Gravidez é motivo para castigo?

Sabemos que, infelizmente, em pleno século XXI, as mulheres continuam recebendo salários inferiores aos dos homens, mesmo ocupando a mesma função. Se isso não é uma grande discriminação, não sei então qual o nome podemos dar.

No dicionário, discriminação significa: “segregação; ação de segregar alguém, tratando essa pessoa de maneira diferente e parcial, por motivos de diferenças sexuais, raciais, religiosas; ato de tratar de forma injusta”.

Em nosso país, discriminação é crime. No entanto, continuamos sendo discriminadas indiscriminadamente.

Outro dia chegou aos meus ouvidos incrédulos que o maior motivo das mulheres receberem salários inferiores aos dos homens é porque elas engravidam e, assim, passam por um período improdutivo.

Existe algo mais produtivo do que a gravidez? Ora, quem vai produzir e também consumir os bens e serviços produzidos por essas mesmas empresas se o país apenas envelhecer? Um país sem homens e mulheres jovens torna-se obsoleto e improdutivo. E de onde vêm esses futuros jovens senão de uma gestação? E qual o ser capaz de gerir outro ser? As mulheres! Elas deveriam ser reconhecidas por isso, e não punidas.

As empresas, essas sim, devem se preparar para receber e apoiar as mulheres em idade fértil, inclusive – e principalmente – com salários iguais aos dos homens quando na mesma função. Devem ainda ajudar com creche e, quando possível, manter uma creche dentro da própria empresa para que as mães trabalhem em paz, podendo amamentar os filhos e ter uma relação mais próxima nesse primeiro ano, mesmo após o término da licença maternidade. Isso não deveria ser visto como gasto, mas, sim, investimento, de olho no futuro próximo. Criança bem-amada, nutrida e protegida, tem muito mais chance de participar do progresso que tanto se discute e almeja atualmente.

É claro que nem todas as empresas agem de forma discriminatória, porém, essas são exceções, e não a regra.

Gravidez é motivo para castigo? -  O Senado Federal aprovou, em segundo turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 64/07, da senadora Rosalba Ciarlini, que amplia a licença à gestante de 120 para 180 dias.
O Senado Federal aprovou, em segundo turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 64/07, da senadora Rosalba Ciarlini, que amplia a licença à gestante de 120 para 180 dias.

Há mulheres que quase pedem desculpas quando vão informar ao chefe ou ao setor de RH que estão grávidas. Outras têm medo de engravidar e perder o posto ou, no retorno, o emprego.

Mas temos também o que comemorar. O Senado Federal aprovou, em segundo turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 64/07, da senadora Rosalba Ciarlini, que amplia a licença à gestante de 120 para 180 dias. A PEC, que recebeu 62 votos favoráveis e nenhum voto contrário, vai agora à Câmara dos Deputados.

A proposta altera a redação do inciso XVIII, do artigo 7º da Constituição. Na prática, estende a todas as trabalhadoras o benefício que havia sido concedido pela Lei 11.770/08 às funcionárias das empresas que aderissem ao Programa Empresa Cidadã.

Agora, as mães voltarão ao trabalho mais tranquilas e seguras, porque quem é mãe e trabalha sabe o quanto é difícil e injusta com ambas as partes, mãe e filho, a separação antecipada. Como disse a própria senadora: “a mãe vai voltar ao trabalho muito mais produtiva e tranquila, ao passo que a criança terá um desenvolvimento psíquico mais equilibrado e será um cidadão de paz”.

Mais um passo importante foi dado. Mas ainda falta. O que desejamos e esperamos que aconteça o mais breve é que as empresas tenham um novo olhar para a funcionária grávida. Um olhar mais generoso e inteligente.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também :)

Conheça as vantagens e desvantagens do outsourcing

Empowerment: O Que é, sua Importância nas Empresas e Exemplos

Dinâmica de Apresentação: Como Fazer, Dicas e Exemplos Práticos

Diagrama de Ishikawa: Guia Completo Passo a Passo

O Carnaval chegou… todo cuidado é pouco!

AFINAL, EXISTE UM MODELO DE CORPO PERFEITO?

Materiais Educativos

Como se tornar um Coach de sucesso

Escrito por Villela da Matta, presidente da SBCOACHING, este e-book traz 29 perguntas para alavancar o marketing, as vendas e as estratégias do seu negócio para seu sucesso…

Segredos da Paternidade Positiva

O envolvimento do pai contribui de forma significativa para o crescimento intelectual e mental da criança e a estimula na educação, desenvolvimento de habilidades, interesse etc…

Brian Tracy

Brian Tracy é uma das maiores autoridades em coaching e negócios do mundo: em mais de 30 anos de atuação, passaram por suas palestras e seminários mais de 5 milhões de pessoas. Já atuou como coach e consultor em mais de mil empresas. Autor de dezenas de best-sellers, foi homenageado em 2011 com o Lifetime Achievement Award, concedido pela National Academy of Best Selling Authors. É fundador e CEO da Brian Tracy International, tem uma carreira de sucesso, principalmente nos setores de vendas e marketing, investimentos, desenvolvimento imobiliário, importação, distribuição e consultoria de gestão.

Flora Victória

Flora Victoria é fundadora da Sociedade Brasileira de Coaching, presidente da SBCOACHING Training e Mestre em Psicologia Positiva Aplicada pela University of Pennsylvania. Diretora educacional das empresas do SBCOACHING Group e founding fellow do Institute of Coaching (IOC) – órgão afiliado à Harvard Medical School dedicado ao avanço do coaching, Flora é considerada a maior especialista em psicologia positiva aplicada ao coaching do país. Seu trabalho precursor resultou na criação do primeiro treinamento de positive coaching do Brasil. Pioneira na condução de projetos de pesquisa e comprovação científica do coaching no país, tem contribuído significativamente para consolidar a credibilidade desse processo e estimular seu desenvolvimento no Brasil e no mundo.

Como trainer e master coach, Flora já participou da formação de mais de 45 mil coaches no Brasil. Responsável pelas parcerias internacionais firmadas pela SBCOACHING com instituições globais, Flora tem trazido para o Brasil o que há de melhor e de mais atual no coaching internacional. Flora representa a Sociedade Brasileira de Coaching como membro da Graduate School Alliance for Executive Coaching (GSAEC), instituição especializada no ensino acadêmico do coaching, e da Association for Coaching (AC), credenciadora internacional presente em mais de 50 países.

Escritora de obras que são referência no coaching mundial, Flora é coautora dos livros Personal & Professional Coaching®, Executive & Business Coaching®, Positive Psychology Coaching® e Career Coaching®, entre outros. Em parceria com Brian Tracy e Villela da Matta, escreveu Estratégias Avançadas de Vendas e Engajamento Total. Como parte de sua contribuição para o coaching global, Flora foi convidada a integrar uma equipe internacional cujo objetivo foi discutir e compreender a diversidade do coaching no mundo. Esse trabalho resultou no livro Diversity in Coaching: Working with Gender, Culture, Race and Age, lançado pela Association for Coaching (AC). Como especialista em coaching, negócios, liderança e psicologia positiva, escreve artigos para a Revista SBCOACHING, para a Revista Científica Brasileira de Coaching e para diversos portais.

Com graduações acadêmicas e especializações nas áreas de Governança Corporativa pela Harvard Business School, MBA pela FGV, Marketing pela ESPM e Tecnologia pela USCS, a expert em ciências comportamentais, Flora, aplica seu sólido conhecimento teórico e prático para contribuir com diferentes públicos na conquista de resultados e aumento de realizações.

Com uma experiência organizacional consolidada ao longo de 30 anos, antes de fundar a SBCOACHING Flora foi executiva da Claro e atuou em grandes empresas como Volkswagen, Ford e Bell South, nas áreas de planejamento estratégico, gestão de mudanças, governança corporativa, tecnologia e finanças. À frente da SBCOACHING Training™, dedica-se continuamente a expandir o portfólio de serviços e a elevar cada vez mais a qualidade e a eficácia do coaching.