ENGAJANDO-SE COM O TRABALHO

Por Flora Victoria e Villela da Matta

Por que vale a pena engajar-se?

Diz a história que, ao lhe perguntarem quantas pessoas trabalhavam em sua empresa, um CEO respondeu: “Metade”. Gracejos à parte, se o critério usado para definir quem de fato “trabalha” na empresa for o engajamento, então o CEO dessa anedota, recorrente no meio empresarial, poderia se considerar um sujeito de sorte. Sua organização estaria muito acima da média planetária de engajamento com o trabalho, que, de acordo com pesquisa feita pelo Instituto Gallup com 225 mil pessoas em 142 países, resume-se a meros 13% da força de trabalho mundial. Isso significa que apenas um em cada oito trabalhadores está engajado, ou seja, está profundamente envolvido com seu trabalho e empenha esforços voluntários para contribuir positivamente com sua organização.

Considerando que a força de trabalho no mundo está em torno de 1,4 bilhão de pessoas, os desengajados – caracterizados pela baixa motivação, performance mediana e menor disposição para contribuir – representam 63%, algo em torno de 900 milhões de trabalhadores (sim, você leu corretamente, 900 milhões!). E os ativamente desengajados – insatisfeitos, improdutivos e que tendem a contaminar os colegas com sua negatividade – somam 24%, ou 340 milhões de pessoas. Não é, pois, sem motivos, que o Gallup nos alerta para uma crise de engajamento, que pode trazer em seu bojo repercussões potencialmente sérias para a economia global.

Quanto maior a escassez, maior a demanda. Profissionais engajados são, hoje, o sonho de toda empresa. E há boas razões para isso.

Análises de pesquisas feitas pelo Gallup com mais de 1,3 milhão de trabalhadores em 192 organizações descobriu que aquelas nas quais o engajamento é maior são 22% mais lucrativas, 21% mais produtivas e possuem um índice de absenteísmo 37% menor do que as que apresentam menor porcentagem de funcionários engajados. Além disso, as campeãs de engajamento ostentam uma taxa de turnover 25% inferior (nas empresas de alta rotatividade) e 65% menor (nas de baixa rotatividade).

Com sete milhões de funcionários de diferentes países em seu banco de dados, a consultoria global Hay Group também foi a campo investigar as vantagens do engajamento. Algumas conclusões: empresas com uma força de trabalho altamente engajada possuem, em média, uma receita 4,5 superior à de organizações menos afortunadas nesse quesito. Funcionários engajados são 2,5 vezes mais propensos que seus colegas desengajados a apresentarem uma performance superior e – a cereja do bolo – podem elevar em 30% a performance do negócio.

Profissionais engajados apresentam uma performance mais elevada e demonstram mais paixão e interesse por seu trabalho. E como as atividades profissionais ocupam a maior parte de nosso dia, o engajamento profissional acaba afetando, também, outras áreas de nossa existência, contribuindo para gerar mais bem-estar e satisfação com a vida. Diversas pesquisas indicam que, se você estiver engajado com sua empresa, seu nível de satisfação com o trabalho irá aumentar. E quanto mais engajado você estiver, mais eficiente e direcionado para o sucesso você será.

Como diria Weber Shandwick, em The Science of Engagement, “As pessoas escolhem se engajar”. E você? O que tem escolhido?

“Engajando-se no trabalho” é um pequeno artigo e, também, um preview do capítulo que Flora Victoria e Villela da Matta escreveram para o livro “Engajamento Total”, em coautoria com Brian Tracy. O livro será lançado no Fórum Internacional de Negócios e Coaching, que acontecerá nos dias 18 e 19 de março deste ano, em São Paulo.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também :)

Skills de hoje e do futuro

O que é autoeficácia e como ela pode ajudar você

As habilidades mais importantes em 2021

Cursos de extensão EAD: Saiba as vantagens de aderir ao sistema

MBA Coaching: Saiba tudo sobre esse tipo de graduação

O papel do feeling no mundo corporativo

Materiais Educativos

Como se tornar um Coach de sucesso

Escrito por Villela da Matta, presidente da SBCOACHING, este e-book traz 29 perguntas para alavancar o marketing, as vendas e as estratégias do seu negócio para seu sucesso…

Segredos da Paternidade Positiva

O envolvimento do pai contribui de forma significativa para o crescimento intelectual e mental da criança e a estimula na educação, desenvolvimento de habilidades, interesse etc…

Brian Tracy

Brian Tracy é uma das maiores autoridades em coaching e negócios do mundo: em mais de 30 anos de atuação, passaram por suas palestras e seminários mais de 5 milhões de pessoas. Já atuou como coach e consultor em mais de mil empresas. Autor de dezenas de best-sellers, foi homenageado em 2011 com o Lifetime Achievement Award, concedido pela National Academy of Best Selling Authors. É fundador e CEO da Brian Tracy International, tem uma carreira de sucesso, principalmente nos setores de vendas e marketing, investimentos, desenvolvimento imobiliário, importação, distribuição e consultoria de gestão.

Flora Victória

Flora Victoria é fundadora da Sociedade Brasileira de Coaching, presidente da SBCOACHING Training e Mestre em Psicologia Positiva Aplicada pela University of Pennsylvania. Diretora educacional das empresas do SBCOACHING Group e founding fellow do Institute of Coaching (IOC) – órgão afiliado à Harvard Medical School dedicado ao avanço do coaching, Flora é considerada a maior especialista em psicologia positiva aplicada ao coaching do país. Seu trabalho precursor resultou na criação do primeiro treinamento de positive coaching do Brasil. Pioneira na condução de projetos de pesquisa e comprovação científica do coaching no país, tem contribuído significativamente para consolidar a credibilidade desse processo e estimular seu desenvolvimento no Brasil e no mundo.

Como trainer e master coach, Flora já participou da formação de mais de 45 mil coaches no Brasil. Responsável pelas parcerias internacionais firmadas pela SBCOACHING com instituições globais, Flora tem trazido para o Brasil o que há de melhor e de mais atual no coaching internacional. Flora representa a Sociedade Brasileira de Coaching como membro da Graduate School Alliance for Executive Coaching (GSAEC), instituição especializada no ensino acadêmico do coaching, e da Association for Coaching (AC), credenciadora internacional presente em mais de 50 países.

Escritora de obras que são referência no coaching mundial, Flora é coautora dos livros Personal & Professional Coaching®, Executive & Business Coaching®, Positive Psychology Coaching® e Career Coaching®, entre outros. Em parceria com Brian Tracy e Villela da Matta, escreveu Estratégias Avançadas de Vendas e Engajamento Total. Como parte de sua contribuição para o coaching global, Flora foi convidada a integrar uma equipe internacional cujo objetivo foi discutir e compreender a diversidade do coaching no mundo. Esse trabalho resultou no livro Diversity in Coaching: Working with Gender, Culture, Race and Age, lançado pela Association for Coaching (AC). Como especialista em coaching, negócios, liderança e psicologia positiva, escreve artigos para a Revista SBCOACHING, para a Revista Científica Brasileira de Coaching e para diversos portais.

Com graduações acadêmicas e especializações nas áreas de Governança Corporativa pela Harvard Business School, MBA pela FGV, Marketing pela ESPM e Tecnologia pela USCS, a expert em ciências comportamentais, Flora, aplica seu sólido conhecimento teórico e prático para contribuir com diferentes públicos na conquista de resultados e aumento de realizações.

Com uma experiência organizacional consolidada ao longo de 30 anos, antes de fundar a SBCOACHING Flora foi executiva da Claro e atuou em grandes empresas como Volkswagen, Ford e Bell South, nas áreas de planejamento estratégico, gestão de mudanças, governança corporativa, tecnologia e finanças. À frente da SBCOACHING Training™, dedica-se continuamente a expandir o portfólio de serviços e a elevar cada vez mais a qualidade e a eficácia do coaching.