendo novos negócios, ou seja, usa o lucro de um empreendimento para investir em outro.

Nesse sentido, é comum que um empreendedor serial fique à frente de uma empresa até que possa vendê-la para construir uma nova, e assim sucessivamente.

Possui características de bom relacionamento, negociação, liderança, motivação e dinamismo.

Qual o impacto do empreendedorismo na sociedade?

Um aspecto importante é a concorrência e a competitividade no mundo corporativo.

De modo geral, o empreendedorismo é o principal vetor que gera desenvolvimento à sociedade.

Ao passo que o conceito de empreendedorismo está diretamente relacionado à inovação e a ao surgimento de negócios, a criação de novos empregos torna-se uma consequência, assim como a aceleração da economia e o aumento do gasto das famílias.

No mesmo sentido, é cada vez mais comum que os gestores entendam a responsabilidade social das empresas desenvolvam políticas internas e ações sociais que busquem a preservação do meio ambiente e o aumento da qualidade de vida.

Um outro aspecto importante é a concorrência e a competitividade no mundo corporativo, o que incentiva a inovação e a busca por empreendimentos em áreas pouco exploradas.

O Brasil, embora seja um país em desenvolvimento, está entre os 10 países mais empreendedores.

Além disso, é possível empreender também com o objetivo de resolver problemas sociais, já que a definição de empreendedorismo se dá pela identificação de uma necessidade, pela busca de soluções criativas e pelo desenvolvimento de uma inovação que atenda a essa necessidade.

Nesse sentido, uma cooperativa de reciclagem de lixo em uma determinada cidade é um exemplo de grande impacto social, pois a finalidade do seu negócio é preservar o meio ambiente, ao mesmo tempo em que gera emprego e renda.

Como se tornar uma pessoa empreendedora?

outsoursing
Quase 50 milhões de pessoas empreendem, de alguma forma, no país.

Você sabia que o Brasil é um dos países mais empreendedores do mundo, à frente de Estados Unidos, China e Alemanha?

Quase 50 milhões de pessoas empreendem, de alguma forma, no país.

Imagine: trata-se de uma fatia de 36,4% da população entre 18 e 64 anos.

É isso que revela uma pesquisa do Sebrae, de 2017, a Empreendedorismo no Brasil – Global Entrepreneurship Monitor.

E se você quer seguir esse caminho, o primeiro passo é a identificação de um problema.

Qual é a demanda importante de um público que não está sendo bem atendida?

Essa é uma pergunta essencial antes de começar um novo negócio.

Como criar um produto ou serviço melhor para resolver esse problema?

Talvez a resposta esteja em um coaching focado em advogados, em uma pizza melhor, em um software de gestão mais completo ou em um e-commerce de canecas personalizadas.

Qualquer que seja o caso, depois que você identificar um problema e vislumbrar uma possível solução, é hora de começar a empreender.

E o caminho é longo.

Envolve um plano de negócios, definição de missão e visão, captação de recursos, planejamento estratégico, execução, vendas, marketing e muitas outras etapas, tarefas e ações.

Mas o primeiro passo você está dando agora ao buscar informações sobre o empreendedorismo e se convencer de que esse é o seu caminho.

Empreendedorismo dentro das empresas

A premissa é esta: a busca de soluções inovadoras.

Como visto, o empreendedorismo não está unicamente relacionado à criação de um negócio próprio, mas também a um perfil de criação e inovação.

Nesse sentido, o empreendedorismo dentro das empresas é um caminho interessante tanto para a organização quanto para o empregado.

Para a empresa, o resultado é ótimo: mais vendas, maior bem-estar no ambiente de trabalho, maior produtividade, maior retenção e atração de talentos e, no fim das contas, maior faturamento e lucro.

Para o empregado, o resultado também é excelente: admiração dentro da organização, respeito dos colegas de trabalho, bom ambiente no dia a dia, perspectiva de crescimento, aumento de salário, bonificação pelas metas atingidas e participação nos lucros.

As características do empreendedor corporativo são, desse modo, a proatividade, iniciativa, foco, organização, ousadia, bom relacionamento interpessoal, flexibilidade, criatividade, e produtividade, assim como a paixão pelo produto ou serviço.

Tais características podem ser muito benéficas, desde que a cultura da organização e o perfil dos colaboradores estejam alinhados.

Então, se a sua ideia for adotar uma mentalidade empreendedora em sua vida pessoal e profissional, como empregado em uma empresa, a premissa é esta: a busca de soluções inovadoras.

Se esse é o caso, encare o trabalho como se fosse o dono do negócio.

Seja proativo, lidere a equipe, mantenha a confiança elevada, defina e atinja suas metas e veja o seu crescimento acompanhar o crescimento da empresa.

Coaching e empreendedorismo: como o coaching pode te ajudar a ser mais empreendedor?

MBA coaching
O coaching ajuda a aumentar e melhorar a autoconfiança, a motivação, a capacidade de liderança, a conquista de objetivos e a solução inovadora de problemas.

O coaching é uma metodologia de desenvolvimento pessoal que pode ajudar muito o empreendedorismo.

Com as ferramentas de coaching, você pode olhar para dentro de si e enxergar de fato quais são os seus valores, a sua missão e a sua visão de mundo.

Você vai entender melhor a si mesmo e, depois, terá condições de se posicionar melhor no mundo corporativo, seja com uma mentalidade empreendedora como funcionário ou com seu negócio próprio.

O coaching ajuda a aumentar e melhorar a autoconfiança, a motivação, a capacidade de liderança, a conquista de objetivos e a solução inovadora de problemas.

Programação Neurolinguística, mapa mental, visualização e rapport estão entre as técnicas utilizadas nesse tipo de treinamento.

Ou seja, é um kit completo para quem deseja adotar a mentalidade empreendedora.

Para obter esse rol de ferramentas e conhecimentos, você pode fazer um curso de coaching ou contratar a assessoria de um coach, um profissional que faz um atendimento personalizado para você atingir suas metas mais rapidamente.

Se você quer entender o poder dessa abordagem de desenvolvimento pessoal, vale a pena olhar para o exemplo de países desenvolvidos.

Nos Estados Unidos e na Europa, o coaching faz parte das rotinas das grandes empresas.

De acordo com o estudo Global Coaching Study, de 2016, essa metodologia é utilizada em 33% das corporações americanas e em 27% das europeias.

Exemplos de empreendedores para você se inspirar

autossabotagem
Vamos conhecer alguns empreendedores de sucesso.

A seguir, vamos conhecer alguns empreendedores de sucesso que trazem histórias inspiradoras:

Bill Gates

O bilionário Bill Gates nasceu em 1955, em uma família de classe média, em Seattle.

Na sua adolescência, trabalhou no desenvolvimento de jogos eletrônicos de fliperama.

Aos 17, juntamente a Paul Allen, desenvolveu um software para leituras magnéticas, que não recebeu crédito dos clientes devido à idade dos fundadores.

Ambos foram aceitos em Harvard, onde desenvolveram um interpretador da linguagem do Altair 8800, um dos primeiros computadores lançados nos EUA.

Assim fundaram a Microsoft, que mudou a história dos computadores pessoais.

Luiz Seabra

Fundador da Natura, Luiz Seabra começou a trabalhar em uma gráfica aos 15 anos.

Em seguida, foi trainee na Remington, assumindo um cargo de chefia aos 19 e de superintendente aos 21.

Em 1969, em sociedade com Jean Pierre Berjeaout, fundou a Indústria de Cosméticos Berjeaout Ltda.

Essa empresa viria a se chamar Natura, que já foi avaliada em quase R$ 20 bilhões.

Alexandre Costa

Aos 17 anos, Alexandre Costa revendia chocolates de porta em porta, até que recebeu um encomenda de 2 mil ovos de páscoa de 50g.

O problema é que seu fornecedor não produzia ovos de 50g.

Em busca de quem pudesse atender ao pedido, encontrou Cleusa Trentin, que produzia ovos caseiros.

Juntos produziram, em menos de três dias, os 2 mil ovos encomendados.

Com o dinheiro, fundou uma empresa de chocolate artesanal, a Cacau Show, que faturou R$ 3,3 bilhões em 2017.

Silvio Santos

O apresentador e empresário Silvio Santos começou sua carreira comercializando capas para título de eleitor e serviu ao exército como paraquedista em 1948.

Sua carreira na TV começou com uma participação em um programa de calouros e depois passou a adaptar à televisão os shows, espetáculos e sorteios feitos em circos.

Depois de circular com seu programa por TV Globo, Tupi e Record, decidiu montar sua própria emissora.

Em 1981 começou a operar o canal 4 de São Paulo, o qual, junto com emissoras do Rio de Janeiro, deu origem ao SBT.

Hoje o ex-camelô tem um patrimônio avaliado em US$ 1 bilhão e uma série de empresas.

Conclusão

Com o coaching, essa trilha não será solitária.

Viu como o empreendedorismo tem muitos exemplos inspiradores?

As trajetórias de sucesso que acompanhamos no tópico anterior mostram que o início da jornada do empreender é repleta de dificuldades.

Não se trata de um caminho fácil, de uma solução mágica e de uma forma rápida de chegar à riqueza.

Mas existe um atalho.

Ele é o coaching, o sistema de desenvolvimento pessoal sobre o qual falamos anteriormente.

Essa abordagem tem o potencial de levar você muito mais longe e muito mais rápido.

Lembre-se: nessa busca pelos seus objetivos, você vai ser abatido uma, duas, três vezes.

E terá que levantar mais forte, mais determinado e mais confiante de sua capacidade.

Com o coaching, essa trilha não será solitária.

Você vai contar com a ajuda do coach e de ferramentas poderosas que facilitam suas conquistas de curto, médio e longo prazo.

Dessa forma, com a certeza da vitória, fica muito mais simples trazer para perto o futuro que você tanto deseja.

Gostou das dicas sobre empreendedorismo? Deixe um comentário e compartilhe este artigo nas redes sociais.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também :)

Descubra a importância de desenvolver a autoaceitação

Os benefícios de aprender a se colocar no lugar do outro

Aprenda a desenvolver inteligência emocional no trabalho

Saiba o que é resiliência e entenda como desenvolvê-la

Como identificar e prevenir o esgotamento mental

Cinco dicas práticas de como vencer a timidez

Materiais Educativos

Como se tornar um Coach de sucesso

Escrito por Villela da Matta, presidente da SBCOACHING, este e-book traz 29 perguntas para alavancar o marketing, as vendas e as estratégias do seu negócio para seu sucesso…

Segredos da Paternidade Positiva

O envolvimento do pai contribui de forma significativa para o crescimento intelectual e mental da criança e a estimula na educação, desenvolvimento de habilidades, interesse etc…

Brian Tracy

Brian Tracy é uma das maiores autoridades em coaching e negócios do mundo: em mais de 30 anos de atuação, passaram por suas palestras e seminários mais de 5 milhões de pessoas. Já atuou como coach e consultor em mais de mil empresas. Autor de dezenas de best-sellers, foi homenageado em 2011 com o Lifetime Achievement Award, concedido pela National Academy of Best Selling Authors. É fundador e CEO da Brian Tracy International, tem uma carreira de sucesso, principalmente nos setores de vendas e marketing, investimentos, desenvolvimento imobiliário, importação, distribuição e consultoria de gestão.

Flora Victória

Flora Victoria é fundadora da Sociedade Brasileira de Coaching, presidente da SBCOACHING Training e Mestre em Psicologia Positiva Aplicada pela University of Pennsylvania. Diretora educacional das empresas do SBCOACHING Group e founding fellow do Institute of Coaching (IOC) – órgão afiliado à Harvard Medical School dedicado ao avanço do coaching, Flora é considerada a maior especialista em psicologia positiva aplicada ao coaching do país. Seu trabalho precursor resultou na criação do primeiro treinamento de positive coaching do Brasil. Pioneira na condução de projetos de pesquisa e comprovação científica do coaching no país, tem contribuído significativamente para consolidar a credibilidade desse processo e estimular seu desenvolvimento no Brasil e no mundo.

Como trainer e master coach, Flora já participou da formação de mais de 45 mil coaches no Brasil. Responsável pelas parcerias internacionais firmadas pela SBCOACHING com instituições globais, Flora tem trazido para o Brasil o que há de melhor e de mais atual no coaching internacional. Flora representa a Sociedade Brasileira de Coaching como membro da Graduate School Alliance for Executive Coaching (GSAEC), instituição especializada no ensino acadêmico do coaching, e da Association for Coaching (AC), credenciadora internacional presente em mais de 50 países.

Escritora de obras que são referência no coaching mundial, Flora é coautora dos livros Personal & Professional Coaching®, Executive & Business Coaching®, Positive Psychology Coaching® e Career Coaching®, entre outros. Em parceria com Brian Tracy e Villela da Matta, escreveu Estratégias Avançadas de Vendas e Engajamento Total. Como parte de sua contribuição para o coaching global, Flora foi convidada a integrar uma equipe internacional cujo objetivo foi discutir e compreender a diversidade do coaching no mundo. Esse trabalho resultou no livro Diversity in Coaching: Working with Gender, Culture, Race and Age, lançado pela Association for Coaching (AC). Como especialista em coaching, negócios, liderança e psicologia positiva, escreve artigos para a Revista SBCOACHING, para a Revista Científica Brasileira de Coaching e para diversos portais.

Com graduações acadêmicas e especializações nas áreas de Governança Corporativa pela Harvard Business School, MBA pela FGV, Marketing pela ESPM e Tecnologia pela USCS, a expert em ciências comportamentais, Flora, aplica seu sólido conhecimento teórico e prático para contribuir com diferentes públicos na conquista de resultados e aumento de realizações.

Com uma experiência organizacional consolidada ao longo de 30 anos, antes de fundar a SBCOACHING Flora foi executiva da Claro e atuou em grandes empresas como Volkswagen, Ford e Bell South, nas áreas de planejamento estratégico, gestão de mudanças, governança corporativa, tecnologia e finanças. À frente da SBCOACHING Training™, dedica-se continuamente a expandir o portfólio de serviços e a elevar cada vez mais a qualidade e a eficácia do coaching.